MAGAZINE CEN

 

POESIA (com os temas "Lábios de Mel" e "Pergunta à Lua..."

 

Janeiro 2012

 

Edição de Carlos Leite Ribeiro

 

2º BLOCO

 

 

 

Helena Armond
São Paulo SP  Brasil

 

neste " vai e vem  circular de " anos bons "
rolam 365 dias e 365 noites suponho ...
planetas em vôo contínuo em seus trilhos
sabem - se  reticências aos sonhos ...

pergunta à lua cheia ... se sabe me conta !
por que o homem desenha estrelas
em cinco linhas retas a fazer agudas pontas 
de falsos brilhos ???

HelenArmond

 

Hiroko Hatada Nishiyama
São Paulo - Brasil
 
Lábios de Mel
 
Por enquanto
Guardo o encanto
Do primeiro abraço
Do primeiro beijo
Dos teus lábios de mel!
Naquele instante ao fitar o céu
Senti a doçura inimaginável
Dos lábios teus, Lábios de Mel!
Perdi-me em sonhos surreais,
Fui ao paraíso
Com minha doce amada
Dos lábios de mel.
E, hoje no entanto
O meu saudoso pranto
Desfez-se no espanto
Ao ver num matutino popular
Na secção "Classificados":
"Alugam-se lábios de mel,
Para temporada. Discrição total.
Devolução: qualquer dia, qualquer hora,
Quando V.S. não suportar mais a alegria."
Chorei num canto
Todo o desencanto
Dos lábios de mel!
Se foram meus um dia
Eu já não sei!
Neste momento respondo ao Classificado:
"Lábios de Mel,
A qualquer dia, a qualquer hora
Vamos embora
Pra Pasárgada,
Lábios de Mel!
Hiroko

 

Humberto Rodrigues Neto
São Paulo

 

BEIJOS DE MEL

 

Não quero ter de ti beijos formais,
quero-os assim, febris e irracionais,
iguais aos teus, vorazes e abrasivos...
Desejo-os plenos de  arrepios ardentes,
ricos de tórridas paixões mordentes,
arrebatados... sensuais... lascivos!
 
Beija-me em ânsia, descaradamente,
pouco importa nos veja tanta gente
num beijo de luxúria e de pecado!
Que esse teu beijo cale em mim tão fundo
que eu possa nele, as perdições do mundo,
sentir de um modo vil e depravado!

Beija-me louca e escandalosamente,
beija-me lúbrica e ousadamente,
num tom grosseiro, quase cafajeste!
Beija-me, pois, do modo mais relapso
e que  esse beijo seja o mais devasso
de quantos foram os que já me deste!

 

Iraí Verdan

Magé - RJ

 

Pergunte à Lua?...

Taciturna, eu andava.
Sem saber da dor, qual a razão...
Aceitei tal qual escrava,
Os ares da silente opressão.

O tempo foi passando...
Eu sempre querendo afastar
Do coração, aquele modo sombrio,
Que de tristeza, encheu minh’alma
De um grande vazio...

Era noite enluarada...
E eu, na praia caminhava.
Que ventura! Um amor lá encontrei...
E,  agora bem mais calma
Aos seus braços me entreguei,
“Para sempre!”. “Ser só sua...”, pensei...
Confessei-lhe: Você é minha resposta...
Ele respondeu-me: “Quer saber, pergunte à lua?...”

 

Jandyra Adami
Belo Horizonte-MGerais Brasil

 

INSÔNIA   

Às vezes, cansada, sem sono,
Ia à janela e olhava o céu.
Pensava comigo: “será que alguém
Está a fitar estrelas?”
E para lá eu voava,
Me transformava...
Brilhava o mais que podia
Para ver se me notavas...
Lá do alto, via uma janela aberta
E olhos curiosos me buscavam!!!
Ficava feliz, irradiando o brilho
Que pudesse fazer alguém sonhar:
“Ora (direis) ouvir estrelas!"
Sim...era eu que te mandava
Minha luz, a mais singela...
E tu, pensavas que era a lua
Que te abraçava...

 

Lucas Ferreira da Silva
Divinópolis  MG - Brasil

 

PRIMEIRO BEIJO

 

Fazia sol naquela noite
Seu coração pulsava, vibrante
Menino sorria, compulsivamente
Imortal instante.
Beijo trocado, não roubado
N’alma um êxtase, vigor
Menino olhava a lua
Imortal sabor.
Almas unidas em carícias múltiplas
Em seu corpo uma vida nova
Menino vira homem
Imortal prova.
Junção de sentimentos novos
Em seu todo, nova sensação
Menino amadurecido
Imortal emoção.
Noites de insônia, espera novo dia
Em seu sossego, inquietude
Menino tem pressa
Imortal virtude.
Dias infinitos, noites esperadas
Tempo estagnado, sol infinito
Menino crescendo
Imortal conflito.

 

 

Luiz Menezes de Miranda
Salvador - Bahia

 

TE ACHEI

Na vida há coisas simples
Simples como eu
Importantes como você

Busquei no horizonte
Uma maneira de ser feliz
Mas, nada encontrei.

Busquei no verde
A esperança
Mas era outono
Com árvores desnudas

Busquei no mar
Mas a ressaca
Nada trouxe
Apenas levou

Busquei na noite
Um sonho lindo
Mas, não adormeci.
Vivi insônia

Busquei então
Onde a razão
Não pode alcançar

E fui dentro de mim,
Bem fundo do meu eu
E, quase sem querer
Te descobri

Por entre letras mágicas
E risos escondidos
Paz de espírito
Te achei, amor.

Luiz Menezes de Miranda
 

 

Luiz Poeta – Luiz Gilberto de Barros
Rio de Janeiro – Brasil 

 

LUA...LUZ QUE MOVE A FANTASIA
 


Luiz Gilberto de Baros – à meia-noite e 38 min do dia 9 de janeiro de 2012 do Rio de Janeiro,
Especialmente para a revista MAGAZINE – Carlos leite Ribeiro – Portal CEN 
 


Que se pergunte à luz da Lua o que se sinta...
Que não se minta a emoção de olhar-se nela
E perceber que simplesmente emana dela,
A poesia que o amor sempre repinta.
 
Que se dilua o sentimento  do poeta
No pensamento que evoca a ideia
E que essa lua tenha a alma por plateia
De quem compreende a solidão mais incompleta.
 
Que se entenda que o amor é uma parte
Desse contraste entre a vida e a arte
E que o pedaço mais modesto de luar
 
Não é apenas só um tema de poesia,
É muito mais que a luz que move a fantasia
Quando um poeta simplesmente quer sonhar.

 

Maria Lucia (Violetta)

Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Brasil

 

Pergunte a Lua

Ando tão saudosa
perambulo entre tantos
neste ir e vir
saculejo a preguiça
acostumei-me a solidão
deu-me pois a liberdade
lá no escuro cintilante
olha-me sorrindo a Lua
pergunto a deusa de prata
por  onde perambula o meu amor?
pergunto ,cutuco e nada
olha-me pois a divina prateada
tens a liberdade
amor não  o terás....
Violetta

 

Maria Nascimento Santos Carvalho
Rio de Janeiro -  RJ


Pergunte à Lua...
 
Pergunte à Lua quantas vezes, quantas
imaginariamente da janela
eu pergunto por quê é  que tu me encantas
se não terei qualquer resposta dela?
 
Mesmo encoberta em nuvens feito mantas
enquanto avança em sua passarela,
 me pergunto: por que  tu me acalantas
e  em cada  fase,  Lua, estás  mais bela?
 
E  a Lua  se  pudesse me entender,
embora tendo muito a me dizer
com humildade, então, responderia:
 
- Eu sou da noite, não sou Sol, sou Lua,
se passo na amplidão, em qualquer rua,
é  que eu também procuro companhia!
 
Maria Nascimento Santos Carvalho

 

Nídia Vargas Potsch
Rio de Janeiro

 

No Mundo da Lua...
Nídia Vargas Potsch
( indriso )

Meus versos vagueiam...
A poesia me espreita do alto
iluminada pela essência do Ser.

Sonho, ilusão, sinto as memórias
indo e vindo, coração acelerado,
fitar a lua na madrugada errante...

Magia prateada que nos envolve
Som do Amor no silencio... A Lua sabe!

@Mensageir@

 

Olga Maria Dias Ferreira
Pelotas – RS -Brasil

 

LÁBIOS DE MEL
 
Os teus lábios de mel
Que, como fel,
Amargaram meu viver,
Hoje vivem na lembrança,
Sem fé, sem esperança
De um feliz renascer...

 

Sueli Bittencourt
Florianópolis/SC -Brasil

 

PERGUNTA À LUA
 
Olhando a lua tão pacífica
que tanto encanto nos traz
perguntei-lhe aflita:
Lua como podemos conseguir a Paz?!
 
Precisamos de paz na Terra...
evitando guerra, violência, destruição...
precisamos de paz entre as pessoas
entre povos e raças de toda a Nação!
 
Precisamos de paz nas famílias, nas ruas,
nas escolas, na sociedade, em todo lugar...
paz em nosso planeta, livrando-o de enchentes
e outras catrástrofes que a tantos vêm desgraçar...
 
e a Lua pacificamente respondeu:
É simples conseguir a paz, é só cultivá-la...
cultivá-la sempre, sem cessar.
Cultivem todos em si próprios e em todo o lugar!
 
Usem boas sementes, bem selecionadas...
como sementes de amor,de solidariedade,
de bom censo, consciência, justiça e piedade...
e a paz na Terra e com todos vai reinar!...

Sueli Bittencourt

 

Cibele Carvalho
RJ

 

LÁBIOS DE MEL

Sorvo o mel do teu coração
quando beijo os teus lábios
exigentes e sábios.
Meu gosto almiscarado
tem um sabor de pecado
e atiça a tua cobiça.
Nossos gostos misturados
com cheiros, entrelaçados,
ficam em nós entranhados.
E permanecem, após
os momentos de prazer,
revivendo em nós, os instantes
do nosso intenso querer,
da nossa sede de amantes.
Tu e eu somos iguais
- o que a um apetece,
ao outro apetece mais...
E seguimos nos amando,
a paixão exercitando,
sem concluí-la, jamais!

 

Efigênia Coutinho
Balneário Camboriú

 

Beijo de Mel Sagrado

Dos lábios doce aurora suave
sonora circula pela periferia
estereográfico modelo da nave
desenhada em fogo e magia.

Dito o verso em tom resoluto
ensaiando um rimalhar rico
declamado no todo absoluto
autoria cuja posse reivindico>

Um feito neste universo contido
de todos os elementos composto
na forma mais voraz é concebido>

Beijo sagrado em meu lábio posto
fresca epiderme em candida libido
lírica sensualidade ao nosso gosto.

 

Izabel Eri Camargo
Porto Alegre/ RS/Brasil

 

Pergunte à lua?

Lua, por que não comandas a paz?
Transforma toda violência em um belo caminhar
Teus retratos brilham na Terra são vistos em todo lugar

Manda flores nos quatro recados para a vida abençoar
és companheira inseparável gira gira sem parar
recebas um amplexo vibrante da parceira do luar

Continuas admirada na elegância do trajar
em tua sala ficou pegadas da visita inesperada
no embalo do amor a história foi ao ar

A Terra te agradece a companhia milenar
amigas para sempre neste novo despertar...

 

Maria de Lourdes Scottini Heiden
Blumenau - SC -  Brasil


LUA

A lua fez beicinho
Perdeu a compostura
Criança travessa
 Emburrou-se
E  não mais
  Aluou.
Perguntei à lua
O porquê de tais atitudes...
Respondeu-me sem demora.
São fases...
Nada mais!

 

Mônica Caetano Gonçalves
Belo Horizonte - Minas Gerais - Brasil

 

A lua sabe...

Espelho do sol
Que encanta a noite,
Alimenta nossas fantasias e sonhos insones
E acalenta
O suspiro apaixonado,
A inspiração do poeta
E lágrimas abandonadas...

Tece os ciclos da vida,
O cio da terra e da mulher que gera
E guia andarilhos e navegantes...

Oráculo da luz,
Sábia guardiã de tantas histórias,
Segredos... Desejos
E todas as respostas,
Mágicas poções
De amor e paixão
Cantados e pranteados
Sob seu prateado olhar...

 

Tito Olívio
Faro  Portugal

 

A BOCA
 
Ó porta dos pecados, que, afinal,
Disfarças no prazer o mal fecundo,
Vê que há na língua a marca e o sinal
Da serpente que vive no teu fundo!
 
Começa pelo beijo, o principal
De todos os pecados que há no mundo,
Pois, atrás dele, deflagra todo o mal
E nos entrega ao Demo, feio, imundo.
 
Depois, é pouco limpo esse costume
De andar a linguajar outra pessoa,
Seja embora loucura, coisa boa...
 
O pecador, porém, pouco se importa
E a voz da pregação não a suporta,
Persiste em chafurdar nesse perfume.

 

Virgínia Fulber
Novo Hamburgo

 

Pergunte à Lua?... 

Perguntei à lua cheia
Onde está o ansiado calor ?
Respondeu-me sorrindo
Ele virá quando La  Niña calar 
 
Verão chegou de mansinho
Estendeu, espreguiçou
Enfim, desabrochou como as Rosas
Vestido de orvalho nas manhãs...

 

Registre sua opinião no

Livro de Visitas: