LULI COUTINHO

 

 

Explosão Estelar

E a flor ao desabrochar
Sentiu a magia do sonho
Numa explosão estelar

No vislumbre do meu peito
O aconchego do teu coração
Afagou-se em beijos à paixão

E esse teu jeito de menino
Devorou-me em esperança
Tal bailarina bordada a dança

A pele em nuances violeta
Irisou-se aos olhos verde jade
A velocidade de um cometa

Assim éramos a luz tu e eu
E te amei sem que soubesse
Ser resplendor ao corpo meu

E num encontro de gametas
Consagrados a lua e ao mar
Voamos ao encontro do céu

Luli Coutinho
19/04/09
São Paulo - SP

Esta poesia recebeu "Destaque Literário"
Classificada em 9º lugar no "Concurso Versos Inéditos"
do "Mural dos Escritores" em Belo Horizonte.
Coordenação: Ana da Cruz
31/05/09
Recanto das Letras
Código do texto: T1570246

 

Olhares do Coração

Olhares se perdem no infinito,
Em rubras cores de um crepúsculo ímpar!
O horizonte envolve-me em ares purpurinos
Devaneio emoções, desvendo mistérios vindos

Delicadamente pousa em mim o doce vinho!
A graça de um menino que afaga o peito
E com mãos frágeis borda rendas de amor
Às minhas sedas que se entregam sem pudor

Entre o céu de eternos beijos, guardo-o!
Minha boca em teus desejos, o meu amor
Entregues ao teu corpo, ninho de ardor

Ah! Quando adormeces em meu peito...
Ouço um canto ao desfolhar a rubra flor
Parto-me em mil pedaços de amor
Sinto-te aqui, dentro de mim!

Luli Coutinho
30/03/11
São Paulo - SP

Recanto das Letras
Código do texto: T2879723

 

 

Cercado de Lua

Um belo corpo que brilha e cintila
Num palco apagado pela nostalgia
Dança os suaves passos da dor
Nu... Nem sente ausência do refletor

Uma música que chora o amor
A desfolhar-se sem fim ao dissabor
Pelas salgadas águas escorridas no chão
Prolongam seu canto à perfeição do pintor

Um chão de espelho reflete em dança
Como a poesia cujas rimas cantam
Criam sonhos e lágrimas de acalanto
E na alquimia dos versos renascem a flor

Assim, nu, repleto de imaginação
Este corpo flutua sob nuvens de algodão
Se entrega aos doloridos passos da dança
Cercado de lua compõe sua poesia crua

Luli Coutinho
23/03/11
São Paulo - SP

Recanto das Letras
Código do texto: T2866269

 

No Luar... Lilases de Dulçor

Cheia, nua, linda e plena!
Entre os eucaliptos te tornaste mais bela
Um colar de pérolas a espera do amanhecer!

E a noite cresce inglória ao teu fulgor
Dançando no vento como um prisma
Brilhando o frio da madrugada em torpor

Os ares nebulosos se entrelaçam
Formando desenhos abstratos instigantes
Um mistério de cores azulejadas de amor

Num encanto que me fascina a alma,
Cria uma energia em meu pequeno corpo
Arrepios e êxtases de prazer absoluta cor

Eis-me a teus pés em oração, oh Lua!
A singela inspiração que me tens absoluta
Ao deitar meu sono em teus lilases de dulçor

Taiaçupeba
Fazenda Pedra Branca
Mogi das Cruzes - SP
20/05/11

Recanto das Letras
Código do texto: T2983071

2012

  Índice de autores