Antonio Cabral Filho
 

 
 

VINHO DE BACO
 


Uma vez que o soneto é imortal"
meu ser respira em estado de graça,
Baco chega sem cerimonial
exibindo-me sequioso a taça.


Vem chegando Safo e suas meninas,
deixando meu tonel todo assustado
perante o fogo e a sanha fesceninas,
mas com ou sem dor, será esgotado.

Neste momento Lesbos jás vazia,
e, mesmo sem estar cheios de "uca",
rolamos pela areia de alegria.

Por mais que alguém tenha medo da Cuca(*),
não "entrego" o que aconteceu depois,
a menos que possa ser só nós dois...

(*) Cuca: Personagem mitológico brasileiro, usado para assustar as criança.

Meu coração é um cofre,
carregado de troféus;
ninguém sabe por que sofre,
mas seu amor anda ao léu.

***
Nos cem anos do FLAFLU,
espero que o meu FLUZÃO,
dê farofa de urubu,
por todo o brasileirão.

***
Ed Lincon., meu amigo,
nas ondas do berimbau,
também eu irei contigo,
rumo ao destino final.

***
Sou Antonio Cabral Filho,
que em vossa presença emigra;
do pinto que não quer milho,
João Cabral que lho diga.

 

PÁSSARO AZUL ...


Homero desfila pureza, Zéfiro brinca de pique-esconde, com a paisagem silente,
pedras e arbustos compõem o cenário da tarde tropical.
Mas em Cnossos, o Pássaro Azul abre asas,
para elevar seu trino, ante o aplauso dos deuses.

2012

 Índice de autores                   Publicações