Padre António Vieira

 

Nasceu a 06 de Fevereiro de 1608
 

 

 

 

Trabalho e pesquisa de Carlos Leite Ribeiro

 

Formatação: Iara Melo
 

 

Grande orador sacro, missionário e diplomata português, nasceu em Lisboa a 6 de Fevereiro de 1608 e morreu em Salvador da Bahia, a 18 de Julho de 1697. Chegou ao Brasil com menos de sete anos de idade, indo residir em Salvador. Em 1623 entrou na Companhia de Jesus, concluindo em 1626 o noviciado. Durante seus estudos com os jesuítas, começou a invasão do Brasil pelos holandeses. Sobre esse acontecimento escreveu ao geral dos jesuítas um relatório informativo, a “Carta ânua”, documento com que se inicia o ciclo das suas cartas. Foi em 1635 ordenado, iniciando sua actividade de orador sacro. Seus sermões desse tempo são destinados a estimular a luta contra os invasores holandeses, culminando num sermão gratulatório de 1640, relativo a uma vitória sobre os holandeses. Esses sermões são, até hoje, os escritos mais famosos de Vieira. Em 1640, quando Portugal conseguiu derrubar o domínio espanhol e recuperar sua independência, Vieira foi para Lisboa, colocando-se ao serviço do rei D. João IV, e aderindo ao sebastianismo, fé na reencarnação do desaparecido rei D. Sebastião e no restabelecimento do Império de Portugal. Propôs Vieira entrar em entendimentos com os cristãos-novos e judeus portugueses refugiados na Holanda (e na França, para fundar uma companhia de comércio). Essa actividade foi, porém, prejudicada pelo problema de Pernambuco. Holandeses e ingleses conseguiram neutralizar os esforços de Vieira, que, por fim, desistiu. Obteve em Lisboa grandes sucessos como orador sacro. Foi mandado para o Maranhão, onde, numa série de grandes sermões, empenhou-se pela liberdade dos índios. É de então o sermão de Santo António ou dos peixes. Acusado perante a Inquisição, dirigida pelos dominicanos, Vieira  foi trazido para Portugal, preso, encarcerado, interrogado e enfim condenado, sendo porém a pena anulada. Vieira passou um tempo em Roma, e voltou para a Bahia, onde iniciou a publicação dos seus sermões em volumes. Escreveu nessa época a “Chave dos profetas”, , última forma da “História do futuro”, manifestação definitiva do seu sebastianismo místico. Morreu aos 89 anos de idade, dos quais 52 passados no Brasil. O Padre António Vieira é, pelos seus Sermões – publicados entre 1679 e 1748, e, pelas suas numerosas Cartas – publicadas entre 1925 e 1928, o maior escritor português do século XVII.

Obras do Padre António Vieira. Fonte:

 

http://www.cce.ufsc.br/~nupill/literatura/sermoes.html

 

Sermão da Sexagésima

Maria Rosa Mística

Sermão de Nossa Senhora do Rosário

Sermão da Quinta Dominga da Quaresma

Sermão do Mandato

Sermão Segundo do Mandato

Sermão de Santa Catarina Virgem e Mártir

Sermão Histórico e Panegírico

Sermão da Glória de Maria, Mãe de Deus

Sermão da Primeira Dominga do Advento (1650)

Sermão da Primeira Dominga do Advento (1655)

Sermão de São Pedro

Sermão da Primeira Oitava de Páscoa

Sermão nas Exéquias de D. Maria de Ataíde

Sermão de S. Roque

Sermão de Todos os Santos

Sermão de Santa Teresa e do Santíssimo Sacramento

Sermão de Santa Teresa

Sermão da Primeira Sexta-feira da Quaresma (1651)

Sermão da Primeira Sexta-feira da Quaresma (1644)

Sermão de Santa Catarina (1663)

Sermão do Mandato (1643)

Sermão do Espirito Santo

Sermão de Nossa Senhora do Ó (1640)

Quarta parte, licenças e privilégio real.

Sermão pelo Bom Sucesso das Armas de Portugal

Sermão da Segunda Dominga da Quaresma (1651)

Maria Rosa Mística Excelências, Poderes e Maravilhas do seu Rosário

Sermão das Cadeias de S. Pedro em Roma pregado na Igreja de S. Pedro. No qual sermão é obrigado, por estatuto, o pregador a tratar da Providência, ano de 1674

Sermão do Bom Ladrão (1655)

Sermão da Dominga XIX depois do Pentecoste (1639)

Sermão XII (1639)

Sermão XIII

Sermão de Dia de Ramos (1656)

Quarta Parte em Lisboa na Oficina de Miguel Deslandes

Sermão do Quarto Sabado da Quaresma (1640)

Sermão XIV (1633)

Sermão Nossa Senhora do Rosário com o Santíssimo Sacramento

Sermão XI Com o Santíssimo Sacramento Exposto

Sermão da Quinta Dominga da Quaresma (1654)

Sermão nas Exéquias de D. Maria da Ataíde (1649)

Sermão de São Roque (1652)

Sermão Segundo do Mandato (II)

Sermão do Mandato (1655)

Sermão da Epfania (1662)

Sermão da primeira Oitava da Páscoa (1656)

História do Futuro (vol. I)

História do Futuro (vol. II)

 

Trabalho e pesquisa de Carlos Leite Ribeiro – Marinha Grande – Portugal

 

 

Envie esta Página aos Amigos:

 

 

 

 

 

Por favor, assine o Livro de Visitas:

 

 

 

Todos os direitos reservados ao Portal CEN
Página criada por Iara Melo
http://www.iaramelo.com