SEBO LITERÁRIO

 

Antônio Paiva Rodrigues

 

Crônicas

Pág. 4 de 25 Pág.s

A Besta Apocalíptica

 


Muitas pessoas já ouviram falar nessa palavra (besta), mas fazem confusão sobre a sua sinonímia. Muitos dizem que através dos tempos surgirão os sinais da Besta. “Reza o Apocalipse que a Besta poderia dizer grandezas e blasfêmias por 42 meses e que seu número é o 666”. Será que pessoas de bom senso levam isso a sério? Antigamente o calendário era da seguinte maneira: um mês equivale há 30 anos logo 42 meses equivalem há 1260 anos. Sentença matemática: 42×30= 1.260 anos. Exemplificando para se ter mais firmeza quanto ao calendário, por exemplo: o ano de 1800 depois de Cristo equivale a 60 x30 que é igual aos 1.800 anos de hoje. A idade dos idosos, conforme a Bíblia aparece em várias cifras. Sabemos que a idade atribuída a alguns personagens não era real, mas puramente simbólico. Exemplos: 80 anos para Berzalai; 84 para a viúva Ana; 120 anos para Moisés; 110 anos para Josué e José; e Matusalém o mais idoso que a Bíblia tem notícia viveu 969 anos.
O ser humano nunca viveu tanto e este número reflete “muitos anos’ de vida abençoada por Deus”. Os próprios Salmitas dizem que a vida chega há 70 anos e somente os mais notáveis chegavam aos 80 anos (SL 90:10). Para os que leem e gostam da Bíblia já observaram que o rei de Judá, Asa, no fim da vida, em idade avançada, sofreu reumatismo nos pés, já idoso reconhece que já não mais pode deslocar-se. Jesus lembra a Pedro: “Quando eras jovem, tu mesmo amarrava teu cinto e andava por onde querias , quando, porém fores velho, estenderás as mãos, e outro vai te amarrar e te levará para onde não queres ir”. (Jo 21,18). Alguém há de perguntar: se um Mês equivale há 30 anos, então quantos dias tinha um mês naquela época? Boa pergunta. O ano 607 corresponde à criação do papado. Já o ano de 610 o papado se consolida – período de 1260 anos ou 42 meses é igual ao ano de 1870, que seria 260+610=1870. Neste ano vem o decreto da infalibilidade Papal, a decadência e ausência de autoridade do Vaticano.
Já no período de 1799 a 1857 vêm os seguintes acontecimentos: em 1799 – Assembleia de Espíritos Sábios e Benevolentes, em 31/12/1799. Em 1804-acontece o nascimento de Allan Kardec na França. De 1857/1869 – surge a Codificação da religião Espírita. Em 1910 a volta de Allan Kardec como Chico Xavier. “O Sumo- Pontífice da Igreja Romana usa os títulos de: “VICARIS GENERALIS DEI IN TERRIS”; VICARIVS FILII DEI e DVX CLERI” são sentenças latinas que a Igreja Romana adotou. “Fazendo-se a tradução para a língua mãe (Portuguesa) teremos: Vigário Geral de Deus na Terra; Vigário Filho de Deus e Príncipe do Clero”. A Besta diferentemente do que se imagina e do que vemos escrito por aí vem significar todos os seres humanos ignorantes, deseducados, com instintos bestiais, e que não vivem de conformidade com a Lei de Deus, ou seja, são todas as pessoas que vivem uma vida com maus e baixos sentimentos e ligados e presos somente às coisas da matéria.
Esta sinonímia vem clarear as palavras do Mestre Jesus quando se dirigia ao Monte Tabor e convidava um jovem para segui-lo. O jovem não nega a Jesus, mas afirma que não poderia segui-lo naquele momento, visto que teria que enterrar seu pai, então Jesus disse ao jovem: “deixai que os mortos enterrem seus mortos”. Os mortos que a Bíblia cita são justamente os seres humanos que estão inseridos na definição da “Besta”. Sobre as palavras latinas escritas em algarismos romanos fazendo distinção a igreja católica, se usarmos o valor dos algarismos romanos todas as três citações vão dar 666, que é o número da “Besta”, coincidência ou não é de difícil confirmação.
No ano 2.100 que corresponde ao número de meses vezes o número de anos corresponderá ao número 70, que será à saída de dezena 6 , ou seja , saída da “Besta” e a chegada do Mundo Regenerador e da Humanidade Regenerada. Queremos salientar que nada temos contra a igreja católica apostólica romana, pois somos oriundos dessa religião, mas temos que afirmar que ela foi fundada em 381 depois de Cristo -pelo Imperador - Teodósio I, através do decreto imperial “Cunctus Populus” (com os povos é uma realidade). É bom que se frise: O papa Bento XVI afirmou que se sente consolado pelo fato de os santos terem sido homens pecadores. Foram imperfeitos e iguais a todos os seres humanos, que pisaram o orbe terrestre. Esqueceu Vossa Santidade de incluir seu nome no rol dos pecadores. Ressalte-se que no ano 884 da era cristã, o Papa Adriano III instituiu a “Canonização dos Santos”. Título inventado ou criado por eles. Qual a disputa entre os santos? “Os santos não caem do céu, porque verdadeiramente eles não existem, são espíritos um pouco mais evoluídos do que nós”.
Ninguém leva para o mundo espiritual título adquirido ou conquistado aqui na Terra. Fazemos aqui uma comparação entre Jesus e os papas: Cristo teve uma coroa de espinhos, os papas usam coroas de ouro e brilhantes; Cristo lavou os pés dos seus apóstolos, os papas davam os pés para reis e vassalos beijarem; Cristo pagou os tributos, os papas cobram-nos com usuras; Cristo nutria seus cordeiros, os papas eram nutridos por eles; Cristo era paupérrimo, o papa é o monarca mais rico; Cristo não quis títulos honoríficos, os papas monopolizaram até a Santidade; Cristo levou a cruz no ombro, os papas eram levados ao ombro por nobres; Cristo expulsou os mercadores, o papa acolhe-os com agrado; Cristo pregou a paz, o papa abençoa a guerra e as armas (vejam a guarda do Vaticano).
Segundo João Evangelista a ICAR é totalmente paganizada e foi frequentada pela ralé da época, mas fica um alerta procurem estudar uma igreja que foi criada na Síria Capital do Império Romano e que recebia somente o nome de católica. Grandes homens faziam parte dessa igreja tais como: Thomas de Aquino; Inácio de Antioquia; Agostinho entre outros. Antioquia, à margem do Orontes, a capital da província romana da Síria, terceira cidade do Império depois de Roma e Alexandria ocupa um importante lugar na história do Cristianismo. Foi aqui que Paulo de Tarso pregou o seu primeiro sermão cristão (numa sinagoga), e foi aqui que os seguidores de Jesus foram chamados pela primeira vez de cristãos.
Foi preso por ordem do imperador Trajano (98 – 117 d.C) e condenado a ser lançado aos leões no Coliseu em Roma, as autoridades romanas esperavam fazer dele um exemplo e, assim, desencorajar o cristianismo, porém sua viagem a Roma ofereceu-lhe a oportunidade de conhecer e ensinar os conceitos cristãos, e no seu percurso, Inácio escreveu seis cartas para as igrejas da região e uma para um colega bispo. Ao falar sobre sua execução, Inácio disse a famosa expressão: “trigo de Cristo, moído nos dentes das feras”. E na iminência do martírio prometeu aos cristãos que mesmo depois da morte continuaria a orar por eles junto de Deus: Meu espírito se sacrifica por vós, não somente agora, mas também quando eu chegar ao a Deus. Eu ainda estou exposto ao perigo, mas o Pai é fiel, em Jesus Cristo, para atender minha oração e a vossa. Que sejais encontrados nele sem reprovação. Santo Inácio escreveu sete cartas: Epístola a Policarpo de Esmirna, Epístola aos Efésios, Epístola aos Esmirniotas, Epístola aos Filadélfos, Epístola aos Magnésios, Epístola aos Romanos, Epístola aos Tralianos. Pensem nisso! Muito se tem especulado através do tempo sobre a identidade da besta.
Cada vez que se levanta algum personagem mal de influência mundial, como sucedeu com Benito Mussolini ou Adolf Hitler, muita gente tem proclamado: “o anticristo veio e com ele o fim do mundo”. Supostamente, já sabemos em que terminaram tais afirmações.Por outra parte, escritores e produtores de cinema têm materializado suas fantásticas teorias em filmes de terror onde apresentam a besta como um monstro terrível que perseguirá aos habitantes da terra para marcá-los com o 666 na fronte ou na mão “O Despertar”, por exemplo, apresenta a artimanha do demônio, Damián, como o anticristo. O mundo religioso, do qual se esperaria maior unidade a respeito, não pôde estar de acordo quanto à identidade da besta: uns ensinam que a besta já veio na pessoa de Nero, Diocleciano ou Epífanes. (jesusvoltará.com. br /) Outros afirmam que a besta ainda não veio e quando se manifestar se apresentará como um governante de êxito, o qual, de repente, mudará e subjugará despoticamente o mundo instaurando seu trono em Israel.
Curiosamente ambos, os preteristas como os futuristas dizem basear suas conclusões na Palavra de Deus. Quem tem razão? Como estarmos seguros? Não esqueçamos “que nenhuma profecia da Escritura é de interpretação privada”, e que, é necessário que permitamos que ela mesma seja quem nos revele passo a passo o significado de seus símbolos. Vejam a confusão que se forma em torno da definição da “Besta”, mas a mais plausível de se entender é a definição sobre todo ser humano que veio a este mundo pregar o mal e se imantar as coisas matérias.

Antônio Paiva Rodrigues*

Livro de Visitas

       

Para pág. 5