Aniversário de Curitiba - Paraná- Brasil

29 de Março
 

 

 

 

 

 

Trabalho e pesquisa de Carlos Leite Ribeiro

 

Formatação: Iara Melo
 


A cidade de Curitiba, encontra-se no planalto cristalino do Paraná, também chamado primeiro planalto paranaense, nas proximidades da Serra do Mar. A cidade ocupa a borda noroeste de uma pequena bacia sedimentar plistocénica, e o local caracteriza-se por um conjunto de vales, lagos e colinas suaves, cobertos de campos, com alguns capões de mata neles dispersos. Em redor domina a floresta sub-tropical, rica em pinheiros (araucárias) e erva-mate. Curitiba é banhada por vários afluentes do Rio Iguaçu (*), especialmente os Rios Belém e Ivo.
          (*) Rio Iguaçu, nasce nos Campos de Curitiba, junto à cidade do mesmo nome, corre para o Rio Paraná, depois de percorrer 1.045 Km, separando em parte, Os Estados do Paraná e Santa Catarina.
          Esta região começou a ser povoada em meados do século XVll, quando aí se descobriram algumas jazidas de ouro. Os primeiros habitantes provinham de Paranaguá, onde também fora achado ouro, no sopé da Serra do Mar, por volta de 1630. Esse pequeno estabelecimento foi em 1668, incorporado a Paranaguá, por Gabriel de Lara. Nessa altura, já havia surgido o povoado de Nossa Senhora da Luz e Bom Jesus dos Pinhais, que somente seria elevado a vila no ano de 1693. A indústria de minerais nunca chegou a desenvolver-se na região.
          Quando no fim do século XVll se descobriram, as Minas Gerais, muito moradores partiram para lá, abandonando as suas fazendas. Em 1730, foi aberto o caminho de gado, que permitia o tráfico de animais (bovinos e muares) desde os campos de Viamão – RS (Rio Grande do Sul) até Minas Gerais – MG. A princípio o caminho passava pelos campos de Curitiba, de onde prosseguia em direcção à baixada paulista pelo vale da Ribeira de Iguape que, em sequência, incrementou-se a criação de gado em Curitiba.
          Em 1820, Curitiba possuía somente duzentas e vinte casas, e chamava-se então Nossa Senhora dos Pinhais de Curitiba. A exportação de erva-mate, planta nativa na região, assumia grande importância nessa época. Vinte e dois anos mais tarde foi elevada a vila, contando então 5.819 habitantes. Em 1853, era criada a província do Paraná, da qual em 1854, Curitiba foi feita capital. A partir de 1867, fundaram-se trinta e cinco núcleos coloniais nas terras da e mata que circundam os campos de Curitiba, que eram integrados nas sua maioria por italianos e poloneses, tornando-se centro de activa região agrícola.
          Houve a expansão da cultura do café pelo chamado Norte paranaense e da agricultura em geral no Oeste do Estado.
          Curitiba em 1940, tinha apenas 140 mil habitantes.
  
          Curitiba era uma região de floresta exuberante onde reinavam as araucárias. Os nativos tupi-guaranis, que a habitavam região, referiam-se a ela como Curii Tiba, que pode ser traduzido como pinheiral.
          No início da Era Cristã, o Planalto Curitibano era habitado por povos ceramistas de tradição Itararé. Casas subterrâneas, encontradas em sítios arqueológicos nos arredores de Curitiba, mostram a adaptação dos nativos às condições adversas do clima, como os ventos frios.
          Por época da chegada dos portugueses ao Brasil, o Planalto Curitibano era ocupado por grupos das famílias linguísticas Jê e Tupi-Guarani.
          As primeiras décadas do século 16 marcaram o início de uma guerra de conquista dos europeus contra os povos indígenas que habitavam os planaltos do Sul e Sudeste do Brasil. Eram expedições portuguesas e espanholas em busca de metais e pedras preciosas e índios para escravizar.
          Existem relatos de que os campos de Curitiba foram descobertos pela expedição de Pero Lobo, em 1531. Essa expedição bandeirante partiu de Cananéia em busca de ouro e prata na região dos Incas, seguindo uma trilha indígena que passava pelos arredores da atual. cidade de Ponta Grossa. A expedição acabou sendo dizimada pelos índios guaranis, nas proximidades de Foz do Iguaçu, durante a travessia do rio Paraná.
          Em meados do século 16, surgiram as primeiras informações da existência de minas de ouro nos campos de Curitiba, atraindo os primeiros garimpeiros para a região.
          Em 1649, Ébano Pereira, capitão das canoas de guerra da Costa do Sul, comandou uma expedição exploratória para subir os rios e atingir o planalto em busca de ouro. Para isso, recrutou pessoal na Vila de Nossa Senhora do Rosário de Paranaguá. Estabeleceram-se, inicialmente, na margem esquerda do rio Atuba, entre os atuais bairros de Vila Perneta e Bairro Alto. Posteriormente, mudaram-se para um local às margens do rio Ivo, atual. centro de Curitiba.
          Em 1668, foi autorizada a instalação do pelourinho no povoado, visando sua elevação à condição de vila. O pelourinho era um poste de madeira com argolas de ferro, erguido em praça pública, onde os condenados pela justiça eram amarrados e chicoteados. Contudo, as autoridades públicas não foram eleitas para a instalação da justiça. Isso era necessário, pelas leis da época, para que o povoado passasse à condição de vila.
          A primeira eleição de autoridades públicas somente aconteceu em 29 de março de 1693, promovidas pelo capitão-povoador Matheus Leme. O povoado passou, então, à categoria de vila, Vila de Nossa Senhora da Luz dos Pinhais. A vila passou a se chamar Vila de Curitiba em 1701, já com 1.400 habitantes. Desde 1906, a data de 29 de Março de 1693 é adotada oficialmente como a data de fundação de Curitiba.
         
          BANDEIRA MUNICIPAL
         
          Lei Municipal nº 2993 de 11/05/1967
          Artigo 6º - A Bandeira Municipal será oitavada, em cor verde, formando as oitavas figuras geométricas trapezoidais, constituídas por oito faixas vermelhas carregadas por oito faixas brancas, dispostas duas a duas no sentido horizontal, vertical em banda e em barra, que partem de um retângulo branco central, onde é aplicado o brasão.
          § Único - O Brasão no centro da Bandeira simboliza o Governo Municipal e o retângulo no qual é aplicado representa a própria cidade sede do Município. As faixas simbolizam o Poder Municipal que se expande à todos os quadrantes do território e as iotavas (figuras geométricas trapezoidais) assim constituídas, representam as propriedades rurais existentes no território municipal.
          Artigo 7º - Em conformidade às regras heráldicas, nas reproduções, a Bandeira terá as dimensões oficiais adotadas para a Bandeira Nacional, levando-se em consideração nove módulos de altura por treze de comprimento.
          § Único - A Bandeira Nacional poderá ser reproduzida em bandeirolas de papel nas comemorações de efemérides, obedecendo-se sempre, os módulos e cores heráldicas.

          BRASÃO MUNICIPAL DE CURITIBA
         
          Artigo 19º - O Brasão do Município de Curitiba, será um escudo clássico flamengo ibérico, encimado pela coroa mural que a classifica com a 1º grandeza (Capital), das quais apenas cinco, são visíveis em perspectiva, representada pela cor do metal ouro. Em campo de goles, um pinheiro de prata, posto em abismo. Como suporte à dextra, hastes de trigo ao natural e a sinistra um ramo de pâmpanos, também ao natural, entrecruzados em ponta sobre os quais se sobrepõe um listel de goles, contendo em letra de prata data de "29 de março de 1963, fundação da Vila de Curitiba."
          § Único - O Brasão em conformidade à heráldica, deverá em qualquer reprodução ter sete módulos de largura por oito de altura tomados do escudo.
          Artigo 20º - O Brasão será reproduzido em clichês para timbrar a documentação oficial do Município de Curitiba com representação icnográfica das cores, em conformidade com a Convenção Internacional, quando for a impressão feita a uma só cor, e a observância das cores heráldicas, no caso da impressão ser feita em policromia.
          Artigo 22º - A critério dos Poderes Municipais, poderá ser instituída a "Ordem Municipal do Brasão", para comenda àqueles que de algum modo tenham merecido e justificado a honraria outorgada.
          § Único - Será a comenda constituída por medalha do Brasão, esmaltada em cores, ou fundida em metal - ouro ou prata, fincada em lapela com as cores municipais, acompanhadas de Diploma de Ordem.
          Artigo 23º - Esta lei estará em vigor na data de sua publicação, revogada a Lei nº 2.138, de 02 de maio de 1962.


HINO MUNICIPAL
Letra: Ciro Silva
Música: Bento Mossurungal

I
Cidade linda e amorosa da terra de Guairacá.
Jardim luz, cheio de rosa Capital do Paraná.
Pela residente paisagem
Pela riqueza que encerra,
Curitiba tem a imagem
 Dum paraíso na terra.
         
II

Viver n’ela é um privilégio
Que goza quem n’ela está.
Jardim luz, cheio de rosa
Capital do Paraná.
Pérola deste planalto
Toda faceira e bonita.
Na riqueza e na opulência
Vive, resplande, palpita
         
III

 Subindo pela colina
Ativa sempre será.
Jardim luz cheio de rosa
Coração do Paraná.
 Salve! cidade querida
Glória de heróis fundadores.
Curitiba, linda jóia
Feita de luz e de flores.

          Lei Municipal nº 2993 de 11/05/1967

          Artigo 18º - O Hino Municipal é o que for classificado em 1º lugar na forma do disposto no Decreto Municipal nº 1.366, de 03 de setembro de 1965.
          § Único - Fica o Chefe do Poder Executivo autorizado a regulamentar a execução do Hino Municipal, obedecendo em princípio a presente lei e o prescrito no Decreto Lei nº 4.545, de 31 de julho de 1942, com relação ao Hino Nacional.

 

 

Curitiba é um município brasileiro, capital do estado do Paraná, localizada a 945 metros de altitude no primeiro planalto paranaense, a aproximadamente 110 quilômetros do Oceano Atlântico. Em 2007, segundo a revista norte-americana Reader's Digest, era a cidade com melhor qualidade de vida do Brasil.

Curitiba também tem altos índices de educação. Tem o menor índice de analfabetismo e a melhor qualidade na educação básica entre as capitais. O Índice Mastercard de Mercados Emergentes 2008, criado com a intenção de avaliar e comparar o desempenho das cidades em diferentes funções que interligam os mercados e o comércio no mundo inteiro, indicou Curitiba na 49ª colocação entre as cidades com maior influência global. Curitiba também foi citada em uma pesquisa publicada pela revista Forbes, como a 3º cidade mais "esperta" do mundo, que considera esperta a cidade que se preocupa, de forma conjunta, em ser ecologicamente sustentável, com qualidade de vida, boa infraestrutura e dinamismo econômico.
 
Curitiba é o centro econômico do estado do Paraná e o quinto maior PIB do país. Em parte, isso se deve à população de mais de três milhões de habitantes, se for considerada a sua região metropolitana; a cidade se destaca por ter a economia mais forte do sul do país, contando o trabalho de exportação das novecentas fábricas instaladas no bairro Cidade Industrial e das duas grandes indústrias automobilísticas que estão localizadas na Grande Curitiba, Renault e Volkswagen. Ademais, foi eleita várias vezes como "A Melhor Cidade Brasileira Para Negócios", segundo ranking elaborado pela revista Exame, em parceria com a consultoria Simonsen & Associados.

Em julho de 2001, Curitiba tornou-se a primeira cidade a receber o prêmio "Polo de Informática" concedido pela revista Info Exame, pelo desempenho de suas empresas de tecnologia. De acordo com a revista, o conjunto de empresas de Tecnologia e Informática sediadas em Curitiba apresentou, em 2001, um faturamento de U$ 1,2 bilhão, representando um crescimento de 21% em relação ao ano anterior.

Além disso, a capital paranaense concentra a maior porção da estrutura governamental e de serviços públicos do estado e sedia importantes empresas nos setores de comércio, serviços e financeiro. Com um parque industrial de 43 milhões de metros quadrados, a região metropolitana de Curitiba atraiu grandes empresas como ExxonMobil, Elma Chips, Sadia, Kraft Foods, Siemens, Johnson Controls e HSBC, bem como grandes empresas locais - O Boticário e Positivo Informática, por exemplo. Além de centro comercial e cultural, a cidade possui um importante e diversificado parque industrial incluindo o segundo maior polo automotivo do país e o principal terminal aeroviário internacional da região Sul, o Aeroporto Internacional Afonso Pena.
 
O município de Curitiba concentra quase toda a sua população na área urbana, tendo, portanto, uma reduzida atividade agropecuária. Devido ao desenvolvimento urbano da cidade, em Curitiba não existe mais agricultura, não mais sobrando terras para o plantio de certos produtos econômicos. Se houve agricultura no passado, muitos dos agricultores e pecuaristas se mudaram para outros municípios da Região Metropolitana de Curitiba.
 
O intenso movimento comercial de Curitiba foi facilitado pela sua extensa rede de vias de comunicação e sua desenvolvida indústria. Os principais produtos exportados são: madeira beneficiada, laminada e compensada; móveis; couro; rações e adubos; produtos químico-farmacêuticos e metalúrgicos. Entre os produtos importados estão os eletrodomésticos, os gêneros alimentícios, os hortifrutigranjeiros, a madeira bruta, os produtos têxteis e artigos manufaturados em geral.
 
O parque industrial de Curitiba é bem diversificado. A capital paranaense é um dos maiores centros manufatureiros do Brasil. A industrialização começou no início do século XIX com imigrantes europeus que se dedicaram, principalmente, à fabricação de artefatos de couro e de madeira.
Em sua produção destacam-se gêneros alimentícios, mobiliário, minerais não-metálicos, madeira, produtos químicos e farmacêuticos, bebidas e artefatos de couros e peles.
O maior complexo industrial do município é a Cidade Industrial de Curitiba, sendo o maior em extensão territorial e população. É nesse bairro onde se localiza o Conjunto Habitacional Nossa Senhora da Luz, um dos locais mais violentos da cidade. 

O Jardim Botânico de Curitiba é um dos cartões postais mais populares da cidade.
Segundo um levantamento feito pela International Congress & Convention Association (ICCA), Curitiba é a sexta cidade brasileira com o maior número de eventos internacionais e, segundo dados da FIPE, é a terceira cidade a receber turistas estrangeiros para fins de negócios.
Em 2006 a cidade ocupou a sexta posição entre as melhores cidades brasileiras para realização de eventos e turismo de negócios; no mesmo ano, o fluxo de turistas superou o número de habitantes. Dos dois milhões de visitantes, pelo menos metade desembarcou a negócios. Para atender à crescente demanda, o parque hoteleiro curitibano se desenvolveu e hoje é considerado o quarto maior do país. Os bons restaurantes e os serviços customizados dos hotéis agradam a 92,4% dos que deixam a cidade, de acordo com dados da Secretaria de Estado do Turismo do Paraná. Em 2007 a capital paranaense foi eleita pela revista Viagem e Turismo, da Editora Abril, como a 4ª melhor cidade brasileira para viagens e turismo, ficando à frente de grandes centros turísticos nacionais, como Fortaleza, Natal, Gramado, Maceió e Recife.
 
Curitiba é o local de nascença, moradia e principal inspiração temática do escritor Dalton Trevisan, um dos mais lidos contistas contemporâneos da literatura brasileira. Além disso, a cidade é o berço do controvertido escritor, poeta e compositor Paulo Leminski, autor da antológica obra em prosa experimental Catatau, tida por muitos críticos como excessivamente hermética e críptica, mas não menos genial. Também curitibano foi o boêmio, poeta satírico e imortal da cadeira nº 20 da Academia Brasileira de Letras Emílio de Meneses (1866-1918).
Em Curitiba está a Biblioteca Pública do Paraná, fundada em 1857 e com acervo de quase quinhentos mil livros. A cidade dispõe também do Farol do Saber, uma rede de pequenas bibliotecas espalhadas por diversos bairros.

Curitiba foi eleita como melhor destino cultural e melhor custo-benefício para turismo da Região Sul do Brasil na Edição Especial Guia 2008 da Revista Veja O Melhor do Brasil. A matéria ainda cita a localização estratégica da cidade, o que a tornaria uma espécie de capital do Mercosul.
 

 

Trabalho e pesquisa de Carlos Leite Ribeiro – Marinha Grande – Portugal

 

 

Envie esta Página aos Amigos:

 

 

 

 

 

Por favor, assine o Livro de Visitas:

 

 

 

Fundo Musical: Isto Aqui o Que é? * Ary Barroso

Fotos de Curitiba: Fotógrafo Luiz Bocian

 

Todos os direitos reservados ao Portal CEN
Página criada por Iara Melo
http://www.iaramelo.com