Portal CEN *** Pesquisas Carlos Leite Ribeiro ***

CONHEÇA-NOS:

Click for Lisboa, Portugal Forecast

 

Emissora Nacional Portuguesa

(percursora da actual RDP –

Rádio Difusão Portuguesa)

 


Trabalho e pesquisa de Carlos Leite Ribeiro

Formatação: Iara Melo
 

Emissora Nacional Portuguesa
(percursora da actual RDP – Rádio Difusão Portuguesa)
“Cantando, Espalharei por Todo a Parte”

01 de Agosto de 1940

Trabalho e pesquisa de Carlos Leite Ribeiro


 

 

ASSIM NASCEU A RÁDIO...
A Rádio foi o primeiro meio de comunicação ao dispor do homem moderno, que assumiu este aspecto fascinante: falar, ao mesmo tempo, a um indivíduo e a uma massa colectiva.
Salienta-se, no entanto, mais uma vez, o facto essencial de que a Rádio se dirigir especialmente a um só ouvinte isolado, embora atingindo simultaneamente uma soma considerável de outros ouvintes também isolados.
No entanto, este isolamento pode não ser físico, e muitas vezes não o é - mas sim um isolamento interior..
          
A Rádio de degrau em degrau
Séc.XIX
Michael Faraday Demonstrou que a corrente eléctrica produz um campo magnético local e que a energia retorna ao circuito quando a corrente é interrompida ou alterada.
James Maxwell
Provou matematicamente, em 1864, que a energia electromagnética se propaga por ondas à velocidade da luz
Thomas Edison
Descobriu a emissão de electrões por um filamento aquecido no vazio. O Efeito de Edison será a base da descoberta dos tubos de vácuo
Heinrich Hertz
Em 1888, testou a tese de Maxwell, demonstrando a sua veracidade
Edouard Branly
Inventou, em 1890, o detector de ondas electromagnéticas a que chamou coesor
Guglielmo Marconi

Em 1894, com 20 anos, Marconi desenvolveu as primeiras experiências hertzianas usando um gerador de faísca como emissor ligando uma extremidade à antena e outra à terra. Como receptor utilizou o mesmo processo, enviando um sinal rádio a uma distância de 9 m, no jardim
Em1899, após aumentos progressivos de distâncias, o sinal de rádio atravessa o Canal da Mancha. Em 12 de Dezembro de 1901, a TSF era possível sobre o Atlântico, desta vez utilizando o coesor de Branly como receptor
Séc. XX
John Ambrose Fleming Descobre, em 1904, o efeito unidireccional da corrente num tubo de vácuo contendendo um filamento (cátodo) e um eléctrodo (ânodo). Estava descoberto o díodo, ou válvula de Fleming
Lee de Forest Resolve o problema crucial da detecção das ondas hertzianas ao introduzir uma grelha entra a placa e o filamento. Estava criado o tríodo, ou audion. O salto para a radiodifusão sonora tinha sido dado em 1906
Lee de ForestReginald A. Fesseden 
Na noite de Natal de 1906, leu a História de Natal do Evangelho de S. Lucas, tocou violino e passou uma gravação do Largo de Handel desejando a todos um feliz Natal. Era o primeiro programa radiofónico, transmitido a partir do seu laboratório em Brant Rock, Massachussets
1914 - Início da radiodifusão sonora em Portugal
Pela mão de Fernando Gardelho Medeiros surgiu, em Lisboa, a Rádio Hertz
Edwin Armstrong
Inventou, em 1918, o super-heteródino que permitiu a melhoria decisiva das condições de recepção e, consequentemente, uma sintonia mais eficazWilliam Shokley, Walter Brattain e John Bardeen
Descobrem em 1948 o transístor que pôs fim ao reinado da válvula
Mas efectivamente, tudo começou com uma campainha ...
A primeira ocorrência que impulsionou efectivamente a telegrafia sem fios (TSF), que viria a transformar o Mundo, foi o retinir de uma campainha no rés-do-chão de uma vivenda perto de Bolonha, quando, num laboratório electrotécnico existente no sótão, alguém premiu um botão.
O botão e a campainha não estavam, porém, ligados entre si: havia no laboratório um pequeno emissor, estando a campainha ligada a um receptor. O jovem que premiu o botão e que imaginaria todo o dispositivo chamava-se Guglielmo Marconi.
Sempre que a campainha tocava, Marconi verificava que estava no bom caminho.
A inspiração para a sua experiência viera-lhe de um artigo de uma revista, no qual o físico alemão Heinrich Hertz demonstrava a propagação de ondas electromagnéticas no espaço.
Não poderiam essas ondas transportar sons ?...
Poucos meses após o exito da experiência com a campainha, Marconi conseguiu transmitir, do seu laboratório, um sinal em morse que foi recebido atrás de uma colina próxima. Havia nascido a telegrafia sem fios.
Marconi lancou-se então no seu aperfeiçoamento, tornando-se de utilidade prática, no que foi bem sucedido.
Tendo o ministro das Comunicações italiano considerado pouco importante a sua descoberta, Marconi partiu para Inglaterra, onde em 1887, demonstrou perante o ministro da Comunicações inglês, o funcionamento da telegrafia sem fios.
Em 1899, Marconi enviou mensagens telegráficas através do canal da Mancha.
Em 1901, conseguiu efectuar uma transmissão através do oceano, da Inglaterra à Terra Nova, distanciadas entre si 3400 Km.
         
A Rádio Portuguesa nos anos quarenta
Instalou-se nos lares dos portugueses em lugares de honra, como as salas de estar. Era uma companhia e uma fonte de entretenimento. Durante décadas os serões das cidades passavam-se à sua volta. Foi uma necessidade do tempo da segunda guerra mundial tornada hábito nos anos posteriores ao conflito mundial. A informação, os noticiários e os programas políticos diminuíram na década de cinquenta para dar lugar ao espectáculo radiofónico realizado por gente do teatro e do cinema, nele colaborando pessoas das artes em geral, com especial predominância de jornalistas habituados a escrever rábulas para o teatro de revista, argumentos de cinema e folhetos de publicidade.
Pedro Moutinho é um herói desse tempo, entre muitos outros, onde se evocam Olavo d’ Eça Leal, Jorge alvez, Francisco Mata, Fernando Pessa, Artur Agostinho, Rui Ferrão, Nuno Fradique, Fernando Corado Ribeiro e muitos outros, tantos que não caberiam nestas linhas.
Pedro Moutinho calcorreou todos os géneros da produção de rádio, nunca se distinguiu sem que alguém o tivesse distinguido –a ficção científica e radiofónica. Recorda-se um seu programa que seria uma muito boa réplica portuguesa da "Guerra dos Mundos" de Orson Wells em 1938.
O ano de 1940 marca a transformação da Emissora Nacional num organismo autónomo, o que se verifica com a publicação da primeira Lei Orgânica - Decreto-Lei nº30752 - que apresenta a primeira fase dos Planos de Radiodifusão Nacional. Aqui se prevê a montagem, em Lisboa, de um emissor de O.M. de 50 Kw, um de O.C. de 40 Kw e a criação de emissores regionais no Porto, Coimbra e Faro. No mesmo ano, começa a funcionar o Emissor Regional do Norte, instalado provisoriamente no jardim do Palácio de Cristal.
A década de 40 foi cenário de um extraordinário esforço da EN. De salientar as reportagens das celebrações dos Oito Séculos da Nacionalidade, do grande ciclone que assolou o país e da campanha de auxilio aos sinistrados; o programa, realizado com a colaboração do "Diário de Notícias", intitulado "Salvemos as crianças vitimas da guerra"; a cobertura atenta das várias fases do conflito mundial, através de um serviço noticioso constituido por profissionais da Imprensa; a criação de rubricas que ganharam grande impacto popular, como o "Folhetim Radiofónico", o "Rádio-Teatro" e o "Domingo Sonoro", este último com os ínesquecíveis diálogos de Aníbal Nazaré e Nelson de Barros "Zéquinha e Lélé", interpretados por Vasco Santana e Irene Velez.
Surgem importantes iniciativas como o "Centro de Preparação de Artistas da Rádio" e o «Gabinete de Estudos Musicais», de onde saíram numerosas composições de rui Coelho, Joly Braga santos, Armando José Fernandes e outros. Algumas destas obras serão apresentadas por estações de Rádio de vários países.
A Rádio populariza nomes de realizadores de programas, como Adolfo Simões Muller, Olavo d’Eça Leal, Francisco Mata, Aníbal Nazaré e Nelson de Barros e de locutores como Fernando Pessa, Jorge Alves, João da Câmara, Pedro Moutinho, Artur Agostinho e Maria Leonor.

ANOS 50 E 60
Com a entrada em funcionamento de dois potentes emissores de Onda Média, de 135 Kw, no Centro Emissor de Castanheira do Ribatejo.
Com a criação do Centro Emissor Ultramarino, em Pesões, com dois emissores de Onda Curta de 100 Kw, incrementam-se as transmissões para o Ultramar, iniciando-se, em 1954, o serviço em inglês para o Sudoeste da Ásia.
Na rádio privada, "Os Companheiros da Alegria" de Igrejas Caeiro, marcam uma época.
No velho edifício da Rua do Quelhas, reequipam-se os serviços e -reestruturam-se os quadros de programação e dos noticiários.
A Rádio prepara-se para fazer face à concorrência da televisão que em Portugal tentava as primeiras emissões.
Os anos sessenta solicitam a intervenção da Rádio em diversos -acontecimentos de relevo, nomeadamente a Guerra em África que abala profundamente o país e as estruturas políticas.
A Rádio aposta na informação explorando as suas potencialidades face à concorrência da televisão.
A Revolução de Abril trouxe à Rádio profundas transformações. Está feita a história da Revolução de Abril de 1974.
É conhecida a importância da Rádio no desencadear do Movimento, no agrupamento das forças militares, e mais tarde, numa certa apologia revolucionária junto das populações. O 25 de Abril traria à Rádio naturais e profundas transformações, decorrentes logo da ocupação militar das principais estações emissoras.
O Decreto-Lei 674-C/75 de 2 de Dezembro nacionaliza as estações de Rádio privadas, com excepção da Rádio Renascença, extingue a Emissora Nacional e cria a empresa pública que é hoje a Radiodifusão Portuguesa. Os anos seguintes assistiram a uma série de experiências e tentativas de alteração estrutural da empresa, agora com uma dimensão mais vasta resultante da junção das estruturas da Emissora Nacional, do Rádio Clube Português, dos Emissores Associados de Lisboa e de outros postos particulares.
Diálogo com a África:
Através de um Serviço de intercâmbio a RDP atende os pedidos vindos das estações emissoras que, do estrangeiro, se dirigem, principalmente, aos residentes portugueses e dedica particular atenção ao intercâmbio com estações emissoras filiadas na União Europeia de Radiodifusão (UER) e União das Rádios e Televisões dos Países Africanos (URTNA).
Vem sendo importante a presença da RDP nas Assembleias da UER como da URTNA porque se estabelece um salutar e indispensável diálogo no domínio radiofónico.
Protocolos de intercâmbio têm sido celebrados com as estações de rádio dos países africanos de língua oficial portuguesa e a RDP assegura, com regularidade, acções de formação de profissionais daquelas estações nas áreas de produção, técnica e informação.
Representantes das estações dos países africanos de língua oficial portuguesa assistiram, em 1985, em Lisboa, às comemorações dos «60 Anos da Rádio».
Desde há longos anos que a Rádio Estatal seguiu uma politica de descentralização através da criação de delegações e emissores regionais os quais dão a sua contribuição para a programação nacional, e mantêm também horas de emissão própria, numa mais intima ligação com a região onde se encontram inseridos. Actualmente, a panorâmica dos emissores é a seguinte: Regionais RDP Norte, no Porto; RDP Centro, em Coimbra; RDP Sul, em Faro; RDP Madeira, no Funchal e RDP Açores, em Ponta Delgada.
As Rádios Locais estão situadas no Porto, Bragança, Pêso da Régua, Viseu, Guarda, Coimbra, Santarém, Elvas e Faro
O estatuto da RDP:
Restituída à administração civil em 1978, a RDP/EP vê aprovado, em 22 de Maio de 1984, o Estatuto actualmente em vigor, o qual clarifica os objectivos que lhe incumbem. A RDP tem por missão fundamental a prestação do serviço público de radiodifusão e fica obrigada a emitir, pelo menos, três programas de âmbito nacional, em Ondas Médias e Modulação de Frequência, de carácter recreativo, cultural e informativo; e ainda programas em Ondas Curtas dirigidos aos núcleos portugueses fixados no estrangeiro e aos países de língua oficial portuguesa. Lançada numa difícil missão, pesada de encargos, a Empresa tem como receitas, as taxas, a publicidade e indemnizações compensatórias por parte do Estado.
A RDP hoje:
Os últimos anos assistiram aos esforços da RDP para se reestruturar e reequipar, actualizando os seus meios e alargando o seu campo de acção. Cobrindo com as suas emissões todo o território nacional e diversos espaços exteriores, com 315 horas diárias de emissão e uma potência total de 1900 Kw, com um volume anual de receitas de cerca de cinco milhões de contos, a Radiodifusão Portuguesa figura hoje entre as vinte maiores empresas portuguesas do ramo dos serviços.
A RDP enfrenta hoje vários desafios mas mantém um público fiel principalmente entre a juventude.

Trabalho e pesquisa de Carlos Leite Ribeiro – Marinha Grande – Portugal

 

 

Webdesigner: Iara Melo

Resolução de Ecrã: 1024 * 768

 

 

Copyright © 2006 - 2009  ***  Portal CEN
Todos os Direitos Reservados