Portal CEN *** Pesquisas Carlos Leite Ribeiro ***

CONHEÇA-NOS:

Click for Lisboa, Portugal Forecast

 

DIA DO CORPO DE DEUS 
 


Trabalho e Pesquisa de Carlos Leite Ribeiro

Formatação: Iara Melo

Em 1311, o Papa João XXII institui a Festa do Corpo de Deus, na qual é levada através das ruas a Hóstia consagrada em triunfo, unindo-se assim toda a cristandade em Amor a Jesus Sacramentado.
Consta dos livros que a Festa de Corpus Christi foi instituída por Bula Papal de Urbano IV em 1264 devido à “exigência” das visões de uma freira do convento das agostinianas (da Ordem de S.to Agostinho) nos arredores de Liège de modo a agradecer a Deus o sacramento da Eucaristia. Logo apelidada de Fête Dieu pelos paroquianos daquela cidade belga, esta celebração propagou-se rapidamente a todo o mundo católico e mais tarde tornou-se dever canónico obrigando o clero a realizar a Procissão Eucarística pelas vias públicas.
Teria chegado a Portugal provavelmente nos finais do século XIII e tomou a denominação de Festa de Corpo de Deus, o que, diga-se de passagem, é um verdadeiro paradoxo se atendermos a que o mistério e a festa da Eucaristia é sim o Corpo de Cristo. Esta exultação popular à Eucaristia é manifestada em Dia de Corpo de Deus, o 60° dia após a Páscoa e forçosamente uma Quinta-feira, fazendo assim a união íntima com a Última Ceia de Quinta-feira Santa e se esta demonstração de fé não tem lugar nesta última data é porque a véspera da morte de Cristo não se propicia a manifestações de júbilo.
Uma das mais antigas procissões de Lisboa, a do Corpo de Deus, foi instituída  pelo Papa Urbano IV em 1264. Portugal foi um dos primeiros países a aderir à solenidade e em Lisboa, já se fazia a procissão no reinado de D. João I (1385-1433), sendo já conhecida pela pompa e pela imponência que manteve ao longo dos séculos, conjugando-se o manto real das majestades com as fardas das altas patentes do exército e da armada, ao mesmo tempo que o povo se juntava para ver a imagem de São Jorge.
Sempre em Junho, a festa tinha o seu início no Castelo de São Jorge, onde a imagem do santo era colocada sobre um cavalo e percorria as ruas da cidade guardada pelo seu pajem e pelo seu escudeiro, o "homem de ferro", que segurava o estandarte de São Jorge, o padroeiro da cidade e defensor da fé cristã. Geralmente, o escudeiro era um soldado da cavalaria, designado para vestir a pesada armadura e para zelar pelo ouro e  pedras preciosas que revestiam o chapéu e os trajes de São Jorge. Os criados do Paço ajudavam no transporte do santo, ao mesmo tempo que trombetas e tambores eram tocados, acompanhando a procissão.
Quando o cortejo chegava à Sé Catedral, era celebrada uma missa onde o Cardeal Patriarca elevava a custódia (corpo de Deus), aos presentes e a preparava para que,  finda a celebração, emergisse à porta da igreja sob um magnífico pálio, rodeado por Suas Majestades e pela nobreza, formando-se a procissão, no qual o rei e os infantes tomavam uma das varas (geralmente a primeira da direita), sendo as restantes destinadas ao Presidente do Senado da Câmara e à antiga nobreza.
A procissão prosseguia o seu caminho passando pela Igreja de Santo António e pela Madalena até à baixa, percorrendo as suas principais ruas de onde partia para regressar de novo à Sé.
Anualmente, a festa do Corpo de Deus é celebrada em Portugal e em Lisboa, hoje em dia, a procissão parte dos Paços do Concelho no Largo do Município, onde é celebrada missa e dirige-se para a Sé Catedral.

Dia do Corpo de Deus

Corpus Christi (latim para Corpo de Cristo) é uma festa móvel da Igreja Católica que celebra a presença de Cristo na Eucaristia.
É realizada na quinta-feira seguinte ao domingo da Santíssima Trindade. É uma festa de preceito, isto é, para os católicos é de comparecimento obrigatório assistir à Missa neste dia, na forma estabelecida pela Conferência Episcopal do país respectivo.
A procissão pelas vias públicas, quando é feita, atende a uma recomendação do Código Canónico (art. 944) que determina ao Bispo diocesano que a providencie, onde for possível, "para testemunhar publicamente a veneração para com a santíssima Eucaristia, principalmente na solenidade do Corpo e Sangue de Cristo." É recomendado que nestas datas, a não ser por causa grave e urgente, não se ausente da diocese o Bispo (art. 395).
A origem da Solenidade do Corpo e Sangue de Cristo remonta ao Século XIII. A Santa Igreja sentiu necessidade de realçar a presença real do "Cristo todo" no pão consagrado. A Festa de Corpus Christi foi instituída pelo Papa Urbano IV com a Bula ‘Transiturus’ de 11 de Agosto de 1264, para ser celebrada na quinta-feira após a Festa da Santíssima Trindade, que acontece no domingo depois de Pentecostes.
O Papa Urbano IV foi o cónego Tiago Pantaleão de Troyes, arcediago do Cabido Diocesano de Liège na Bélgica, que recebeu o segredo das visões da freira agostiniana, Juliana de Mont Cornillon, que exigiam uma festa da Eucaristia no Ano Litúrgico. A ‘Fête Dieu’ (Festa de Deus) começou na paróquia de Saint Martin em Liège, em 1230, com autorização do arcediago para procissão eucarística só dentro da igreja, a fim de proclamar a gratidão a Deus pelo benefício da Eucaristia. Em 1247, aconteceu a 1ª procissão eucarística pelas ruas de Liège, já como festa da diocese. Depois se tornou festa nacional na Bélgica.
O ofício foi composto por São Tomás de Aquino o qual, por amor à tradição litúrgica, serviu-se em parte de Antífonas, Lições e Responsórios já em uso em algumas Igrejas.
A festa mundial de Corpus Christi foi decretada em 1264. O decreto de Urbano IV teve pouca repercussão, porque o Papa morreu em seguida. Mas se propagou por algumas igrejas, como na diocese de Colónia na Alemanha, onde Corpus Christi é celebrada desde antes de 1270. A procissão surgiu em Colónia e difundiu-se primeiro na Alemanha, depois na França e na Itália. Em Roma é encontrada desde 1350.
A Eucaristia é um dos sete sacramentos e foi instituído na Última Ceia, quando Jesus disse :‘Este é o meu corpo...isto é o meu sangue... fazei isto em memória de mim’. Porque a Eucaristia foi celebrada pela 1ª vez na Quinta-Feira Santa, Corpus Christi se celebra sempre numa quinta-feira após o domingo depois de Pentecostes.
 
Trabalho e pesquisa de Carlos Leite Ribeiro – Marinha Grande – Portugal

 

Webdesigner: Iara Melo

 

***  Portal CEN - Cá Estamos Nós ***
Todos os Direitos Reservados