SEBO LITERÁRIO

     

 

Naida Terra

 

 
 

Mariana de Pontejos

 
 
 
POESIA
Pág. 14 de 14 Pág.
 
 
 

CANTEI AMOR E FELICIDADE
Naidaterra


Cantei a estes teus olhos meu amado,
belos, gentis e tão formosos...
Cantei a felicidade pelos doces frutos
que nas estações me destes...
Cantei as estrelas pela alegria
de um amor derramado que aqueceu
meu coração outrora tão inquieto...
Cantei a felicidade para uma frondosa
roseira que se abria em botão,
cantei amor e felicidade para as folhas viçosas e,
ao divino pintor em tela fina, cantei o amor
desenhado em meu coração...

Naidaterra
07/2011

 
 

À DERIVA
Naidaterra


Solitária, não consigo definir
o que sinto e, me vejo num vazio
sombrio, frio e agoniante.
Só ouço meus próprios ecos,
num imenso e profundo silêncio...
Devaneio perdida, ilusões perdidas
diluídas num espaço sem fim...
Ah, se eu pudesse tê-lo em meus braços
novamente... não posso... que desespero!
À deriva, triste e só, sobrevivendo
da tua imagem entalhada no meu
saudoso coração...

Naidaterra
11/2011

 
 

O AMOR NÃO
TEM SENTIDO...
Naidaterra


Se o amor sentido tivesse,
talvez poderíamos defini-lo...
É uma trama, uma teia perfeita
que nos envolve de tal forma que,
mesmo pressentido, o consentimos...
E o rio exausto, se aquieta,
não consegue apagar fogo
latente...

Naidaterra
11/2011

 

OUTONO DAS EMOÇÕES
Naidaterra


Ah, como eu não queria...
Mas como ultrapassar o
inevitável outono das emoções...
Baila a folha e canta o vento os
meus segredos de outrora que,
apesar de ser única a bailar,
logo escolhe cair no rio que rola
para o mar que bate nos rochedos,
abrindo fendas... e vai...

Naidaterra
Nov/2011

 

 

SUBLIME VENTURA
Naidaterra


Tanto que te quero... devaneio...
O amor houve por bem planejar um encontro
de nós dois, eu quis, você quis e juntos,
vivemos a real essência da tal felicidade...
Pelo fulgor da minh'alma agora, eu digo,
de querer-te tanto, eu disse sim aos meus
desejos e vivi um dia nos teus braços,
inesquecível momento que ainda é "hoje" e,
revivo o que eu vivi, um amor profundo
que nunca está distante, doce saudade
que me leva adiante... e devaneio...

Naidaterra
Nov/2011

 
 

NÃO VIVEREI SEM TEU AMOR..
Naidaterra


Dirão por certo que enlouqueci...
Talvez... não sei... só sei que,
desde o dia que te conheci,
incendiou-me de um louco amor,
em você só falo, só penso e,
são teus olhos, meu sol...meu guia...
Repouso da minh'alma, medida exata
que sacia meus insanos desejos,
sem você, eu sei, não viverei...
Sem teu amor, deixo de existir,
me desprendo de mim mesma e,
morrerei...

Naidaterra
Nov/2011

 
 

MÍSTICO AMOR
Naidaterra


Não tem mais jeito...
Encontraram-se nossas almas e
foi mútuo o sentimento... eu sei...
Liberta teus sonhos, peca, erra, ouse
por nosso amor apaixonado,
sonho meu, sonho teu que pode
se encerrar num só peito...
Assim, tão apaixonada, não tente
não ouvir os rogos meus, não tem
mais jeito esta paixão no meu peito,
no teu peito, amor não se apaga...
Entramos um na vida do outro,
ceda aos desejos dos teus olhos e
vamos viver esta paixão sem medida,
meu místico amor...

Naidaterra
Nov/2011

 
 

COISA GOSTOSA
Naidaterra


Coisa gostosa este sentir.
Renasce o amor dentro do meu peito,
feito um filamento fino... inefável.
Coisa que não se vê. Só sente!
Prazeroso sabor da verdadeira seiva,
aquela, que é além e anterior a tudo...
Alguma coisa gostosa em sua
forma pura... única...

Naidaterra
Março/2012

 

Livro de Visitas

    

Para Índice  de  Sebos