Antologia Virtual

- XI -

Outubro 2012

 

ORGANIZADORA:

Maria Beatriz Silva (Flor de Esperança)

Pág. 7  de  13 Págs.

JOSE LUIZ DA LUZ

 

 SORRISO


Mentia em meu rosto o incrédulo sorriso.
Pois meu langue sangue embuçado sentia,
meu úmido pranto secreto e preciso,
que no rosto atava o que no seio ardia.

Gemia o rosto: o sorriso, soluçava,
às cinzas do coração, porque mentia!
E a minha alma que nos prantos se afogava,
qual desfolhada rosa na ventania.
Dormi na ilusão! Sonhei com a ternura.
Na cruz, a última gota de sangue urdia,
cravada no coração em noite escura.
E o sorriso era exausto, porque mentia.

Deus sabe meu coração! Sabe a agonia.
Quantos sonhos alentei que feneceram.
E o meu sorriso, sabe! Porque mentia.
Não provei dos frutos, porque não nasceram.

Meus olhos de pedra não choram, são pálidos,
pois também mentem a lágrima sombria.
Seriam os sonhos que eu esbocei, inválidos?
O meu sorriso morreu, porque mentia.

Jose Luiz da Luz

Biografia do Autor em:

http://www.caestamosnos.org/autores/autores_j/Jose_Luiz_da_Luz.htm


JOAQUIM MARQUES

 

ERROS SENTIMENTAIS


Erros sentimentais, cometi, na vida;
Talvez coisa do destino ou predição
Que abalaram tanta vez meu coração
Alterando a cadência da batida…


Do tanto que passei, jamais quero pensar
Nem das horas felizes que por mim passaram
Para não lembrar as tristes, que deixaram
Meu coração, de dor, tanta vez, “sangrar…”


Dos verdes anos, dos amores vividos,
Já nem o colorido das flores singelas
Dos campos eu vejo, pois tudo secou.


Os dias mais felizes foram esquecidos
Da árvore frondosa, folhas amarelas
Caíram, secaram… O vento, as levou!…

© Joaquim Marques
PORTUGAL
2012

Biografia do Autor em:

http://www.caestamosnos.org/autores/autores_j/Joaquim_Marques.htm


JANE ROSSI

 

“VIAGEM DE POETA "


Viajava pelas nuvens azuis da imaginação
Com os olhos rasos d'água, olhava a constelação
Sua aeronave de aço percorria o Universo
Ele entendia a lua e rabiscava uns versos
Beleza indescritivel, observava no ar
Ele amava a altura, mas precisava pousar
E entre o céu e a terra, entre o ar e o chão
Sorria para as estrelas, brincava de bola e pião
Era poeta de alma, piloto por opção
Na alma guardava os versos
Nos sonhos ? Um avião!

Jane Rossi

Biografia do Autor em:

http://www.caestamosnos.org/autores/autores_j/Jane_Rossi.htm


JONAS R. SANCHES

 
O Ancião dos Dias

E o ancião dos dias seguiu
por entre as frestas do tempo
e fez cessar os ventos
para continuar pelas dimensões.

E ele carregava o livro dos dias
e escrevia com a pena de ouro
deixava as vozes falarem em sua mente
deixava os atos dizerem tesouros.

E o ancião dos dias seguiu
por entre as vias intergalácticas
com suas pálpebras pragmáticas
bebendo mundos e girassóis.

E ele carregava todas as vidas
todas as mortes e todas as flores
todas as dores e os amores
pela própria criação concebida.

E o ancião dos dias seguiu
contando os minutos do infinito
gritando verbos de sua vontade
bebendo os anos da sua idade.

E ele carregava os filhos dos filhos dos filhos
em seu ventre de universos infindáveis
e seu pensamento era de incógnitas
e seu amor era pela humanidade.

E o ancião dos dias dormiu
e se instalou o caos na terra
sede de sangue e calor de guerras
e até hoje se espera a cura dessa animalidade.

Jonas R. Sanches

Biografia do Autor em:

http://www.caestamosnos.org/autores/autores_j/Jonas_Rogerio_Sanches.htm


LAILTON ARAÚJO

 

NOS CEM ANOS COM RIMA, RITMO E UMA CANÇÃO


... 1 ...


O dia 13 de dezembro trouxe à humanidade
Um compositor nordestino à luz de lamparina
Santana - mãe, Januário - pai, um sanfoneiro
No Pé de Serra foi louvor a Deus na campina
Negro, caboclo, pobre, em Exu, Pernambuco
Na cor disputava com a lua tal forma musical
Era o ano de 1912, sopé da Serra do Araripe
Que nascia Luiz Gonzaga, o grande, o genial
Gonzagão é imortalizado como Rei do Baião
Nos cem anos com rima, ritmo e uma canção


... 2 ...


Jovem e inconsequente, quase é a tragédia
Pensou em exterminar o oponente do amor
Com uma surra, corretiva e início da história
Logo evitou, Santana - mãe, o Luiz matador
Fugiu Gonzaga, alistou-se no Crato, soldado
Sumiu do mapa, apareceu no Rio de Janeiro
Tocar sanfona, na zona, meretrício, mangue
Era meio de sobreviver: ganhar um dinheiro
Gonzagão é imortalizado como Rei do Baião
Nos cem anos com rima, ritmo e uma canção


... 3 ...


Em 1941, Ary Barroso aplaudiu Vira e Mexe
Nascia ali o artista da gravadora RCA Victor
Que gravaria e encantaria diversas gerações
Nos xotes, baiões, xaxados, forrós e estilos
A Rádio Nacional lançou a nordestinidade
Dança Mariquinha, mostrou um Luiz cantor
Os parceiros Zé Dantas e Humberto Teixeira
Colocaram versos na melodia do cantador
Gonzagão é imortalizado como Rei do Baião
Nos cem anos com rima, ritmo e uma canção


... 4 ...


Nascia Gonzaguinha, poeta e primogênito
A Asa Branca entrou na cabeça e não sai
Helena era esposa, adotava-se a filha Rosa
Respeita Januário traz Luiz ao abraço do pai
Baião, Boiadeiro, Assum Preto, Cintura Fina
Faz de Gonzaga o embaixador lá do torrão
O grito dos excluídos na batida da zabumba
Está em Algodão, na Acauã e ABC do Sertão
Gonzagão é imortalizado como Rei do Baião
Nos cem anos com rima, ritmo e uma canção


... 5 ...


Anos de 1960, o brilho de Gonzaga reaparece
Cacimba Nova, Numa Sala de Reboco e trios
Poeta de Sumé, Zé Marcolino é novo parceiro
Caetano e Gil citam Luiz e Banda de Pífanos
A Tropicália tem os pés na música nordestina
Anastácia e Dominguinhos, tornam-se amigos
O Rei tem corte, coroa, não perde a majestade
Lua na Rural, vai aos pontos mais longínquos
Gonzagão é imortalizado como Rei do Baião
Nos cem anos com rima, ritmo e uma canção


... 6 ...


Anos de 1970, tempo difícil, quase Luiz parou
Voltou energia, O Fole Roncou e Capim Novo
Unidos, pai e filho cantam: A Vida do Viajante
Para chegar em 2012, com aplausos do povo
Elba, Fagner, Milton e Chico, põem gás na luz
Januário, Gonzaga, Gonzaguinha: dão um psiu
Em forma de um Sabiá que canta nas galáxias
No grande concerto de sanfonas deste Brasil
Gonzagão é imortalizado como Rei do Baião
Nos cem anos com rima, ritmo e uma canção

Lailton Araújo

Biografia do Autor em:

http://www.caestamosnos.org/autores/autores_l/LAILTON_ARAUJO.htm
 


 
     

                                 para 8ª pág.