Fundação da Cidade de

São Paulo

 

25 de Janeiro de 1554
 

 

 

 

Trabalho e pesquisa de Carlos Leite Ribeiro

 

Formatação: Iara Melo
 


Por iniciativa do padre Manuel da Nóbrega, superior dos jesuítas no Brasil, um grupo de jesuítas entre os quais estava José de Anchieta, ergueu, no início de 1554, um barracão perto da aldeia de Tibiriçá, entre os rios Anhangabaú e Tamanduarei. O barracão recebeu o nome de Colégio de São Paulo e prestava-se à catequese indígena. Ao redor do barracão formou-se uma povoação de índios convertidos. Em 1560, a população da vila de Santo André da Borda do Campo, situada perto do Colégio de São Paulo, teve ordem de mudar-se para a povoação do colégio. A vila de Santo André foi extinta e São Paulo elevada a vila. Durante os séculos XVI e XVII, São Paulo permaneceu como uma vila pobre, com uma pequena população dedicada à lavoura de substância, praticamente isolada de Portugal e do resto da Colónia. Durante esse período muitas expedições partiram de São Paulo para o interior à caça de índios. São Paulo tornou-se o principal centro do movimento bandeirante. No final do século XVII, a descoberta de metais preciosos na região de Minas Gerais, obra dos bandeirantes paulistas, atraíram para São Paulo a atenção do Reino. Em 1711, a vila de São Paulo, foi elevada a cidade. Todavia, a corrida para o ouro mineiro enriqueceu o paulista desbravador, mas esvaziou e empobreceu a cidade. Com o esgotamento das minas, no final do século XVIII, desenvolveu-se o plantio da cana-de-açúcar e fundaram-se as primeiras fábricas. Na década de 1870, o desenvolvimento da lavoura do café na província de São Paulo levou muitos fazendeiros ao enriquecimento. Seus investimentos estenderam-se à construção de ferrovias ligando os cafezais à cidade de São Paulo e ao porto de Santos, à criação de casas exportadoras e de bancos de financiamento. A fisionomia da cidade a mudar. A partir de 1870, iniciou-se a sua urbanização. Diversas quintas foram desmembradas e deram lugar a novos bairros. Em 1889, iniciou-se a construção do viaduto do chá. A primeira central eléctrica em 1890, permitiu a circulação dos carros eléctricos a partir de 1900. No início do século XX, acelerou-se o processo de industrialização da cidade que na década de 1920 alcançou os municípios vizinhos. Todavia, o grande surto industrial ocorreu na década de 1930, quando uma grande crise na produção do café desviou o investimento de capitais para a indústria. A partir da década de 1950, o desenvolvimento da indústria automobilista nos municípios da Grande São Paulo começou a trair para a região um grande número de emigrantes de outros Estados. A capital cresceu em várias direcções, surgindo a grande metrópole que já caminha em direcção a Campinas e Jundiaí. Cada vez mais, a industrialização consolida-se e a agricultura amolda-se aos novos tempos.

 

 

Trabalho e pesquisa de Carlos Leite Ribeiro – Marinha Grande – Portugal

 

 

Envie esta Página aos Amigos:

 

 

 

 

 

Por favor, assine o Livro de Visitas:

 

 

 

 

Todos os direitos reservados ao Portal CEN
Página criada por Iara Melo
http://www.iaramelo.com