A História da Baratinha

(adaptação de Carlos Leite Ribeiro)

 

 

Formatação e Arte de Iara Melo

 

 

Era uma vez uma linda baratinha, que encontrou cinco euros enquanto varria a cozinha.
Com o dinheiro, foi comprar uns brincos, um colar e um anel, pintou os lábios, nos olhos pôs sombras e rímel e pôs-se à janela e perguntava a quem passava:


- Quem quer casar com a linda baratinha ?

 

Quem quer casar
com a senhora baratinha

Que tem fita no cabelo
e dinheiro na caixinha?

Quem quer casar com a baratinha ?


É carinhosa
e quem com ela quiser se casar

Terá doces todo dia
no almoço e no jantar

Passem,, cavalheiros,
passem todos sem parar

O mais belo com certeza
minha mão irá ganhar!

 


Passou um burro que lhe respondeu:
- Quero eu, minha linda!
- Como te chamas?
- Chamo-me im om, im om, im om.
- ai credo ... Eu não gosto de ti porque tens uma voz muito feia.
A baratinha voltou a perguntar:
- Quem quer casar com a linda baratinha ?
Passou um cão que lhe respondeu:
- Quero eu, linda baratinha !
- Como te chamas tu ?
- Ão, ão, ão.
- Não ... Eu não gosto de ti porque tens uma voz muito grossa.
A baratinha voltou a perguntar:
- Quem quer casar com a linda baratinha ?
Passou um gato e respondeu:
- Quero eu, baratinha !
- Como te chamas?
- Miau, miau, miau.
- Não ... Eu não gosto de ti porque tens uma voz muito fina.
A carochinha voltou a perguntar:
- Quem quer casar com a linda baratinha ?
Passou um belo rato que lhe respondeu:
- Quero eu, minha querida e linda baratinha !
- Como te chamas, lindo ?
- Chamo-me João Ratão.
- Quero sim ... Tu sim, tens uma voz bonita, quero casar contigo.
A baratinha e o João Ratão casaram e foram muito felizes.
Porém, certo dia, a baratinha disse ao João Ratão que estava na hora de ir à missa.
O João Ratão, que era muito guloso, disse-lhe que não podia ir porque estava doente.
A baratinha, que fazia a refeição de arroz doce, disse-lhe então que não mexesse no caldeirão, pois podia queimar-se.
Depois da baratinha sair, logo o João Ratão foi espreitar o caldeirão.
Espreitou, espreitou e trum, deu um grande trambolhão e caiu no caldeirão.
Quando a baratinha chegou, procurou, procurou o seu querido João Ratão mas não o encontrou.
Muito aflita, a baratinha entrou na cozinha, viu o João Ratão caído no caldeirão e disse:
Ai o meu João Ratão, que caiu no caldeirão! Ai o meu João Ratão, que caiu no caldeirão!

 

História da Carochinha
 Canção

Refrão
Ora dança a Baratinha
Ora dança João Ratão
Ora dança Baratinha
Amor do meu coração

Fui à rua p`ra te ver
À janela p`ra te namorar
Passado umas horas
Pedi-te para casar

Das luvas se esqueceu
A nossa linda Baratinha
João Ratão assim que soube
Foi lá numa corridinha

João Ratão é guloso
E do jantar provou
Que da panela
Cozido lá ficou

 

Trabalho e pesquisa de Carlos Leite Ribeiro – Marinha Grande – Portugal, baseado na História da Carochinha.

 

Formação e Arte de Iara Melo - Leiria - Portugal