Samuel Freitas de Oliveira (Sá de Freitas)

 

Nome: Samuel Freitas de Oliveira (Sá de Freitas)

Profissão: Aposentado do Estado, mas continuo exercendo a função de Agricultor.

Quer falar um pouco da terra onde mora?
Avaré, cidade hospitaleira, com aproximadamente 90 mil habitantes, distando 260 quilômetros da Capital do Estado de São Paulo, localizada na Região Sudoeste, é considerada Estância Turística, entre as cinquenta cidades paulistas de médio porte. Dentre seus inúmeros pontos turísticos, destaca-se a Represa Jurumirim, com mais de 100 km de extensão, formada pelo represamento do rio Paranapanema, com lindas e atraentes praias. Por possuir terras agricultáveis e água em abundância é considerada a cidade "DA ÁGUA, DO VERDE E DO SOL". Cidade da cultura e das artes tem realizado inúmeros eventos de grande porte, com cantores, músicos, pintores, escritores e poetas, dentre os quais, muitos são nacional e internacionalmente conhecidos. Bela cidade, valoroso povo e acolhimento perfeito aos visitantes.
Quando começou a escrever?
Desde os nove anos de idade e com treze, já possuía minha página em alguns jornais locais e da Região, nas quais escrevia pensamentos, crônicas e poesias.

Teve a influência de alguém para começar a escrever?
Creio que já nasci com essa influência, pois aos nove anos compus os meus primeiros versos, dedicados à minha professora. Só posteriormente é que essa influência veio a crescer através de inúmeras e longas leituras de famosos livros, tendo a minha preferência as poesias de Castro Alves, de Gonçalves Dias e de Raimundo Correia.

Lembra-se do seu 1º trabalho literário?
Não me lembro mais dos versos que escrevi à professora, acima citados, mas esse foi o meu primeiro trabalho.

Tem livro (s) impresso (s) (editora e ano)?
Sim, mas nem os vou citar porque eu mesmo montei uma mini gráfica de quintal e publiquei quatro livros, com mil exemplares cada um, ao longo de três anos, que se esgotaram rapidamente.

Projectos Literários para 2010/2011?
Aguardando oportunidades para publicação, sem contudo deixar de escrever e divulgar meus escritos pela Internet.

Tem livro(s) electrónico(s) (e-books)?
Sim. Dois. Raios de Otimismo e Luzes de Esperança.

Como vão ser editados?:
Quando alguma Editora se oferecer, sem que haja despesas de minha parte.

Fale-nos um pouco de si, como pessoa humana?
O único Curso Superior que possuo é o de Letras. Sou uma pessoa extremamente simples e humilde em tudo o que uso e faço. Não sou muito amante de concursos, de eventos literários e nem frequento a Alta Sociedade, apesar de inúmeros convites para participar ou dirigir alguns núcleos culturais. Prefiro participar, e participo, de várias Entidades filantrópicas a fim de ajudar aos mais carentes.

Como Escritor (a)?
Considero-me apenas um eterno aprendiz e opto mais para as poesias que possam levar alento, esperança e paz às pessoas, embora, de quando em vez, exponho meus lamentos, minhas dores, o que é comum a todos os poetas. Gosto e escrevo em quase todos os estilos, embora prefira o Soneto, talvez por ser o mais difícil e dizer tanto em tão pouco espaço.

Tem prémios literários?
Alguns, mas sem grandes projeções que mereçam ser citadas neste seleto espaço.

Tem Home Page própria (não são consideradas outras que simplesmente tenham trabalhos seus)?
http://safre.blog.uol.com.br/
Conhece as vantagens que os Autores do CEN têm em ter sua Home Page ou (e) Livro (s) electrónicos, nos nossos sites?
Honestamente não.


Que conselho daria a uma pessoa que começasse agora a escrever?
Antes de mais nada, creio que o conhecimento, pelo menos razoável, da gramática é o essencial. Depois, conhecer um pouco as regras de todos os estilos, escolher um bom tema, saber colocar as palavras de forma que deem um toque especial aos escritos; variedades nos temas, projeção de imagens que marquem o trabalho, fugir sempre do vulgar e dar asas à imaginação. Isso em se tratando de poesias. Quanto aos contos, romances, crônicas, etc. dependem da preferência e da personalidade literária de cada um, mas sempre fugido do que se torna cansativo ou monótono aos seus leitores. De resto, é não ter medo e seguir em frente.

Para terminar este trabalho, queira fazer o favor de mandar um pequeno (e original) trabalho seu (em prosa ou em verso) ?:

 
 

DIVERSOS TERMOS

Sá de Freitas

No - " entendo nada " - está o entendimento,
De quem entende bem o que é o entender
E o -" nada sei " - mostra o conhecimento,
Do sábio que inda muito quer saber.

No - "eu te amo" - está o sentimento,
De quem está sentindo o amor crescer,
No -" quero-a só pra mim"- é o fingimento,
De quem quer tomar posse do seu ser.

No - "eu sei tudo" - está o convencimento;
No - "Eu sou forte" - o enfraquecimento;
No - "sou capaz "- está o incapaz.

No - " eu sou nada" - está toda a grandeza;
No - "eu sou falho" - é que se vê franqueza;
No - "eu perdoo" - é que se encontra a paz.

Samuel Freitas de Oliveira
Avaré-SP-Brasil

 

 Índice de autores         Anexo