Theca Angel

 

 

Nome:  Theca Angel

Profissão:
Psicóloga e Professora Universitária

Quer falar um pouco da terra onde mora?
Moro  entre Americana e São Paulo. De uns tempos para cá, mais em Americana onde estão meu filho, nora e netinha. É uma cidade bonita, limpa, tem muito verde, parques, praças e aqui fiz muitos amigos. Amo São Paulo onde vivi minha vida quase inteirinha. Sou filha do asfalto, da poluição, dos arranha-céus e da comodidade que nos proporciona esta grande metrópole. Americana foi fundada por americanos que aqui estabeleceram tecelagens e até hoje é a cidade das fábricas têxteis. É uma cidade rodeada por plantações de cana de açucar e próxima de Piracicaba, Sorocaba, Campinas, Sumaré, Nova Odessa. Dista 130 km de São Paulo.

Quando começou a escrever?
Minha primeira poesia foi feita aos seis anos e chamava-se Atíria (nome de uma borboleta que havia em um livrinho de histórias) .
Lembro que minha avó corrigiu meus errinhos de gramática porque estava no primeiro ano escolar.

Teve a influência de alguém para começar a escrever?
Minha avó sempre me incentivou muito. Ela lia comigo livros de histórias e poesias infantis em italiano. Era professora. Dava aulas para filhos de imigrantes.

Lembra-se do seu 1º trabalho literário?
Para considerar trabalho literário, realmente tenho que chegar ao meu terceiro ano como professora quando editei para a biblioteca das Escolas da Prefeitura de São Paulo, onde trabalhei, vários livrinhos infantis. Devo a edição dos mesmos ao incentivo de colegas de trabalho e de uma supervisora que também é escritora. 

Foi divulgado (como)?
Sim, nas escolas da Prefeitura, com encadernação muito simples para as crianças aproveitarem ao máximo e também escreverem sobre os vários temas. Era uma espécie de estímulo para novos valores surgirem.
 
Tem livro (s) impresso (s) (editora e ano)?
Esses livros infantis citados , em número de dezoito. Não me recordo mais o ano exatamente. Não me restou um único exemplar, perdidos que foram em mudanças de escolas nas remoções, mas foi por volta de 83/84.

Tem livro(s) electrónico(s) (e-books), editora e ano.
Sim pela AVBL em 2003/2004. Três livros...

Projectos literários para este ano de 2008/09?
Estou escrevendo um romance sem data de término.

Como vão ser editados?:
Ainda não pensei no assunto. Estou no terceiro capítulo...somente....
 
Fale-nos um pouco de si, como pessoa humana?
Sou morena, tenho 1,70, cabelos escuros, olhos castanhos. Sou alegre por natureza, adoro a vida, ter amigos, conversar, receber em casa, fazer pequenos encontros em barzinhos, almoçar ou jantar com meus filhos, brincar com a Isabella e ficar perto de quem amo.
O que mais gosto mesmo é de escrever. Também gosto de desenhar, pintar em telas emborrachadas com tintas à óleo e bordar com lantejoulas. Gosto também de pintar com a técnica do cordão, tipicamente nortista. Sou separada e tenho dois filhos lindos (de verdade, sem corujisse!) um advogado e um engenheiro, e uma netinha de lindos olhos azuis-violeta e cabelos longos e negros. Uma beleza!

Como Escritor (a)?
Gosto muito de escrever romances e poesias. Não me considero poeta. Escrevo somente o que me dita o coração e a alma. Poetas são os que escrevem para todos os tipos de leitores, que possuem o dom de encantar descrevendo tudo o que existe em versos. Eu escrevo principalmente sobre a vida e o amor.

Para se inspirar literariamente, precisa de algum ambiente especial ?
Não... por incrível que pareça escrevo em qualquer lugar... consultórios médicos, quando vou tomar banho, deitada, vendo tv, em qualquer lugar mesmo... Até começo a escrever uma poesia, paro e continuo quando der...

Tem prémios literários?:
Alguns, mas não sou muito chegada a coleciona-los. Agradeço e pronto... Não divulgo.

Tem Home Page própria (não são consideradas outras que simplesmente tenham trabalhos seus)?
Sim, tenho no portal I Love mas está em fase de revisão.

Conhece as vantagens que os Autores do CEN têm em ter sua Home Page ou (e)  Livro (s) electrónicos, nos nossos sites?
Ainda não compreendi as vantagens corretamente. Vou procurar me informar entrando em contato com os responsáveis, quem sabe não fazemos um outro site juntos.

Que conselho daria a uma pessoa que começasse agora a escrever ?
Que escreva com a alma. Não tenha medo de se expor, errar... é assim que vamos progredindo e penetrando nas almas das pessoas que nos lêem.

Para terminar este trabalho, queira fazer o favor de mandar um pequeno (e original) trabalho seu (em prosa ou em verso) ?:
Este é um trecho do primeiro capítulo de um segundo romance iniciado há alguns meses e que se encontra em fase de pesquisa histórico-geográfica.

"Ela estava sentada diante da janela e seus olhos vagavam pelo campo em frente à casa. A tarde estava quente e o céu límpido. Julia gostava da quietude que tomava conta da pradaria  naquela hora. Era seu momento de alheamento, de sonhar, dar liberdade aos pensamentos para que fossem em busca de seu amor... Pedro partira há já alguns meses. Tinha ido até a cidade grande para  procurar seus pais. Não recebia notícias dele desde o início de setembro e já eram meados de outubro. Julia se preocupava. Sua imaginação já a havia feito mergulhar em desespero, pranto, angústia, mas agora, quieta, deixava que doces lembranças a envolvessem. Pedro era o homem de sua vida. Seu primeiro e único amor. Julia tinha somente dezesseis anos e Pedro estava com vinte e dois. Aparecera em sua casa, naquelas colinas verdes e brilhantes cerca de dois anos atrás. Procurava trabalho na colheita do café. Os pais de Julia precisando de mais braços na lavoura, o acolheram. O amor chegou junto com Pedro. Bastou um primeiro olhar e Julia estava refém dos lindos olhos negros de Pedro. Ele também sentiu-se atraído por aquela quase menina de cabelos cor do sol, olhos iguais às folhas das árvores, corpo jovem, forte, mãos marcadas pela lida diária na casa. Era ela que fazia todo o serviço doméstico e cuidava das poucas vacas, tirava leite, fazia o queijo e também plantava a pequena horta atrás do pomar. Após dois meses de olhares trocados, sorrisos e sussurros escondidos, Pedro se aventurou a pedir aos pais de Julia que permitissem o namoro. À principio nada contentes, aos poucos o pai de Julia temendo perder a filha, que via apaixonada, consentiu. Ficaram noivos seis meses depois. Tinham muitos sonhos, queriam casar logo, ter filhos, uma família, e por esse motivo Pedro partiu a procura de seus pais. Queria que viessem conhecer sua futura esposa. Partiu já sentindo saudade e deixando a jovem muito triste mas cheia de esperança. Iriam casar-se quando ele retornasse. O que estaria acontecendo? Porque Pedro não voltava? Teria encontrado seus pais? Será que a amava ainda? Dos olhos tristes da menina-moça lágrimas que pareciam pérolas escorreram... Sentiu uma pontada forte no peito. Não queria mais pensar. Tinha a sensação de que não mais veria Pedro. O destino que os unira de forma tão bonita, tramava contra eles... Pedro , seu amor, onde estaria?"

 

QUEM SOU...?

Theca Angel

 
Se em algumas páginas torno-me poesia
convido o tempo a emoldurar-me a ousadia
E na dança que se faz em letras... a nostalgia
compõe com minhas rimas nebulosas fantasias!

Não exponho em tela os meus ou teus pecados
Enveredo por palavras na sanha que se avia
em entorpecer-me a alma com teus cânticos,
tecendo de minhas ilusões mais puras, a anatomia!

Reclino-me frente aos teus olhos peregrinos
que desfilam quimeras ante o que exponho
Desnudo-te minha alma e assim nua e indefesa,
a ti apresento a vida naquilo que componho!

Se em teu corpo penetrei na forma mais contrita,
de minha essência doei a imagem mais perfeita.
Na dor , no pranto, me individualizo contrafeita
e por teu encanto desfaço meus anseios em rimas!

Sou uma imagem, luz e sombras, cores fugidias...
A povoar-te de romance os sonhos mais quietos
Sou em ti, de toda a amplidão o mais sutil espectro
O acalanto de tuas noites adejando a mente insone!

Resvalo afoita e em meio aos desejos teus, me perco.
Vem toma de mim tudo o que sei ou que possuo...
Desfaço-me dos sentimentos e a ti entrego-os todos
Se há em meus versos lágrimas, que doce seja o encanto!

Recolhe como dádiva cada gota de minha alma vertida.
Entorpecida busco dos deuses a inspiração no Olimpo
Envolta em nuvens sussurro divagando por teus dias
Diz-me... Quem sou? Quem és? Se em ti sou poesia...

Respeitem os Direitos Autorais
theca-angel@terra.com.br





DESTINO!

Theca Angel
 

Esqueço de mim na noite que nos envolve
Permito tranquila que ela me penetre e revolva
os sonhos que em meu coração jaziam adormecidos.
Deixo que desperte em meu ser, o amor jazido!

Uma noite que nos acolhe trazendo mil promessas
Braços que apertam em incontido enlace.
No silêncio...somente o arfar  louco, entre beijos
Penumbra reacendendo ilusões que renascem!

Porque o castigo de amarmos em segredo
se nosso maior desejo é poder gritar ao mundo,
que se nos amamos nada existe de profano...
Não importa que todos nos apontem censurando!

É preferível viver segundo os sentimentos
a nos amarmos, condenados ao esquecimento...
Não há nas almas que se querem um maior tormento
que escorrendo o tempo estarmos tão distantes!

Há nos corpos o desejo explodindo em lavas.
No seio o adormecido encanto a devorar as almas
Nas mãos sôfregas a ânsia por nos tocarmos
Na mente a insistente paixão a consumir-nos...

Nada senão a morte poderá separar-nos
e se a maldade tentar desviar nossos caminhos,
ainda que nos atinja o limite do infinito
nada conseguirá desatar nossos destinos!


2008

 Índice de autores