SEBO LITERÁRIO

 

Antônio Paiva Rodrigues

 

Crônicas

Pág. 13 de 25 Pág.s

As Nuanças da Vida de Maria de Magdala

 


“Confie no poder da mente. É a sua mente que pensa, planeja, retém informações e encontra as soluções, bastando que nela creia e se veja com valor e perfeição. Aceitar ter a mente restrita e incapaz é jogar para dentro o tolhimento, o vazio, a frustração, restringindo o progresso, a alegria e a paz”. ( Lourival Lopes).


Maria de Magdala segundo os exegetas teve muita influência na vida de Jesus. Nem tudo na vida do Mestre Jesus é do conhecimento da humanidade, mesmo dos mais experientes exegetas. O Local exato onde Jesus viveu do início da adolescência até deixar a Galiléia para ser batizado no rio Jordão é um completo mistério. Lucas situa seu batismo no 15º ano do reinado do imperador Tibério, o que daria 28 ou 29 d.C. -, acrescentando que ele contava cerca de trinta anos nessa época. Só podemos ter certeza de uma coisa: onde quer que Jesus tenha vivido não foi em Israel.
Todo credo se acha têm a pretensão de possuir como exclusivo monopólio, e só lhe possuem a sombra e assim fugitiva. Ninguém é dono da verdade em afirmar que sabem tudo acerca da vida do Nazareno. O poderoso Vaticano chega a se apavorar ante o fantasma da liberdade de crenças e de consciência, que julga prejudicial ao seu predomínio, sem se lembrar, porém de que a essência dessa liberdade é exatamente sua conservação no terreno espiritual.
Todo dogma fecundo tem por essência produzir a heresia e a mãe da heresia é a metafísica. Vejam as incongruências que passam despercebidas: “Ora”, se, como dizem os teólogos católicos, o batismo é um sacramento que tem a propriedade de extirpar o pecado original de adão e Eva, não deixa de ser irrisório e até revoltante a cerimônia do batismo de navios de guerra, monumentos, armas mortíferas entre outros, com seus respectivos padrinhos e madrinhas, como estúpido é o ato de certo padre interventor, batizando seu filho espúrio, com o nome do maior reacionário do século XX, Lenin! Antes de entrarmos no assunto propriamente dito vejamos o que diz trechos do Evangelho de Maria Madalena, condenado pela Igreja católica. “O apego à matéria gera uma paixão contra a natureza. É então que nasce a perturbação em todo o corpo; é por isso que eu vos digo: Estejais em harmonia... Se sois desregrados, inspirai-vos em representações de vossa verdadeira natureza. Que aquele que tem ouvidos para ouvir, ouça”. “Após ter dito aquilo, o Bem-aventurado saudou-os a todos dizendo: Paz a vós – que minha Paz seja gerada e se complete em vós! Velai para que ninguém vos engane dizendo: ei-lo aqui. Ei-lo lá. Porque é em vosso interior que está o Filho do Homem; ide a Ele: aqueles que o procuram o encontram. Em marcha! Anunciai o Evangelho do Reino”.
“Pedro disse: “O salvador realmente falou com uma mulher sem nosso consentimento”? Devemos nos voltar e escutar essa mulher? Ele a preferiu a nós? ’ E Levi (Matheus) respondeu: “Pedro, você sempre foi precipitado”. Agora te vejo lutando contra a mulher como a um adversário. Se o Salvador a tornou digna, quem és tu para rejeitá-la? Certamente o Salvador a conhece muito bem. Foi por isso que a amou mais que ama a nós”. Jesus sabia do ciúme que nutria contra Maria de Magdala, chegando-o a aborrecer Jesus, que ao se reportar a Pedro disse em alto e bom tom: ”Afasta-se de mim Satanás”.
O Evangelho de Maria madalena é de uma delicadeza incrível e fala basicamente sobre liberdade espiritual, universalismo, projeciologia, princípios herméticos e conscienciologia, o que a ICAR não aceita e jamais aprovará. Patrícia Cândido em seu livro, Grandes Mestres da Humanidade – Lições de Amor para a Nova Lei disseca fatos que deixa a Igreja católica sem panos para manga. Os discípulos de Jesus, em especial Pedro não se sentia satisfeito, pois o Mestre confiara a Madalena os segredos que transcendem à matéria.
Ela dizia sempre que em uma única vida a evolução é possível e bem substanciada, desde que estejamos dispostos e dedicados. Por ser tão inteligente e cheia de sabedoria Jesus dividia suas aspirações mais íntimas com ela. O seu evangelho é tão profundo e importante, visto que traz em seu bojo uma interpretação nova de quem teria sido na realidade Myrian de Magdala. Segundo o mesmo evangelho, ela teria sido uma discípula de real importância à qual O Mestre teria confidenciado informações que não passou aos outros discípulos, sendo, por isso, questionada por Pedro e André. Ela surge como confidente de Jesus, alguém mais próximo de Jesus do que os demais. “Segundo Felipe, Cristo veio resgatar alguns, salvar outros”. Ele resgatou os forasteiros e fê-los seus. E colocou os seus separados, aqueles que haviam dado como garantia segundo seu plano. Não foi só quando apareceu que Cristo ofereceu voluntariamente sua vida, mas ofereceu-há voluntariamente desde o dia em que o mundo surgiu. Então, ele veio primeiro para tomá-la, pois ela havia sido dada como garantia.
Ela havia caído em mãos de ladrões e foi feita prisioneira. Mas Ele a libertou, resgatando as pessoas boas do mundo assim como as más. Continua Felipe em seu Evangelho: “Alguns dizem que Maria concebeu por obra do Espírito Santo”. Mas eles estão enganados. Não sabem o que dizem. Quando uma mulher alguma vez concebeu por obra e graça de outra mulher? Maria é a virgem que nenhum poder conspurcou. Ela é um grande anátema para os hebreus, que são os apóstolos e (os) seus seguidores. Esta virgem que nenhum poder violou (...) os poderes violaram a sim mesmos. O Senhor não (teria) dito “Meu (Pai que está nos) céus (Mt 16:17) se não tivesse outro pai”. Neste caso, teria dito simplesmente “(Meu Pai)”. O Senhor disse aos discípulos (...) de cada casa.
Tragam para a casa do Pai. Mas não tomem nem carreguem (nada) da casa do Pai. Tomé sempre afirmava que se existir a Trindade teria que ser Pai, Filho e a terceira pessoa Mãe, e não Espírito Santo. Havia três que sempre caminhavam com o Senhor: sua mãe, Maria, sua irmã e Madalena, que era chamada sua companheira. Sua irmã, sua mãe e sua companheira todas se chamavam Maria. A Sophia, que é chamada de "a estéril," é a mão (dos) anjos. E a companheira do (...). Maria Madalena. (... amava-a) mais do que (todos) os discípulos (e costumava) beijá-la (frequentemente) em seus (...). Os demais (discípulos...). Eles lhe disseram: "Por que a amas mais do que a todos nós?" O Salvador respondeu dizendo: "Por que não os amos como a ela? Quando um cego e uma pessoa normal estão juntos na escuridão, não são diferentes um do outro. Quando chega a luz, então, aquele que vê verá a luz, e o cego permanecerá na escuridão". O Senhor disse: "Bem aventurado aquele que é antes de chegar a existir. Pois, aquele que é foi e será." A superioridade do homem não é óbvia à visão, mas encontra-se no que está escondido da vista. Por isto ele domina os animais que são mais fortes do que ele, grandes em termos do óbvio e do oculto. Isto os capacita a sobreviver. Mas quando o homem se separa deles, mordem e matam uns aos outros. Devoram-se porque não encontram nenhum alimento. Porém, agora encontraram comida porque o homem preparou o solo. Estas nuanças citadas na matéria talvez tenham levado a Igreja católica apostólica Romana a transformar quase 100 evangelhos em proscritos ou apócrifos, pois ia de encontro àquilo que eles almejavam repassar para os fiéis.
Todos os grandes profetas eram casados e tiveram filhos e essa situação acontecendo ao Mestre Jesus não tiraria nenhum mérito seu e sua condição de espírito Puro continuaria. Para concluirmos essa matéria existem teorias trazendo a ideia de que um tempo após a crucificação de Jesus, Maria de Magdala havia saído de Jerusalém em um barco no mar da Galiléia rumo a Gália (hoje França), carregando em seu ventre um bebê, filho de Jesus, que ao nascer receberia o nome de Sara. Acredite quem quiser, mas pecado original dogma da igreja, pois quando Deus “expulsou Adão e Eva do Paraíso gritou em altos brados: “Crescei-vos e multiplicai-vos”“. Com pode uma ordem religiosa condenar e nominar com pecado às ordens de Deus? Pense nisso!

Antônio Paiva Rodrigues*

Livro de Visitas

       

Para pág. 14