Sebo - Antologia - por Maria Beatriz Silva (Flor de Esperança)lfredo Santos Mendes

30 -

ODENIR FERRO

Sou Odenir Ferro, Escritor e Poeta, e o meu blogger é: odenirferrocaminhopelasestrelas No dia 02 de Julho de 2010, fui nomeado Embaixador da Paz, pelo CERCLE UNIVERSEL DES AMBASSADEURS DE LA PAIX, SUISSE/FRANCE! O meu Poema PAZ MUNDIAL é o meu poema mais lido em diversos países, através do meu blogger acima. Sou escritor, poeta, membro da Ordem da Confraria dos Poetas / Brasil, desde 1.999! Participei em muitos Livros de Coletâneas de Livros de Poesias e em Eventos Literários realizados na Cidade de São Paulo, organizados por esta Ordem. Publiquei um livro individual, O Melhor da Poesia Brasileira (Íntimo & Códigos!), em 2008. Publiquei o livro infanto-juvenil & aventura, Nino Chaninho O Gatinho, em 2009, e que já foi traduzido para o idioma Inglês no ano de 2011, e que está sendo comercializando nos U.S.A,no Canadá, Portugual, Espanha e demais países de Europa, pela Editora Livro Novo. Em 2010, também o e-book Caleidoscópio Interior, pela Freitas Bastos E-book. Recebi troféus, medalhas, diplomas, em Eventos Culturais promovidos pela Ordem da Confraria dos Poetas. Publico a cada semana, um conto ou um poema no Site, Site este que pertence à Ação Educacional Claretianas, Rede de Faculdades espalhadas pelo Brasil, cuja sede é aqui em Rio Claro, Estado de São Paulo, Brasil. Agora, no mes de Março de 2012, será lançado no Gabinete de Leitura Lenyra Fracarolli, aqui em minha Cidade Natal de Rio Claro, Estado de São Paulo, Brasil, o meu Livro de Poemas, Às Meninas que sonham (Pétalas d'água) que está sendo produzido pela Editora Multifoco, localizada na Cidade do Rio de Janeiro, RJ Brasil!
http://www.poetasdelmundo.com/Poetas/7565/Odenir%20%20Ferro
http://livronovo1.lojatemporaria.com/infanto-juvenil-aventura.html
http://stores.lulu.com/editoralivronovo
http://www.editoralivronovo.com.br 

DENTRO DO AQUI E DO AGORA

Quero sintonizar as texturas do meu corpo

Para que ele fique bem parecido com algum

Bom instrumento musical. E assim, possa então,

Ajustar-se com as mais perfeitas Sinfonias Regentes

Pelas Divindades da Orquestra Atemporal do Universo!

Com todas as suas nuanças, quero diluir a minha alma,

No encantamento extraído da pureza das tintas agnósticas

Compostas nas essencialidades alquímicas, das metafísicas

Dos amores e dos sonhos entrelaçando-se com a realidade!

E assim, desta abstraída maneira, sintonizar-me nos plurais

Do meu eu, dentro do Aqui e do Agora!

Com a paleta etérea dos assopros da Divindade,

Misturar as cores mais nobres que há na Sabedoria

E desta forma poder criar uma linda tela imaginária

Aonde eu poderei Nortear os meus mais sublimes

Dos meus afetivos sentimentos, ao direcionar-lhes

Um mapeamento elaborado nas transcendências

Direcionadas à imortalidade do Verbo do Amor!

Desejo muito, tecer com os impulsos

Elétricos, ágeis, vibrantes, das minhas mãos,

Toda a composição da alma atuante nas minhas

Paixões! E dentre elas, esse febril encantamento

Que tenho e que vibro e que sinto pela Vida plena

Atuante nesta Natureza forte, pura, colossal e bela!

Desejo suplantar todas as dores,

Transformando-as nas nítidas e fluentes

Cores do Amor! Para que perdurem fiéis,

A constância e a realidade da Paz extraída

Da concórdia entre todas as pessoas,

Animais, e plantas!

E mediante a tudo isto,

Desejo acreditar e sonhar,

Vivendo com as belezas reais

De mais um Ano Novo, pleno

De bem aventuranças para mim,

E para toda a Humanidade também!

Odenir Ferro

 

31 –  

MÔNICA J S SANTOS

Mônica J S Santos, interessou-se pelas escritas a partir de um convite, a uma antologia e ali começou e não parou mais... Quando adolescente, escrevia versos não dando importância as tuas escritas, mas, sempre amando os versos e tuas rimas... Hoje escreve seus pensamentos, sonhos, conquistas e ainda consegue escrever pedidos de amigos... E com alegria inicia sua primeira composição música "TENTEI". Mônica...Carioca, mora em Jacarepagua Rio de Janeiro.

CHEGOU ASSIM



Chegou assim, 
Já tirando meu sono, 
aumentando meus sonhos 
e minhas ilusões... 

Chegou a mim, 
Já tirando meu sossego, 
revelando segredos, 
guardados em meu coração. 

O que queres de mim, 
vai chegando assim, 
despertando desejos meus, 
assim sem pedir... 

Não faz assim, 
Assim você me maltrata 
e me deixa sem graça, 
Já nem sei mais o que pensar. 

Chegando assim, 
despertando ilusões que eu, 
já nem quero mais entender, 
como e quando encontrei você. 

Mas irei tentar, 
não há nada para atrapalhar... 
Só iremos achar o tom 
para o ritmo desta canção 
E assim continuar... 

Mônica J S Santos 
22/01/2012

 

 

32 -  

FÁBIO AIOLFI

Fábio Aiolfi nasceu no dia 11 de abril de 1988, na cidade de Aracruz, no Espírito Santo- Brasil. É ator, diretor e dramaturgo- Fundador do grupo teatral "Ciranda no Arco-Íris" em 2006. Participou de diversos espetáculos teatrais. Publicou seis livros e recebeu oito prêmios na área das artes pelo Brasil. Destacando o de Melhor Ator no Festival de Teatro Paulo Autran em 2008. Sua peça  Vixe, Maria! (2009) rodou o estado fazendo muito sucesso. Em 2010 recebe o título de Cônsul do Estado do Espírito Santo, pelo Associação Poetas Del Mundo. Em 2012 torna-se membro da união dos embaixadores da paz da Suíça e França.

ETERNIDADE



Foi como uma noite nua,
quando teus olhos... que olhos!
depararam, cruzaram aos meus.
sentir-me fraco, sem saber, sem poder...relutar.
Era sombra do amor novamente,
tuas palavras conduziam-me,
despertavam-me a um encanto de amor.
Roubar-te-ei do meu próprio mundo,
para esconder-te nos mares do meu destino.
És tú, perfeito ser que mim, hoje habitas...
Encanta-me...
com teus olhos... que olhos!
Olhos penetrantes, da magia do amor!
E quando tu me perguntares:
- De que reino és?
Respondo, sem ao menos pensar!
- Do teu! Do teu reino de amor!
Como é linda tua voz, doce
passagens de primavera.
Quero-te para sempre
escrito nos mares de meu destino.
Por que Amo-te!
E entregarei a eternidade pelo teu amor.
Pois é o que faz os corações apaixonados.

Fábio Aiolfi

 

33 –  

FABIO RAMOS DOS SANTOS 

Fabio Ramos Dos Santos é escritor poeta, músico, empresário do ramo financeiro. Nasceu em Lages, na Serra de Santa Catarina, em 04 de novembro de 1980, residente na cidade de Chapecó, no oeste do estado desde 2007. Filho de Carlino dos Santos e Solineti Ramos dos Santos, casado com Uiara Tártaro, papai de Yasminn Tártaro Ramos, nascida em 07/07/2010, iniciou sua carreira artística aos oito anos na música na cidade de Rio dos Cedros, no Vale Europeu de Santa Catarina. Fabio viveu em contato com a arte e a cultura européia, presente em movimentos sociais, esporte, cultura e lazer na cidade em que cresceu, e passando por diversas situações, usou papel e caneta para fazer um verdadeiro amigo, um refúgio para suas lamentações, medos, sonhos, desejos. Bastante contraditório por estudar e trabalhar no setor das exatas, Fabio fez da música e da poesia algo muito forte em sua vida. A princípio seus textos eram apenas rascunhos de papel escondidos, até que amigos e amigas começaram a ler e gostar dos textos, e então começaram a transmitir os mesmos, tornando Fabio conhecido por belos poemas. Em 1996 conheceu o escritor Pomerano Cícero Pedro de Mello, que incentivou e mostrou os primeiros caminhos para tornar-se um bom escritor. Neste tempo a mídia local do Vale, começou a apoiar seu trabalho e depois de muito tempo utilizando diversos meios para divulgar suas obras, Fabio então foi reconhecido e tem textos espalhados por todo o Brasil e o mundo. Em 2007 iniciou participações em livros, como a Antologia Coletânea de Poemas, Crônicas e Contos, “ELDORADO”, Volume IV, pelo Celeiro dos Escritores, e logo em seguida participou da Antologia de Poesia e Prosa de Escritores Contemporâneos “Amor & Paixão”, Volume I, também pelo Celeiro dos Escritores, em 2009 participou da Antologia “Poesia do Brasil”, e do Congresso Brasileiro de Poesia e encontro internacional de Arte, e hoje com diversas participações mundiais em livros e eventos.
Em 2010 pela primeira vez tomou  POSSE em uma Academia, A"ACADEMIA DE LETRAS e ARTES DE BOITUVA – SP (ABLA)", e recebeu o Título de "CHANCELER DAS ARTES" Fabio recebeu DESTAQUE na   "ACADEMIA DE LETRAS DO BRASIL"
http://www.academialetrasbrasil.org.br/FRamospagina.html
www.grupochapeco.com/cultura 
 

ESPEREI, ETERNA EM MIM

Hoje esperei por um abraço,

Não apenas um abraço qualquer

Esperei aquele abraço, Forte, verdadeiro, com sentimento

Não era um abraço qualquer

Esperei aquele olhar penetrante

Não apenas um olhar qualquer

Esperei aquele olhar, que paralisa, que estremece, que...

Não era um olhar qualquer

Esperei aquele afago

Não apenas um afago qualquer

Esperei aquele afago, incomparável, doce acalento

Não era um afago qualquer

Esperei aquele beijo

Não apenas um beijo qualquer

Esperei aquele beijo, impar, quente, voraz, apaixonado, eterno

Não era um beijo qualquer

Esperei aquele aconchego dos teus braços

Não apenas um aconchego qualquer

Esperei aquele aconchego, debruçado em teus olhos,

No afagado em teus braços, saciado em teus beijos, entrelaçado em teu corpo

Não era uma pessoa qualquer

Era VOCÊ, eterna em mim

Fabio Ramos Dos Santos

 

34 -  

ISABEL C.S. VARGAS

Professora, advogada, jornalista, escritora, participação em centenas de antologias. Membro de várias entidades literárias.

ENTRELINHAS

...entre raios, pedradas e metralhas, ficou gemendo, mas ficou sonhando. (Triunfo Supremo) Cruz e Souza

 Esta epígrafe é de um poema do autor citado. Segundo sei é também seu epitáfio. Tal texto não me remete à guerra, conflitos, mas a uma situação relacionada à superação, resistência e auto-estima e que é denominada resiliência. Tal termo é empregado na física para indicar a capacidade dos materiais de voltarem ao estado normal após sofrerem grande pressão ou impacto. Não é usado só na física, mas em outros campos do conhecimento. A psicologia usa o termo para indicar a capacidade que a pessoa tem de se recuperar de grandes traumas, sofrimentos, abalos emocionais e seguir em frente, o que não significa que não foi atingido o bastante. É um enfoque diferente, que ao invés de analisar patologias, analisa ou estuda as respostas positivas do ser humano.
É a capacidade de resiliência que vai explicar porque uns conseguem a superação de tragédias, perdas enquanto outros sucumbem. É estudada também no campo pedagógico.
 A vida do poeta em questão é um exemplo de resiliência. Nascido em Desterro, hoje Florianópolis, filho de escravos foi alforriado e acolhido na casa do Marechal Souza como filho. Estuda mas com a morte dos protetores é obrigado a largar os estudos e trabalhar. Sofre perseguições e é proibido de assumir o cargo de promotor público por ser negro. A sua mulher enlouquece após a perda de dois filhos. Ele morre aos 36 anos. È o maior poeta catarinense.
O que me parece incrível e emocionante e que me induziu ao termo é a colocação de gemer e sonhar e que bem espelha a capacidade em questão. Ser atingido e olhar em frente. Não sucumbir, encontrar forças na própria dor.
Muitos fatores auxiliam ou predispõem à resiliência, entre eles afeto autoestima, laços afetivos fortes, fé, espiritualidade, flexibilidade, bom humor, alegria, tolerância, sabedoria, discernimento.
Dependendo da fase da vida é uma destas características que se sobressai ou grande parte delas entrelaçadas que fazem a rede capaz de segurar a pessoa para não cair, tal qual aquela rede utilizada pelos bombeiros, que além de segurar, aproveita o próprio peso e ainda impulsiona para cima.
Relembrando a vida do poeta, não posso deixar de lembrar certas situações que às vezes parecem tão fortes a ponto de causar mágoa, como perceber-se alvo de ciúme de quem julgava amigo, mas que nada representa a não ser a prova da humanidade de todos nós, tanto de quem assim atua quanto de quem se deixa atingir, afinal cabe a cada um a escolha do caminho a seguir, se carregando mágoas como quem carrega um saco de batatas podres, que além de pesar atinge quem o carrega e quem está ao redor ou enterrando-o para servir de adubo que só fortificará mais os brotos que dali nascerem.
Lembro também pessoas maravilhosas que conheço e são tantas que usaram a dor para serem melhores e são fantásticas, alimentam o sonho, seu e de outros que tem o prazer de serem seus amigos e conhecerem a fortaleza de ternura em que se transformaram.
Por isto apesar dos raios, das tormentas, das dores e dos conflitos é importante ser otimista, permanecer íntegro e cultivar a esperança nas pessoas, no amor, na vida. Mesmo com o coração sangrando.


35 -  

EDILEUZA VIEIRA DA SILVA DE SOUZA 

Edileuza Vieira da Silva de Souza nasceu 19 de Novembro de 1972 em Poço das Trincheiras, no estado de Alagoas, ainda recém-nascida veio para São Paulo sendo criada por seus tios. Desde pequena sempre gostou de pintura, música, teatro, de escrever e ouvir histórias que eram contadas por sua avó paterna e seus pais. Em 1991 formou-se no magistério. Em 2002 começou a lecionar na Rede Municipal de Guarulhos, onde está até hoje. Fez parte como soprano do grupo EduCANÇÃO  um grupo formado por professores da Rede Municipal. Tem desenvolvidos vários projetos na escola voltados para o meio ambiente, ciências e música, e tem trabalhado no projeto Alfabetizando e Letrando Guarulhos desde 2010. Participou de Saraus e algumas peças infantis: “A Floresta Encantada” “ A cigarra e a Formiga” “ O Inverno e o Outono”  ao lado de sua amiga e escritora Tessália Lemos. Em 2004 por gostar de Literatura e Língua Portuguesa formou-se em Letras pela Universidade de Guarulhos ( UNG). Em 2008 concluiu sua pós-graduação em Especialização na Educação Infantil pela Universidade de São Paulo. Participou do projeto Poesias Encantadas e Editora Scortecci, do Organizador Luciano Becalete, onde sua poesia com o título Adormecida foi publicada. Escreve com o pseudônimo “Poetisa Menina” e através das palavras, expressa com simplicidade seus mais puros sentimentos. Seus poemas têm como temas principais: o amor, a vida e a natureza... Tem os seus textos publicados em seu Blog: edileuzavieira.blogspot e Recanto das Letras.

Tú se tornas ETERNAMENTE responsável por aquilo que cativas! O Pequeno Príncipe

“As palavras só têm sentido se nos ajudam a ver o mundo melhor”

 “ Aprendemos palavras para melhorar os olhos” “ O ato de ver não é coisa natural” Rubem Alves

 

ESCUTA-ME

Edileuza Vieira da Silva de Souza

Respeitarei o seu querer

Dorme velarei por teu sono

E assim vou procurar saber

Se faço parte dos seus sonhos

Dorme, dorme em paz

Mas quando acordar

Deixe de olhar para trás

Estou aqui, desejo te abraçar

Pensa, não negue esse pedido

Não guarde o seu olhar, a sua voz

Pode ser melhor, um alívio

E quando tudo passar,

Vai contar seus segredos

Vai saber o que é amar

Poetisa Menina

 

36 -  

PAOLA VANNUCCI 

Escrevo desde os 15 anos. Nasci em São Paulo, em 28/08/1971, no Hospital Matarazzo. Sou filha de Erico Vannucci Mendes e Dirce de Paula e Silva Mendes. Iniciei a Faculdade de Administração em Finanças, mas decidi por não concluir - não era minha vocação. Fui morar em Curitiba em 1996, onde tive duas filhas. Formei-me em pedagogia e exerço atualmente a profissão. Executo concomitantemente trabalhos de digitação, orientação extra escolar, escrevo poesias e artigos de blog. Desenvolvo um projeto pessoal denominado: PROJETO POESIA LIVRE NAS ESCOLAS. O Projeto Poesia Livre Nas Escolas é o resultado da união tripartite das minhas observações e experiências como professora, pedagoga e cidadã. Ao longo deste tempo percebi que as habilidades cognitivas e emocionais dos indivíduos são frequentemente sufocadas por fatores inerentes ao próprio convívio social e a emancipação destes indivíduos é, por vezes, um processo difícil e doloroso, com sequelas que se arrastam até a vida adulta, comprometendo seus relacionamentos reflexivo, empático e profissional. A aplicação do meu projeto em sala de aula resultou, não apenas em desenvolvimento da expressão poética dos alunos, mas também levou aos mesmos a auto-compreensão de suas potencialidades, anseios e, por que não dizer, carências. Em 1989, participei do "1º Concurso Nacional de Poesia”, onde fui premiada com uma Menção Honrosa e participei de outros concursos. Em 2010, na cidade de Santo Antônio de Pádua, no Rio de Janeiro, participei no “I Congresso Nacional dos Poetas virtuais do Brasil”, fazendo parte da equipe organizadora e também declamando poesias de minha autoria. Sou membro titular da “nova Academia Momento Lítero Cultural” com a cadeira nº 27. Atualmente tenho publicações poéticas em Antologias espalhadas por este Brasil: Antologia dos Poetas Virtuais, III e IV; Reflexões para o Bem Viver (Coletânea) Antologia Alimento da Alma I, III e IV: Antologia Beco dos Poetas, I e IV; Projeto Literário Delicatta V; Seleção Poética (I Congresso Nacional dos Poetas Virtuais) Antologia Alma Brasileira – Amor em verso e prosa para as mães; Antologia Alma Brasileira – Amor em verso e prosa; Marginal – Contos de Periferia; Edição Comemorativa de 30 anos do Movimento Poético em São Paulo; Singular o país dos invisíveis; Antologia II da Revista de Poesias.
“nova Academia Momento Lítero Cultural”
http://academiamomentoliterocultural.blogspot.com/2009/05/cadeira-n-15_29.html

A minha volta

Vejo um mundo a minha volta,

Que não condiz com o que sinto.

A Bomba de Hiroxima deveria acabar com a Terra,

Mas dias bonitos de domingo,

Invadem o mundo.

Não os meus e

Sim para os amantes dos parques,

Após deixarem seus lixos em noitadas decadentes.

Vejo um mundo torpe,

Onde ‘grana’ grita a gana de cada ser.

Pobreza está na mente, e,

Se não me sobra ‘algum’?

Não abro janelas ao vento,

Ficaria exposta no desabar de cada prédio.

Varreria corpos dos escombros,

Do mundo nada me consola, e

Estouvados sobre asfaltos,

Vórtices indeléveis, febris seres,

Que nada produzem.

A esperança é perdida,

Ao escutar arengas nos palanques.

Vejo ínvias mentes conquistando o pão da pobreza.

Estou numa bola de neve que degela

A cada morte sofrida,

Enquanto nos ‘UFC’S’ a violência é

Instigada e aplaudida como se fossem mártires dos desertos.

AH! Vida minha!

Sei que sobreviverei das minhas palavras,

Escondendo-me, sem que me vejam,

Nas tais afirmações minhas.

Sofrendo cada dia, vivenciando

A banalidade que o mundo passa

Flanando por covas sem fundo.

Paola Vannucci

29/01/2012

 

37 -  

SANDRA LEONE

Me chamo Sandra Leone, nasci no RJ, filha de Maria da conceição, e Mario Leone, gosto das coisas simples da vida, gosto de escrever e acho que o amor é o combustível do ser humano. Sou feliz por tudo o que tenho, sou mãe e amo a minha família,e meus filhos. Sou amiga, companheira. Escrevo desde os 12 anos de idade, mas por motivos pessoais, fiquei 15 anos sem escrever. Voltei a escrever no ano passado. Escrevo tudo o que penso e sinto. O mundo me ensinou e tem me ensinado a permanecer atenta. Sou e serei sempre, uma eterna aprendiz.
Recanto das Letras
http://www.recantodasletras.com.br/autor.php?id=104604

NO JOGO DO AMOR
Sandra Leone


No jogo do amor
Não te resisto
Ainda que distante
Teu olhar, tua voz, me são sedutores
E eu, tão fragilizada
E totalmente desarmada de pudores
Luto e reluto contra os meus medos
E minha timidez
No meu imaginário
A tua cama é minha arena
Me sinto vencida
Pelos teus carinhos, pelos teus beijos
Pelo teu amor
Me aprisiono no teu poder de sedução
Minha força já não existe
Não consigo dizer "não"
Meu corpo se rende aos teus desejos
Ao teu amor
Por ele, me sinto vencida
Então, não resisto, me entrego

38 –  

GERCI OLIVEIRA GODOY

Gerci é costureira, voltou a estudar após os filhos adultos e começou a fazer oficinas literárias o que ajudou-a ganhar alguns prêmios literários tais como: poemas no ônibus e no trem, Lila Ripoll, Mario Quintana, Expreço das letras, entre outros. Também participou de algumas antologias

Como João de barro

Solitária na noite

me transporto letra

ave terra plantada no fio

pouso alerta

atropelo linhas tortas

galopo paisagem

garimpo metáforas

roubo a sonoridade da brisa

mudo acordes

sou arremedo

poesia

Gerci Oliveira Godoy

 

39  

MARIA DE LOURDES LIMEIRA DE CASTRO

Maria de Lourdes Limeira de Castro natural de João Pessoa, capital da Paraíba. Viveu no Norte mais de vinte anos – dez anos em Rondônia e dez em Manaus – onde labuta na Educação como Professora de Língua Portuguesa e Espanhola. Mãe de Emanuel, Rafaela e Jorge. Membro do Recanto das Letras onde posta suas poesias.
Recanto das Letras
http://www.recantodasletras.com.br/autor.php?id=70517 

Versos de Felicidade



Meus versos? São canção de agosto
Mês abençoado por Deus
Diferente do que dizem; aposto 
Traz muita sorte prá os filhos seus.

De minha lira, trago os versos que canto
Com as bênçãos dos céus
Deixo assim todo o encanto
Do coração meu.

A felicidade é um momento
Que devemos aproveitar
Curta bastante o seu caminhar!

Tudo que digo, faço a cantar
Se não aceita, peço perdão
Seja feliz, meu irmão!

Lourdes Limeira

 

 

 
Para sebo Autores                                         para 5ª pág.

           

 

 

LIVRO de VISITAS