Antologia Virtual

X

Setembro 2012

Pág. 8 de  16 Págs.


 

 

31 - JONAS ROGERIO SANCHES

Nasci em Catanduva-SP no ano de 1982. No início de 2011 publiquei meu primeiro livro, "Trilhas de Luz" pela Editora Clube de Autores e desde então não parei mais de escrever, no início de 2012 publiquei meu segundo livro, "Nas Asas da Poesia", também pela Editora Clube de Autores. Sou membro do Grupo de Poesias "Guilherme de Almeida" em Catanduva, membro da Associação Internacional Poetas del Mundo e Academico Fundador da Academia Virtual Brasileira AlmaArte e Poesia.
Clube de Autores -http://clubedeautores.com.br/authors/35652
Poetas Del Mundo- http://a-internacionalpoetasdelmundo.blogspot.com.br/2012/04/membro-jonas-rogerio-sanches.html
AVBAP - http://66.7.209.225/~academia/academicos/j/jonas_r_sanches/index.htm
Blog - http://trilhasdeluz.blogspot.com.br

 

EU JÁ FUI POETA


Eu já fui tempos antigos
Hoje em ruínas o passado
E o pretérito já é imperfeito
Agora sou ponteiros de relógio

Eu já fui vãs profecias
Hoje a pitonisa já não é mais virgem
E nas folhas de chá o rei viu a morte
Agora sou à sombra de sol devasso

Eu já fui o escrivão dos pergaminhos
Hoje são palavras soltas nos ventos
Deterioradas pelos anos dos desertos
Agora sou a própria história escrita em sangue

Eu já fui os primórdios desse infinito
Hoje o finito retém a mente limitada
Presa em grilhões terrestres
Agora sou a chave das dimensões de minha consciência

Eu já fui poema, hoje às vezes sou poeta,
deitado em planetas imaginários, sem luas;
pintando telas em nuvens de cetim,
por onde se esconderam as torres de Merlin.

Eu já fui poeta... Hoje são somente letras distorcidas

Jonas Rogerio Sanches

 

 

 

32 - JANETE SALES (DANY MARY)

Na verdade eu comecei a me apaixonar de verdade por poesias quando entrei em contato, com grandes escritores na internet, eu sempre apreciei bons livros no decorrer de minha vida!
Mas tudo começou mesmo no CANTO CIGANO em que eu aos poucos consegui escrever a minhas poesias! Depois no dia a dia, tudo acabou se ampliando, tenho um Blog DANY de poesias, participo do DIHITT, um site de notícias na qual o meu perfil esta voltado para o lado poético! E finalmente eu tenho um perfil no WAF, EPA e no RECANTO DAS LETRAS!
A minha alegria de viver está com certeza em todos estes Espaços em que eu escrevo! Neles eu deixo depositado o meu coração e a alma sempre!
Links:
Meu blog pessoal:
http://danysempre.blogspot.com.br/
Perfil nestes sites de poesia:
http://silviamota.ning.com/profile/JanetefranciscoSales
WAF
http://worldartfriends.com/pt/users/dany-may
Participo deste grupo:
http://canto-cigano.blogspot.com.br/

 

UM POEMA ENCANTADO


O poeta enlouqueceu
sufocado com as palavras que não conseguia usar
Elas brincavam dentro dele,
querendo sair e desejando se expressar
Contudo eram desconexas, brigavam entre si e não rimavam
Ele não conseguia jogá-las para fora
porque não diziam nada e não se combinavam

O que fazer com tantas palavras guardadas
e sufocadas no seu interior?
Eram belas e conflitantes, falavam do ódio,
da paz, da guerra e do amor
Com lápis e papel na mão, os dedos tremiam,
pois não conseguia poetar
E lágrimas de desespero nos olhos do poeta,
queriam se aflorar

Ele adormeceu e sonhou com as mesmas palavras,
segurando com força as folhas de papel
E no sonho então passou a escrever,
os mais lindos versos nas nuvens no céu
Utilizou todas as palavras
que antes eram absurdas e sem razão
Nunca escreveu um poema,
com tanta destreza e imaginação!

Então o poeta despertou sorrindo
e escreveu o que havia sonhado
Havia graciosidade no conjunto das palavras,
um poema encantado!
E agora as lágrimas eram de contentamento,
pois surgiu dele uma nova poesia
Poeta que é poeta faz versos até em sonhos
e tem duas vidas, a real e a da fantasia...

Janete Sales
(Dany Mary)

 

 

 

33 - KÁTIA CLAUDINO CAETANO PEREIRA (KÁTIA PÉROLA)

Kátia Claudino Caetano Pereira, a “Kátia Pérola”, nasceu no berço de José Claudino Caetano e de Odíla Scavassa Caetano. Acordando ao mundo em Assis-Sp em 03 de fevereiro. Ourinhos, São Paulo é agora o reduto de seus sonhos e escritos. À flor da pele é fruto de um convite ao qual abraçou sendo seu primeiro E-book. Entre o seu currículo como poeta está à participação na Antologia Delicatta IV Prosa, Livro Poesia do Brasil Volume 10 - Proyecto Cultural Sur - Brasil - XVII Congresso Brasileiro de Poesia Bento Gonçalves/RS - Outubro 2009, Poeta, Mostra A tua Cara Volume 6 - XVII Congresso Brasileiro de Poesia Bento Gonçalves/RS - Outubro 2009, II Encontro de Poetas/Salto/SP - Poesia e Encontro - Outubro 2010, E-book Nuances - Poemas A Flor Da Pele 5 anos e em concursos de poesias na sua cidade. Antologia II° Concurso De Poesias Cidade De Ourinhos /SP de 2009, Antologia III°Concurso De Poesias Cidade De Ourinhos /SP de 2010, Antologia II Da Revista De POESIAS - Organização Antônio Poeta _ Janeiro de 2011 e Antologia Melhores Da Poesia Brasileira - Organização Jane Rossi e Monica Rosenberg. Suas linhas inspiradoras são soltas a olhos atentos e apaixonados em vários sites de exposição poética.
Alguns locais onde me encontrar:
http://katiaperola.blogspot.com/
http://www.recantodasletras.com.br/autor.php?id=36563
http://poesiaskatiaperola.blogspot.com/

 

OLHOS DE LUA


Afinal quem é você?
Que apareceu do nada,
Sem palavras,
Apenas com olhar de aquarela
Lua que gira em mim, faceira
E já me toca por inteira
Diz-me, por favor!
O girassol de seu amor
Está comigo no pensamento
Deixando insones todos os sentidos
Nada mais sei... Só meu sentimento
Apenas que quando chega
Com este seu olhar estonteante
Provoca meus mais íntimos desejos
E trás por instantes
Intensos momentos de felicidades.
Seu olhar... Meu luar... Assim amantes...

Kátia Claudino Caetano Pereira
(Kátia Pérola)
Ourinhos-SP

 

 

 

34 - LUIZ CARLOS “BARATA” CICHETTO

Poeta, Escritor, Letrista, Webdesigner, Artesão, Editor Artesanal, Agitador Cultural
Barata, nascido Luiz Carlos, no dia do Anti-Natal, do ano da Graça do nascimento de Madonna, Michael Jackson, Bruce Dickinson, Cazuza e Tim Burton. Poeta, Escritor, Letrista, Webdesigner, Artesão, Editor Artesanal, Agitador Cultural. Cresceu escutando Beatles, Black Sabbath, Pink Floyd e Led Zeppelin. Participou da geração mimeógrafo nos anos 1970, mas quando chegaram os filhos, deixou de ser poeta e foi tentar ser homem, o que no entender de Bukowski é bem mais difícil. Escreve poemas desde que começou a criar pêlos.... nas mãos. Trabalhou como office-boy, bancário, projetista de brinquedos e analista de qualidade. No final do século XX, acordou certo dia de sonhos intranquilos e, transformado em um ser kafkiano, criou um projeto cultural na Internet nos moldes dos antigos panfletos mimeográficos. Mas, mesmo antes de seu processo de metamorfose, nunca deixou de cometer poemas, contos e crônicas.
Como poeta e escritor tem mais de 1.000 poemas escritos, além de cerca de 2.000 crônicas e contos, a maior parte publicado em seu projeto A Barata. Entre 2002 e 2006, organizou inúmeros eventos culturais denominados Fest'A Barata, que reuniam além de bandas de Rock, outras expressões artísticas como exposição de poemas, artes plásticas, teatro etc. Também nesse período, foi manager da banda Patrulha do Espaço, onde entre outras coisas criou o nome e o conceito do CD ".ComPacto". Criou também sites para várias bandas do cenário, tendo sido pioneiro em oferecer espaços gratuitos para sites de artistas.
Em 2010 escreveu Vitória ou A Filha de Adão e Eva, uma Opera Rock, tendo a parte musical a cargo de um dos maiores expoentes do Rock Progressivo no Brasil, Amyr Cantusio Jr. Nesse ano também criou a Editor'A Barata Artesanal com o objetivo de publicar de forma artesanal seus próprios livros mas que acabou também por publicar outros autores. Além de inúmeras edições de revistas virtuais, também criou e produziu, sempre com recursos próprios, as revistas Revist'A Barata (2000 a 2004) e atualmente a Revista "Versus".
Neste ano de 2012, a parceria com o cantor e compositor Ciro Carvalho trouxe nova faceta, a de letrista, que rendeu de imediato a composição de 50 musicas que serão ainda neste ano apresentadas em um show que está sendo montado e num CD ainda em fase de gravação.
"Barata; Sexo, Poesia e Rock'n'Roll - Uma Autobiografia Não Autorizada" é uma autobiografia escrita e lançada também em 2012, e conta a trajetória a partir de 1970 e onde predominam histórias ligadas ao trinômio Sexo, Poesia e Rock. O livro, prefaciado pelo escritor, historiador e professor da Universidade de Blumenau Viegas Fernandes da Costa, tem lançamento marcado para o dia 8 de Julho de 2012, em São Paulo.
Atualmente, entre a produção de programas e a direção da KFK Webradio e seu trabalho como poeta, escritor e editor, também cria trabalhos artesanais usando madeira encontrada nas ruas, além de websites para empresas.
Informações Gerais
Nome: Luiz Carlos Cichetto
Apelido: Barata
Nome Literário: Barata Cichetto
Nascimento: 25/06/1958, São Paulo, SP
Casado com Izabel Cristina Giraçol desde 2010. 2 filhos de casamento anterior.
Nascido no bairro do Tatuapé. Atualmente morando em Guaianases Zona Leste de São Paulo, desde 2010.
Livros Artesanais Publicados
Poesia
Arquíloco (1981 - Mimeografado)
Sangue de Barata (Virtual 2002/Impresso 2011)
Impessoal e Transferível (Virtual 2003 / Impresso 2002)
1958 (Virtual 2005 / Impresso 2011)
A Incrível e Triste História do Príncipe Desencantado e da Pequena Princesa Ou: A Verdadeira História da Betty Boop (Virtual 2005)
Emoções Baratas (Virtual 2007 / Impresso 2011)
O Olhar Gótico da Morte Dentro da Cibernética Taverna (Virtual 2009)
O Câncer, o Leão e o Escorpião (*) (Virtual 2009 / Impresso 2011)
O Cu de Vênus (*) (Virtual 2009 / Impresso 2011)
Êxtase (Virtual 2010)
Cohena Vive! (Impresso 2012)
(*) Versão impressa inclui os dois livros.
Prosa
Barata: Sexo, Poesia e Rock'n'Roll - Uma Autobiografia Não Autorizada (Impresso 2012)
Porcontos Populares ou A Vida Como Ela Foi - Contos - (Impresso 2012)
Outros
Vitória ou a Filha de Adão e Eva (Opera-Rock, com Amyr Cantusio Jr. e Outros) (Virtual 2010 / Impresso 2010)
O Anjo Venusanal (Coletânea de Poemas Musicados por Amyr Cantusio Jr.) (Virtual 2011)
Ponto de Fuga – Poemas de Barata Cichetto e Musicas de Cesar Achon (Virtual 2009)

Meu Primeiro Poema Infantil
(Especialmente a Petrus e Isis)
Do Livro "Cohena Vive!" - 2012 - Editor'A Barata Artesanal


Minha querida criança de olhar esperto
Chegue agora de minhas letras bem perto
Pediram um poema feito ao seu coração
Sem palavras pesadas, letras de adoração.

Um poema sem cores escuras e berrantes
Algo sem as bestas ou criaturas errantes.
Falaram que tinha que ser algo com pureza
E sabe os adultos quando falam com dureza.

Disseram que era preciso ser cheio de brandura
Num poema bonito, sem nenhuma amargura
Pois, contaram, as crianças tem ingenuidade
E portanto não poderia lhe falar de maldade.

Tinha que falar apenas sobre belos sentimentos
Porque existe o tempo em que terás sofrimentos
Ameaçaram também, que não podia falar de morte
Porque crianças, elas tem que crer na própria sorte.

Que tinha que ser bondoso e falar sobre a bondade
Ser mentiroso e falar sobre a mentira da igualdade
Deram tanta ordem sobre como tinha que ser o poema
Que pensei que jamais poderia resolver este problema.

Ainda ordenaram, eu tinha que falar sobre um ser
Aquele que lhes contam ser o dono do seu nascer
E então falaram e falaram sobre as crianças
Que eu não podia lhes retirar as esperanças.

E falaram tanto, que agora eu sentia que era um tolo
Que sem mentir não ganharia um pedaço desse bolo
Então me sentei, de castigo em um canto da sala
Chorei e pensei, sou apenas uma criança sem bala.

Então, criança, confesso que sou mesmo um perdido
Porque jamais lhe faria um poema sem teres pedido
E não poderia escrever meu primeiro poema infantil
Sabendo que feito aos adultos lhe trataria com ardil.

11/03/2012 - 5 da Manhã...

Luiz Carlos "Barata" Cichetto

 

 

 

 

35 - LENA FERREIRA

Lena Ferreira, 43 anos, professora, mãe de dois adolescentes, começou a escrever na infância como terapia já que sentia dificuldade de se expressar verbalmente. Sua primeira leitura poética foi OS LUSÍADAS de Camões e pensa que daí veio seu encanto pelas rimas. Tem um carinho especial por Florbela Espanca, Clarice Lispector e Cecília Meireles mas lê de tudo um pouco. Tem aprendido muito através das participações nas comunidades virtuais de poesia.
 

 

QUANDO TU VENS


Sei bem quando tu vens
antes mesmo de chegares
a faceirice dos olhos ruboriza
ondas variantes pelas curvas
e setas indicando o porto certo
um cais seguro de atracação

Sei bem quando tu vens
a brisa mole traz o teu perfume
lenta, a mente queda os pensares
e a alma desmaia em sensações
imprevistas, surpreendentemente


Sei bem quando tu vens
pássaros cantam ao longe
anunciando a tua chegada
asas cansadas de voos incertos
por nuvens densas, carregadas de ais

Sei bem quando tu vens
o vento para e no vão do seu silêncio
o teu silêncio me fala bem baixinho
da paciência em reserva que é amar

Sei bem quando tu vens
e antes de chegares, me apronto
pausando a ansiedade, eu me deito
na tua calma que me faz bem demais

Lena Ferreira

 
      

                                 para 9ª pág.