Ana Lucila de Aguiar Maranhão

 

Nome: Ana Lucila de Aguiar Maranhão

Profissão: Professora aposentada (Curso Superior em Ciências Sociais)

Morada: Recife/Pernambuco/Brasil.

Quer falar um pouco da terra onde mora?:Recife Capital de Pernambuco.

Pernambuco, é um Estado da Região Nordeste do Brasil, foi uma das primeiras áreas brasileiras ocupadas pelos portugueses. Em 1535, Duarte Coelho torna-se o donatário da Capitania, fundando a vila de Olinda e espalhando os primeiros engenhos da região. No período colonial, Pernambuco torna-se um grande produtor de açúcar e durante muitos anos é responsável por mais da metade das exportações brasileiras. Essa riqueza atrai novos colonos europeus que constróem no estado um dos mais ricos patrimônios arquitetônicos da América Colonial. A riqueza de Pernambuco foi alvo do interesse de outras nações. No século XVII, os holandeses se estabelecem no estado. Entre 1630 e 1654, Pernambuco é administrado pela Companhia das Índias Ocidentais. Um dos seus representantes, o príncipe João Maurício de Nassau, traz para Pernambuco uma forma de administrar renovadora e tolerante. Realiza inúmeras obras de urbanização no Recife, amplia a lavoura da cana, assegura a liberdade de culto. No período holandês, é fundada no Recife a primeira sinagoga das Américas. Amante das artes, Nassau tem na sua equipe inúmeros artistas, como Frans Post e Albert Eckhrout, pioneiros na documentação visual da paisagem brasileira e do cotidiano dos seus habitantes. Recife, é a capital de Pernambuco, é o maior centro cultural, de saúde, de serviços e de lazer do Nordeste, além de terceiro maior pólo gastronômico do País. Recife dos sobrados com jeito de antigamente, do bairro do Recife Antigo, com suas belas edificações e uma animada programação noturna. Da rua da Aurora - refletindo o rio Capibaribe o seu casario. Da Praia de Boa Viagem - charmosa, internacional, repleta de piscinas naturais e áreas de lazer, perfeita na sua infra-estrutura turística receptiva. Da Capela Dourada, exemplo significativo do barroco brasileiro. Da Casa da Cultura, centro artesanal e folclórico. Das tapeçaria que produzem trabalhos de indescritível beleza. Do Museu do Homem do Nordeste, oferecendo uma viagem à vida cultural da Região. Do Museu Oficina Cerâmica de Francisco Brennand, um dos mais expressivos artistas plásticos da atualidade.

Quando começou a escrever? Quando tinha 15 anos.

Teve a influência de alguém para começar a escrever? Sim a minha mãe gostava de escrever e redigia discursos.

Lembra-se do seu 1º trabalho literário (se puder, indique o título)? Sim, foi o livro Nossas Raízes.

Foi divulgado, como? Foi publicado em Janeiro de 2001.

Tem livro (s) impresso (s) (lançamento ano)? Nossas Raízes, lançado em 2001; Histórias de Mulheres Admiráveis e Apaixonadas de A a Z, lançado em 2008;  Receitas Maravilhosas da Mamãe, lançado em 2009 e Histórias Maravilhosas de Homens Notáveis de A a Z, lançado em 2010.

Fale-nos um pouco de si, como pessoa humana? Sou uma pessoa simples, sincera, amiga, de bom coração, religiosa, que ama e valoriza a Deus, a família, as pessoas e que respeita a natureza. Gosto de  ler, escrever, ser útil, tenho prazer em ajudar, gosto de presentear, seja com uma  singela lembrança, um versinho,  uma mensagem ou um simples cartão, e, gosto muito de reunir familiares, amigos e de festas.

Como Escritora? Minha forma de escrever sempre é narrativo, gosto de contar casos, descrever lugares e pessoas, e, tenho uma tendência maior para homenagear pessoas e outros, seja com acrósticos ou descrevendo o personagem. Não tenho muitas pretensões, escrevo para minha própria satisfação e, geralmente as pessoas gostam dos meus textos.

Para se inspirar literariamente, precisa de algum ambiente especial?: Gosto de escrever  olhando o mar, o céu, a lua, as estrelas, geralmente no silêncio da noite, madrugada a dentro.

Tem prémios literários? Não.

Tem Home Page própria ?

http://historicodaminhavidadeescritora.blogspot.com

http://jornalfamiliarnossasraizes1.blogspot.com

Que conselho daria a uma pessoa que começasse agora a escrever?: Ponha no papel apenas o que realmente pensa, sente, seja verdadeiro e esteja sempre pronto a aprender  a cada novo dia.
 

Para terminar este trabalho, queira fazer o favor de mandar um pequeno (e original) trabalho seu (em prosa ou em verso)
 

FIM DE NOIVADO

Ana Lucila

Nosso amor se acabou
por falta de alimento
ficou fraco e doente
deixou de ser sentimento

O amor sadio é forte!
Corajoso e até valente
sem alimento ele morre
e deixa a saudade na gente

Quando se tem uma planta
e pretende conservar
se põe água todos os dias
para ela se elevar

E, depois disso tudo
haver sido narrado,
não há mais o que dizer
sobre esse noivado acabado!

Por não haver sido inventado
fortificante para o amor
nosso caso está encerrado
a falta de um inventor!
 

2011

 Índice de autores            lançamento

Biblioteca Virtual (E-books)   Convite Lançamento Livro H. M. H. Notáveis  Homenagem a Analgesina Maranhão (sua mãe)