Carmen Miranda

 

Nasceu a 09 de Fevereiro de 1909
 

 

 

 

Trabalho e pesquisa de Carlos Leite Ribeiro

 

Formatação: Iara Melo


 

“A “Pequena Notável”, como era conhecida, marcou tanto com seu jeito de cantar, revirando os olhos, mexendo as mãos e gingando, com seu sorriso contagiante e a graça de seus trajes cheios de balangandãs, que até hoje, mais de 40 anos após sua morte, é o símbolo brasileiro mais conhecido no mundo. Mais do que uma voz, foi um fenómeno do show business norte-americano.
 
                                Carmén nasceu em Marco de Canavezes a 9 de Fevereiro de 1909. Era filha de José Maria Pinto da Cunha e de Maria Emilia Miranda da Cunha. Chegou ao Brasil com poucos meses de idade. Intérprete da música brasileira, teve uma carreira fulgurante nos palcos e na rádio, que a lançaram para o cinema. Criou um estilo brejeiro inimitável, tendo participado em filmes musicais como “A Voz do Carnaval”, “Alô, Alô Brasil”, “Alô , Alô, Carnaval”. Residente nos Estados Unidos desde 1939, actuou em espectáculos e em 14 filmes, entre os quais “Férias em Havana”, “Festa no Brasil” e “O Castelo do Terror”. Com as suas fantasias de baiana mereceu o epíteto de “Bomba Brasileira”.  Ficaram famosas certas interpretações suas, como por exemplo “Na Baixa do Sapateiro” e “O que é Que a Baiana Tem?”

 

                                O que é que a baiana tem?
                                (Dorival Caymmi)

                                O Que é que a baiana tem?
                                O Que é que a baiana tem?
                               
                                Tem torço de seda, tem!
                                Tem brincos de ouro tem!
                                Corrente de ouro tem!
                                Tem pano-da-costa, tem!
                                Sandália enfeitada, tem!
                                Tem graça como ninguém
                                Como ela requebra bem!
                               
                                Quando você se requebrar
                                Caia por cima de mim
                                Caia por cima de mim
                                Caia por cima de mim
                           
                                O Que é que a baiana tem?
                                O Que é que a baiana tem?
                                O Que é que a baiana tem?
                                O Que é que a baiana tem?
                            
                                Tem torço de seda, tem!
                                Tem brincos de ouro tem!
                                Corrente de ouro tem!
                                Tem pano-da-costa, tem!
                                Sandália enfeitada, tem!
                                Só vai no Bonfim quem tem
                                (O Que é que a baiana tem?)
                                Só vai no Bonfim quem tem
                                Só vai no Bonfim quem tem

                                Um rosário de ouro, uma bolota assim
                                Quem não tem balagandãs não vai no Bonfim
                                (Oi, não vai no Bonfim)
                                (Oi, não vai no Bonfim)

                                Aportando nos Estados Unidos no início da Segunda Guerra Mundial, representou vivamente a terra desconhecida e exótica, cheia de coqueiros, bananas, abacaxis, atendendo às necessidades fantasiosas e consumistas do povo norte-americano e alcançando a glória e a fortuna. De volta ao Brasil, depois de um ano ausente, foi recebida sob vaias em um show no Casino da Urca, que abriu cantando South American Way. Em resposta bem-humorada ao público, lançou logo em seguida novo show, Disseram que Voltei Americanizada, de Vicente Paiva e Luiz Peixoto. Nascida Maria do Carmo Miranda da Cunha, em Marco de Canavezes, em Portugal, veio com 1 ano para o Rio de Janeiro. Depois de apresentar-se em bares cariocas interpretando Carlos Gardel, aos 20 anos gravou seu primeiro disco, com músicas como Não Vá Sim'bora e Se o Samba É Moda, de Josué de Barros, e se apresentou pela primeira vez no rádio, com Iaiá Ioiô, também de Josué de Barros. Tornou-se famosa ao gravar a marcha carnavalesca Pra Você Gostar de Mim (Taí, 1931), de Jubert de Carvalho, que vendeu mais de 35 mil discos. Em meio aos foliões, participou, em 1933, de seu primeiro longa-metragem, o documentário A Voz do Carnaval, de Adhemar Gonzaga e Humberto Mauro. Seu último filme no Brasil foi lançado às vésperas do Carnaval de 1938: Bananas da Terra, de João de Barro, no qual interpretou pela primeira vez a música O Que É Que a Baiana Tem?, de Dorival Caymmi, lançando definitivamente para o sucesso tanto o compositor como sua baiana estilizada. A convite do empresário norte-americano Lee Schubert, embarcou com o grupo Bando da Lua para os Estados Unidos, em 1939. Estreou na Broadway, cativando de imediato a crítica e o público norte-americanos. Quatro anos depois, fez seu melhor filme, The Gang's All Here em 1943, dirigido por Busby Berkeley, no qual faz o número mais famoso: The Lady in the Tutti-Frutti Hat, cantando num cenário tropicalíssimo, com bananas gigantescas se movendo. Foram ao todo 14 filmes no exterior, rodados de 1940 a 1953.

                                Em 1946, Cármen era a artista mais bem paga de Hollywood e a mulher que mais pagava imposto de renda nos EUA. Em 17 de Março de 1947 casou-se com o americano David Sebastian, nascido em Detroit a 23 de Novembro de 1908. Antes, Cármen mantivera romances com vários astros de Hollywood e também com o músico brasileiro Aloysio de Oliveira, integrante do Bando da Lua.
                                Antes de partir para a América, Cármen namorou o jovem Mário Cunha e o bon vivant Carlos da Rocha Faria, filho de uma tradicional família do Rio de Janeiro. Já nos EUA, Cármen manteve casos com os atores John Wayne e Dana Andrews.
 
                                O casamento é apontado por todos os biógrafos e estudiosos de Carmen Miranda como o começo de sua decadência física. Seu marido, antes um simples empregado de produtora de cinema, tornou-se "empresário" de Cármen Miranda e conduzia mal seus negócios e contratos. Também era alcoólatra e pode ter estimulado Cármen Miranda a consumir bebidas alcoólicas, das quais ela logo se tornaria dependente. O casamento entrou em crise já nos primeiros meses, mas Cármen Miranda não aceitava o divórcio pois era uma católica convicta. Engravidou em 1948, mas sofreu aborto espontâneo depois de uma apresentação.

                                Consagrada internacionalmente, viaja ao Brasil em 1954 para rever a família. Meses depois, já de volta a Hollywood, morre de um ataque do coração.


 

Trabalho e pesquisa de Carlos Leite Ribeiro – Marinha Grande – Portugal

 

 

Envie esta Página aos Amigos:

 

 

 

 

 

Por favor, assine o Livro de Visitas:

 

 

 

 

Fundo Musical: Alô... Alô? * André Filho *** Intérprete: Carmen Miranda

 

Todos os direitos reservados ao Portal CEN
Página criada por Iara Melo
http://www.iaramelo.com