Antologia Virtual
-IV-
PÁGINA 5


 

 

16 -

Ana Maria Peralva Cordeiro
Anna Peralva

Sou Ana Maria Peralva Cordeiro na Certidão de Casamento, mas quando visto minha fantasia e deixo a inspiração transbordar nascentes de emoções em palavras escritas, sou Anna Peralva.
Professora da Rede Estadual de Ensino, mulher, mãe e avó. Um ser humano em busca de aprendizagem e paz interior.
Sou tímida, sensível, sincera e sigo sempre a voz do coração.
Gosto muito do refúgio do meu canto e às vezes preciso mergulhar no silêncio para me refazer das turbulências do tempo.
Sonhadora... Como aprendiz voejo em minhas poesias.Pego carona nas asas do vento e nos meus versos sou água, ar, terra e mar.
Neles tudo sou... Tudo posso...

Ah! Se Asas Eu Tivesse!
Anna Peralva


Ah! Se eu tivesse asas
de pássaros ou do amigo vento!
Voaria solta pelo Universo
buscando por você!
Se fosse como ave,
cantaria uma sinfonia de amor;
se de vento fosse,
desfolharia toda minha dor...
Se borboleta eu fosse,
pousaria em suas mãos
e lá deixaria o beijo mais doce!
Sentiria suas carícias em minh'asas
e resvalaria qual fagulha da noite
crepitando a pele em brasas.
Ah! Se asas eu tivesse,
encontraria o porto do seu corpo...
Ficaria aninhada em abraços
absorvendo da paixão o calor...
Ah! Se asas eu tivesse!
Descobriria o templo do amor,
reconstruiria um ninho e lá viveria;
sorveria esse momento-sentimento,
pelo tempo eterno que eu pudesse!

~ * ~

QUERO TANTO!
Anna Peralva


Quero o canto que não se cala
e canta as emoções do coração,
quero entoado no som da sua fala
belas canções de amor e paixão!

Doces murmúrios ao ouvido
e no abraço, que ao corpo enlaça,
quero sentir o êxtase do sentido
e ter a alma em estado de graça!

Quero tanto, a chama eterna da alvorada
rompendo o tempo, no gozo das madrugadas!

 

 

17 -

Donata Saraceno

Donata Saraceno - Nasceu em Satriano de Lucania, em 14 de janeiro de 1959 – Itália. Residente no Rio de Janeiro, professora de Língua Portuguesa e Redação - Coautora de SOLIDÃO A DOIS, escrita com Marcos Toledo.
Organizadora e julgadora de concursos literários, e colaboradora e organizadora de periódicos, bem como revisora e colaboradora da Minirrevista Literária Contando e Poetizando, cujo editor é Marcos Toledo.

 

Ó TERRA GLORIOSA!


Ó Terra gloriosa
Habitat de nossos Seres
Nos ama e nos alimenta
Nos embala e nos conforta
Nos enche de alegria e harmonia
Agora estamos aqui clamando
Ao Criador
Que a todos salva e regenera
Venha a te curar de tuas enfermidades
Que atingiram o teu Coração
Mas Deus que tudo pode
Que sana e que consola
Só quer que nos unamos
E dissipemos o nosso amor
A todos os recantos da Terra
Principalmente ao Seu Seio maculado
Que sangra e que chora
Por tanta devassidão
Mas Deus que tudo pode
Que sana e que consola
Já tocou o coração do Ser
Nos inunda de fé e compaixão
Nos conscientiza e faz saber
Que tudo pode ser curado pela nossa mão
Pois nossa Pátria, ó Terra gloriosa
Nos abriga e sustenta
Nos ama e alimenta
Nos embala e consola
Nos enche de alegria e harmonia
Só espera o nosso amor
Para acalmar a Sua dor
E sanar todo o Seu Interior
E assim em retribuição
Voltaremos à comunhão
Com toda a criação

E juntos, ó Terra gloriosa
Gozaremos de toda a satisfação
Que o Seu Seio pode nos ofertar
Nos alimentar
Nos consolar
Nos embalar
E por fim para sempre nos amar
Continuando a nos abraçar
E o Seu Canto e o nosso canto enfim harmonizar


 

18 -

EDWEINE LOUREIRO

EDWEINE LOUREIRO nasceu no Brasil em 20 de Setembro de 1975. É advogado, professor de Literatura e Idiomas, e reside no Japão desde 2001. Prêmios literários incluem o Primeiro Lugar: na Categoria Crônica do 6º Desafio dos Escritores (Brasília, 2010); no V Concurso Crônica e Literatura (Minas Gerais, 2011) e no Concurso Miniconto para Dickens (Rio Grande do Sul, 2012). É membro correspondente da Academia Cabista de Letras, Artes e Ciências (RJ). Autor do livro: Clandestinos [e outras crônicas] (Clube de Autores e Agbook, 2011).

 

CACHOEIRAS


Lembranças de uma infância:
lavadas e levadas
por correntezas traiçoeiras.

 

~ * ~


EFÊMERO


Quando penso
que ainda há tempo,
vejo, com espanto,
um fio de cabelo branco.

 

 

19 -

Ana Luiza Braguin

Ana Luiza Braguin Nasc- 07/05/1953 Aposentada. Moro em São Paulo - Capital
Não sou poetisa, mas adoro escrever e colocar meus sentimentos para fora.

 

JOVEM AMOR


Ele me deu seu amor,
em uma noite tranquila,
onde para nós nada mais existia.
O amanhecer rescendia
ao cheiro das flores molhadas
pelo orvalhar da noite.
Os pássaros cantavam as horas,
anunciando um novo dia.
Nós, juntos, esquecidos do mundo,
sonhando um sonho jovem.
Os primeiros raios de sol
brilharam entre as nuvens
e caímos um nos braços do outro.
Nossos corações bateram compassados
em nossos peitos enlaçados...
Contemplamos o dia nascer
e festejamos o amor a florescer.

EuLuizaBraguin
SP;11/02/2011



~ * ~
FLOR DE MAIO


Hoje acordei cedo, e como faço diariamente,
fui contemplar o jardim, com as flores da
minha mãe...
Senti falta do aroma do jasmim, e uma
tristeza invadiu meu peito.
Os antúrios com suas folhas amareladas
em virtude do outono, floridos, agora, com
suas flores nas cores
originais, vermelhos e rosas.
Aos seus pés, várias begônias floridas,
com suas florezinhas miúdas e vermelhas.
A roseira com suas minirrosas de dupla cor -
rosa e branca - carregada de flores, e a roseira
com rosas amarelas lindas , tão
delicadas que qualquer vento despetala.
E a surpresa! A flor de maio começando a
abrir suas primeiras flores, e muitos botões
que não tardarão a abrir,
proporcionando uma linda visão maravilha,
como maravilha são suas flores.
Peguei-a com todo cuidado e carinho,
coloquei-a num lugar
muito especial, uma estante embutida,
na sala, onde coloco os retratos da família.
Retratos dos que amo e já se foram:
avós paterno e materno.
Do amor da minha vida - minha mãezinha
querida;
dos que aqui estão e amo igualmente:
sobrinhos, esposas e os sobrinhos netos.
O retrato de todos unidos, em datas especiais.
Unidos no amor e na dor.
Para todo o sempre.

EuLuizaBraguin


 

20 -

GILDA PINHEIRO DE CAMPOS

GILDA PINHEIRO DE CAMPOS – Rio de Janeiro - Terapeuta, parapsicóloga - sonhadora, amo: juntar letrinhas e transformá-las em poesia e crônicas,gosto de música, teatro, olhar o mar e meditar, meus filhos, amigos, meus focinhos carentes, e tenho meu Guru maravilhoso que me guia sempre, JESUS CRISTO...sem Ele não vivo....
 

AINDA HÁ TEMPO
*Gilda Pinheiro de Campos*


Quanta emoção quando nos recordamos,
de momentos passados, emoções vividas, sonhos desfeitos...
Tão difícil pensar naquele amor que partiu sem ao menos dizer adeus...
Outro chegou e também não ficou...
Olhando para trás a vida parece tão fácil de administrar com a experiência de hoje...
Mas ontem tudo era novidade, a força da esperança, amor e certeza,
nos impulsionava a fazer o que queriamos, e achávamos adequado...
O mundo era nosso, tudo podíamos fazer e desfazer...
Tantas loucuras... A vida sorria, o céu de brigadeiro, as noites de lua cheia..
Mas o tempo passando, os sonhos se desfazendo, a realidade chegando...
Agora é corrigir a rota, no tempo que nos restar...
E agradecer a Deus ainda termos essa oportunidade...
Registrado no Recanto das Letras
Código do texto:T3503204

 

~ * ~
AQUI ESTOU


Aqui estou meu amor
E te amo, disso sabes porque sempre digo
não escondo...
que chegaste suavemente
em passos lentos e sorriso farto...
com um amor novo e alegre
suave, terno, gostoso, autentico...
És seresteiro de noites enluaradas
Sonhador, amante a moda antiga
Daqueles que encanta pela fidalguia
sedução e alegria...
Trazes nas mãos flores,
e no peito o coração amoroso e terno...
Já me fazes feliz, me leva pela mão ao encontro
do melhor da vida...
A paz, a alegria...
Registrado no Recanto das Letras
Código do texto:T3271562

 

 
Para Índice                                          para 6ª pág.

           

 

 

LIVRO de VISITAS