Sebo - Silvino Potencio

SEBO LITERÁRIO

 

autor

 
Silvino Potêncio

 

 

 

Resumo Auto Biográfico:

“S. S. Potêncio” - (Silvino dos Santos Potêncio) ou Silvino Potêncio é natural da Aldeia de Caravelas situada no Concelho de Mirandela – Trás-Os-Montes - Portugal.
- Autor da obra “Crônicas da Emigração” – com o sub-título de “Catramonzeladas Literárias”, ele reune neste volume uma colectânea de crônicas em ordem não cronológica alusivas às décadas dos anos 60 e 70 do século vinte, incluindo algumas vivências directamente relacionadas com o período da época da “Descolonização” dos territórios do Ultramar Português.
- Autor também do livro de poemas com o título de “Curriças de Caravelas – Trovas Comentadas” como sendo este trabalho, uma colectânea de versos e trovas comentadas sobre os usos e costumes da Aldeia típica Transmontana, o livro está parcialmente publicado em forma de textos e excertos virtuais.
- Tem também escritas centenas de crônicas virtuais, sobre diversos temas, além de um livro de poemas sentimentais com o título de “Eu, o Pensamento, e a Rima” cujos versos aqui colectados remontam, na sua maioria, à época em que viveu em Luanda-Angola.
Nos anos de 2005 e 2006, escreveu uma nova série de crônicas entituladas de “OS NÏZCAROS”, sendo estas uma crítica alusiva a diversas campanhas de caracter politico-social actualizada da sociedade contemporânea Lusitana do período pós 25 de Abril de 1974 em diante.
Em andamento permanente tem o autor um BLOG onde publica textos da sua autoria sob o tema genérico de série “Os Gambuzinos” no qual se situa, por analogia critica à sociedade actual no mundo social Lusófono, e contemporizados que são periódicamente no Blog os textos do mesmo nome: http://osgambuzinos.blog.com
- Dentre as últimas obras deste autor, está em construção sob o título alegórico – ainda não definitivo - “Estórias de Um Caixeiro Viajante”, de onde se extrairam textos e versos comentados, inseridos no subtítulo “UM CONVITE P’RA TOMAR CHÁ”!!!... o qual está resumido em E-Book (livro electrônico em circulação livre via internet).
Através destes contos e pequenos ensaios, o autor mistura as palavras utilizadas no linguajar popular mais fluente, o da fala coloquial mais corriqueira, e livre de regras gramaticais, com expressão literária destituída de quaisquer preceitos filológicos, que se escutam no dia-a-dia principalmente em blogs e salas de encontros virtuais!,...
E aqui neste volume ele procura transmitir ao leitor uma forma de mixagem entre a poesia, o caricato, o trocadilho, a ironia e o sarcasmo entre o éticamente correcto e o relacionamento social actual em forma de chiste!...
E, não raramente, o texto é levado ao exagero para ressaltar absurdos da mente humana ainda que domesticada ou até mesmo influenciada profundamente pela regra dos bons costumes e da moral social e colectiva contemporânea, do ambiente onde se desenrola cada conto, cada ação, cada evento inventado... apesar de sempre mostrar uma situação únicamente imaginária, sem depoimento testemunhal ou prova de facto acontecido.
- Outro detalhe que também ressalta aos olhos do leitor por ventura desavisado, é a forma de utilização de palavras em tom corrido,... de escrita sem fonética, ou com articulações entre-silábicas, as quais redundam em afirmações anedóticas para circunstâncias menos patéticas. A intenção é provocar a perspicácia adormecida para algo inusitado...
- Ó páaaa já pagaste o imposto!?...
- Eu já paguei o IVA... lá um sujeito saber undé kisto vai parar karago!... tá tudo pla óra da morte!
A escrita é livre, tanto em poema como em prosa!...
E assim deixa-se o leitor em frente a vários termos e verbetes, usados pela literatura atual, mormente no eixo Luso-Brasileiro, com algumas pinceladas, aqui e acolá, de raízes de palavras originais, vindas das mais remotas origens do palreio e do jargão popular das terras do interior, tanto do nordeste Transmontano, onde perduram bastas influências do Galaico-Duriense, a par e passo com outros termos utilizados no Nordeste Brasileiro, além de algumas pinceladas de vocábulos de dialectos de outros países de Lingua Portuguesa."
Do ponto de vista literário “Silvino Potêncio” segue um esteriotipo mais ou menos hilariante, entre o sério e o caricato!... É pura ironia com laivos de hipocrisia e humorismo fonético, com uma tendência terminal de trocadilhos e aforismas linguísticos, sobretudo mordazes, em uso pela grande massa popular face aos múltiplos sentimentos do dia a dia de cada ser humano e as suas respectivas atitudes em colectividade.
- Atualmente, o autor é residente em Natal (Rio Grande do Norte) – Brasil

Algumas Obras do Autor que aguardam revisão para publicar:
1 – “Eu, o Pensamento, a Rima” – livro de poemas.
2 – “Curriças de Caravelas – Trovas Comentadas” – versos e prosa sobre a Aldeia Transmontana.
3 – “Crônicas da Emigração – Catramonzeladas Literárias” – textos e narrativas.
4 – “Os Nizcaros” – crônicas e narrativas de criticas politicas e sociais.
5 – “Os Gambuzinos” – crônicas, contos, ensaios e textos hilariantes.
6 – “O Código Dá Vintch Cinco de Abriu-loooooo”... – depoimentos, transcrições, relatos relacionados com a descolonização Portuguesa do Ultramar.
7 – “Estórias de um Caixeiro Viajante” – textos e narrativas de contos humorísticos.
8 – “Poesias Soltas” – livro de poemas em colectânea aberta

 

 

 

 

Índice

 

(clique em pág X )

Página2
Ate que Deus e o Fado nos junte

Carta ao Comandante das FARC Nacionais... Luz & Tanas

“O Código Dá Vintch Cinco de Abriu-loooooo!...”

A Festa do Santo Ambrósio em Vale da Porca!

 

Página3
A Minha saudade!...
Beco da Lama !
Eu Vi... Alegria nos Céus!

Poema de Forma Incompleta

Por ela fui ao céu!
Amor da Minha Mãe!!!

 

 

 

Página2

 

 

 

Registre sua opinião no

Livro de Visitas: