Dia Mundial dos Canhotos

 

13 de Agosto

 

 

 

 

     Canhotos: Os dois lados do cérebro 

 

Trabalho e pesquisa de Carlos Leite Ribeiro

 

 

O cérebro é divido em 2 hemisférios. Cada um dos hemisférios controla os movimentos da parte oposta do corpo. Os movimentos que fazemos com a mão esquerda, pé esquerdo e olho esquerdo são inteiramente controlados pelo hemisfério direito do cérebro. Os dois hemisférios podem sincronizar e dar harmonia aos movimentos, mas um hemisfério não interfere na actividade do outro. Se ocorrer uma lesão no hemisfério esquerdo, uma pessoa destra será mais prejudicada, pois serão afectados os movimentos do lado direito do corpo. Com o tempo, o hemisfério não afectado vai assumindo o controle que dependia da outra metade e os movimentos podem voltar aos membros paralisados. A dominação de um hemisfério do cérebro é mais evidente nas funções complexas, as mais simples e ambos podem controlar. É possível treinar as habilidades da mão não preferencial e torná-la tão hábil quanto a outra. Isto acontece principalmente quando se aprende a tocar instrumentos musicais.
Nos outros animais não existe esta lateralidade, não há preferência pelo uso das patas. - Quando aparece a preferência?
Segundo o psicólogo Gesell, que fez teste durante vários anos com crianças, a lateralidade já pode ser prevista em recém nascidos. Quando o bebé está deitado, ele sempre deixa o rosto voltado para o mesmo lado. Este lado, se fosse o esquerdo, indicaria que a criança será canhota. Mas resultados não foram verdadeiros para algumas crianças.
Mundo "direito" rejeita os canhotos:  Toda vez que você usar um abridor de lata, abrir uma maçaneta, fazer a mudança de marcha no seu carro ou cortar papel usando uma tesoura, pare por um minuto e pense nos canhotos. Pois, pelo menos levando em conta a forma como as coisas são projectadas, parece que pouca gente pensa neles. Segundo estatísticas mundiais, cerca de 90% da humanidade é formada por pessoas que escrevem e usam para actividades diárias a mão direita. Estas são chamadas de destras. Os outros 10% se dividem entre pessoas que utilizam as duas mãos para realizar tarefas quotidianas e os canhotos, aqueles que só conseguem escrever e fazer trabalhos manuais usando a mão esquerda. E eles sofrem em um "mundo direito", onde praticamente tudo é voltado para os destros. Você já parou para pensar que há certo preconceito contra os canhotos na maioria das regras de etiqueta e superstições?
Afinal, quando crianças aprendemos a fazer o Sinal-da-Cruz com a mão direita, e não o contrário – embora nos seus sermões, quando estava na Paróquia barbosense, o padre Mariano Callegari incentivasse as pessoas a fazer o ritual também com a mão esquerda. O hábito de cumprimentar uma pessoa também é feito, por instinto, com a mão direita. Quando a pessoa está passando por um dia péssimo, ela não diz que acordou com o pé esquerdo? E a lista de superstições não pára por aí, tanto que uma parte da página, abaixo, teve que ser reservada só para elas. Curioso como a maioria das religiões relaciona a mão esquerda, ou o lado esquerdo, com o demónio e o Mal. Até mesmo na política os canhotos estão "separados"; afinal, existem os políticos "de direita", que são os conservadores, e os "esquerdistas", tradicionalmente a oposição parlamentar, ou os que defendem a reforma socialista.
Estas dificuldades começam na infância, quando alguns pais ainda obrigam as crianças a escrever com a mão direita, atitude que pode acarretar em sérios problemas de aprendizagem – de escrita mais lenta até problemas para ler e se expressar. Nas escolas onde as cadeiras têm braços para apoiar os cadernos, estes estão sempre do lado direito. Também é difícil encontrar no mercado produtos voltados especificamente para canhotos, como tesouras. Usando uma tesoura normal, os canhotos não conseguem enxergar a chamada "linha de corte" (você já tentou cortar as unhas da mão direita usando a esquerda?).
Na vida adulta, podem acontecer até acidentes de trabalho em função da necessidade de adaptação a máquinas e instrumentos originalmente projectados para destros. Na rotina diária, as dificuldades são várias, mas uma das principais é aprender a mudar a marcha no carro usando a mão direita ao invés da esquerda.
Telefones públicos sempre têm o depósito de fichas ou o local para inserir o cartão no lado direito. Em bancos e repartições públicas, normalmente as canetas presas por cordões ficam do lado direito, dificultando o ato de assinar para o canhoto. Sem falar que os números e as setas direccionais do teclado do computador estão todas no lado direito. Até maçanetas são projectadas para destros.
Instrumentos musicais de corda, como violões e guitarras, também são projectados para os destros. Os canhotos precisam aprender tudo invertido, mas nesse ponto se destacam Edgard Scandurra, do Ira!, é um dos melhores guitarristas,  é canhoto,  assim como o ex-Beatle Paul McCartney.
 Enquanto o mundo direito continua se esquecendo dos canhotos, a vida para quem usa a mão esquerda continua ficando mais complicada em seus pequenos detalhes. Actualmente estão surgindo associações, como a Abracan, no Brasil, e a Left-Handers Internacional, que é mundial. Na Internet existem sites voltados ao canhotismo, como o "Ao Avesso"

Superstições
Em alguns locais na Europa, na América e parte da África, e entre grupos de ciganos, quando a palma da mão direita coçar é sinal que a pessoa irá receber algum dinheiro; se for a palma da mão esquerda que coçar, então a pessoa perderá dinheiro.
Na Escócia os supersticiosos acreditam que quem entra em casa pisando primeiro com o pé esquerdo acaba trazendo demónios ou má sorte para dentro do lar.
Na tradição judaica, o Príncipe dos Demónios, que era chefe de Satanás, se chamava Samuel, ou Se’mol, uma palavra hebraica que significa "o lado esquerdo". A partir desta lenda, os esquimós têm a crença de que todos os canhotos são poderosos feiticeiros; em Marrocos, canhotos são considerados pessoas malvadas e demónios!
Usar a mão esquerda, no Irão, é considerado uma atitude desonrosa. Assim, quando um ladrão era capturado, tinha a mão direita decepada como punição.
Quando uma pessoa está infeliz, dizem que ela acordou "com o pé esquerdo".
No passado, os judaicos tinham que manter-se longe da lista dos "Cem Defeitos Físicos" citados por Mai-monides. Entre eles, cegos, mancos, anões e, claro, canhotos.
No Antigo Egipto, o deus Set (que pode ser relacionado ao Satanás do Cristianismo) era também chamado de "O Olho Esquerdo do Sol", e era demoníaco e destrutivo, enquanto Horus, o Deus da Vida, era "O Olho Direito do Sol".
No Budismo, Buda descreve que o caminho para o Nirvana (purificação e salvação) se divide em duas partes: um é o caminho da mão esquerda, que representa o jeito errado de se viver, e outro é o caminho da mão direita, digno para a purificação da alma.
Nos países islâmicos e na Índia, a mão esquerda é considerada "suja" e as pessoas são proibidas de comer com a canhota.
         
Ciência não sabe porque as pessoas nascem canhotas. Apesar de muitas pesquisas desde o século 19, a ciência ainda não sabe explicar porque algumas pessoas nascem canhotas e a maioria nasce predisposta a usar a mão direita. Por muito tempo, os canhotos chegaram a ser considerados pessoas diferentes e geniais. Tudo porque alguns dos maiores expoentes da arte, da cultura e da ciência eram canhotos, ou "sinistros", como também são chamados. Esta hipótese tem pouco a ver com a verdade, porque se génios como Leonardo DaVinci, Albert Einstein e Isaac Newton eram canhotos, por outro lado também o eram Jack, o Estripador (o famoso assassino de prostitutas que aterrorizou Londres no final do século 19), o pistoleiro Billy the Kid e a heroína francesa (meio santa, meio louca) Joana D’Arc.
Também durante anos acreditava-se que era possível saber se a criança seria destra ou canhota ainda quando recém-nascida: bastava observar a forma como o bebê dormia, e se ele voltasse o rosto sempre para o lado esquerdo seria canhoto. Esta teoria também não vingou. Na verdade, o que determina se a pessoa será destra ou canhota é o cérebro.
Este é dividido em dois hemisférios, sendo que cada um controla a parte oposta do corpo. Assim, os movimentos que a pessoa faz com a mão esquerda, pé esquerdo e olho esquerdo são inteiramente controlados pelo lado direito do cérebro, e vice-versa. Um "lado" do cérebro não influi na actividade do outro. Nos primeiros anos, a criança manifesta preferência por um dos lados. Há outra teoria de que o ambiente onde a criança vive influenciaria na sua decisão, mas podem nascer destros em família de canhotos, assim como o contrário.
"A preferência para usar uma mão mais do que a outra é chamada dominância lateral", explicou a psicóloga Sandra Maria Camini Fachini. "A determinação da dominância de uma pessoa pode ser difícil, uma vez que nem todos preferem uma mão para fazer todas as tarefas. Por exemplo, poderá pegar o lápis com a sua mão esquerda, mesmo que use sua mão direita para escrever".
Os cientistas concordam, embora ainda não existam provas confiáveis, que a causa do canhotismo pode ser genética, e, portanto, hereditária. O fato de que muitos membros da família real da Inglaterra são canhotos (o rei George II, o rei George VI, a rainha Victoria, a rainha Elizabeth e o príncipe Charles) é citado como exemplo do envolvimento genético no canhotismo.
Hereditário ou não, até os seis anos a criança aprende a utilizar um dos lados do cérebro como dominante, aprendendo a realizar actividades com uma das mãos melhor do que com a outra. Mas isso não quer dizer que a outra mão seja desajeitada. A melhor forma de explicar este "lado dominante", que persiste até o fim da vida, é o uso dos olhos. Quando é preciso olhar pelo buraco de uma fechadura, ou no microscópio, a pessoa normalmente opta por um dos olhos, ou o esquerdo ou o direito. Isso não significa que o outro olho "enxergue menos". É apenas mais uma manifestação do lado dominante do cérebro.
Muitas culturas têm considerado o destro como "melhor" que o canhoto, levando a condutas como forçar as crianças a usar a mão direita, chegando a extremos de amarrar a mão esquerda. A incompreensão dos pais ou adultos que trabalham com crianças sobre estas questões podem levar a condutas incorrectas, como a de forçar a criança a usar a mão oposta à da sua dominância, podendo surgir problemas desde distúrbios de aprendizagem até insegurança e dificuldades na auto-estima da criança". Ela recomenda que seja oferecido um ambiente livre de tensões e limitações para as crianças, encarando com naturalidade se ela preferir a mão esquerda à direita.
Dia dos Canhotos - 13 de Agosto
Inteligentes, misteriosos, sinistros... Pouco importa. Ano após ano, os canhotos continuam despertando atenção. Sinistros, os canhotos aguçam a curiosidade. O número exacto não se sabe, mas estima-se que cerca de 10% da população brasileira seja canhota. Apesar de ser um número pequeno, esse selecto grupo que prefere usar a mão esquerda, ao invés da direita, historicamente aguça a curiosidade das pessoas para explicar o porquê de alguém ser canhota. Não são poucas as tentativas de explicações, inclusive com respostas que se transformaram em mitos, como por exemplo, "que quem usa a mão esquerda foi porque jogou pedra em Cristo" ou que essa condição é exclusiva de pessoas inteligentes. Mitos à parte, o que se sabe é que o canhoto chama a atenção, tanto que o dia 13 de Agosto foi dedicado para lembrá-los em todo o mundo, uma data considerada sinistra, assim como os canhotos.
Entretanto, de sinistra a oceanógrafa Keila Renata Mourão afirma não ter nada. Pelo contrário, diz ser uma privilegiada por causa da admiração que desperta entre os amigos e parentes porque é canhota. "Eu e a minha irmã somos as únicas canhotas da família e, como eu sou a mais velha, os meus primos me chamam carinhosamente de canhotinha. Eu gosto de ser canhota, porque as pessoas sempre falam que acham bonito e a gente é diferente", diz orgulhosa.
Keila explica que, ser diferente não é por julgar-se mais inteligente que outras pessoas, até porque na opinião dela isso não está relacionado com o fato de alguém ser canhoto ou destros. E sim pelo motivo de, fisicamente, destacar-se ao fazer algum exercício físico ou actividade doméstica. Ela comenta que ao longo de sua infância ou adolescência, não sofreu nenhum tipo de problema. "Na escola eu me adaptei tão bem com as carteiras do braço direito, que hoje não tenho facilidade em escrever em carteiras para canhoto", revela.
Segundo Keila, não há nenhuma dificuldade em ser esquerda, "porque as pessoas nascem para utilizar a mão esquerda". Para ela ser canhota é tão natural, assim como é para uma pessoa que é destra. Ela fala, que quando era criança a mãe dela tentou fazer com que ela usasse a mão direita. Keila acredita ter herdado do seu bisavô o hábito de usar a mão esquerda para fazer suas actividades. O que chama a atenção da oceanógrafa para ela mesma, é o motivo dela não usar a perna esquerda para chutar bola e a mão esquerda para sacar a bola no volei. "É incrível, mas eu não tenho força no meu lado esquerdo para fazer isso", garante ela. Cada um com as suas características É o que prova a jornalista Ana Paula Bezerra, que afirma não conseguir, hoje, fazer nada com a perna ou braço do lado direito. Diferente de Keila, Ana Paula é a única na família que utiliza o lado esquerdo do corpo para fazer suas actividades diariamente. O maior problema da jornalista foi a avó, que segundo ela, teve preconceito por que não gostava da ideia de ter um neta canhota. "Ela dizia que não era certo, que era estranho. Isso era tanto, que ela aconselhava a minha mãe a fazer as coisas com a mão direita", recorda. Ela revela que para se inserir ao grupo de amigos da escola, quando tinha nove anos de idade passou seis meses escrevendo com as duas mãos. "Mas como a minha letra saía muito feia, então voltei a utilizar apenas a mão esquerda para escrever", diz Ana Paula, acrescentando que foi apenas uma fase e que ninguém falou nada para ela fazer a mudança.
A história de Ana Paula aos nove anos de idade lembra a parcela, ainda menor, da população que é "ambidestra", pessoas que utilizam as duas mãos com a mesma facilidade. Ou seja, a pessoa ambidestra tem destreza, habilidade com ambas as mãos. Diferente da "ambidestra", aquela que é desajeitada de ambas as mãos. Segundo o clínico geral Ricardo Ferreira Manuel, o hemisfério cerebral dominante do canhoto é o direito e o do destro é o hemisfério cerebral esquerdo. O médico explica que o hemisfério cerebral direito é o mais subjectivo, com tendência para as artes,
música, teatro é o lado sensitivo do ser humano.

 

Trabalho e pesquisa de Carlos Leite Ribeiro – Marinha Grande – Portugal

 

 

Envie esta Página aos Amigos:

 

                                

 

 

Por favor, assine o Livro de Visitas:

 

 

 

Todos os direitos reservados ao Portal CEN
Página criada por Iara Melo
http://www.iaramelo.com