XII Antologia Virtual

Sétimo Bloco

 
PARTICIPANTES - (SÉTIMO BLOCO):

 

  Raymundo de Salles Brasil

  Rita Rocha

  Rosane Silveira

  Rossana Monteiro

  Rozelene Furtado de Lima

  Rui de Oliveira Lima

  Sá de Freitas

  Sandra Galante

  Sidnei Piedade

  Silvanio Alves

  Simone Cristina

  Thais Arrighi

  Téka Castro

  Tito Olívio

  Vanda Ferreira Bugra Sarará

  Vera Passos

  Vinni Corrêa

  Wilson de Jesus Costa
 
 

 
 
RAYMUNDO DE SALLES BRASIL

 

A IDEIA

 

De quando em quando pisca em nossa mente,
Aquela ideia – pisca e não clareia,
Não abre como um sol, brilhantemente,
Nem suave e branda como a lua cheia.
Mas fica ali... E renitentemente
Nem apaga, nem brilha, bruxuleia,
Hesitante em se abrir, pisca somente,
Como o sangue a pulsar dentro da veia.
Mas só partindo a bolsa que a contém
Pode mostrar a luz que lhe convém
Aos contornos sutis de sua arte.
Contorce-se na mente – serpenteia!
E vai evoluindo – é luz que anseia!
E pisca e pulsa e força e tenta e parte.

 

Raymundo de Salles Brasil
24/10/2012
 

 

RITA ROCHA

MARIANA

 

A fragilidade de anjo
Abriga valente guerreira
Que mostrou pra todo mundo
Não vir aqui pra brincadeira.
No corpinho delicado
De bravura encarnada
Chegou dizendo a que veio
Esta menina encantada!
Veio pra lutar e vencer!
E a todos conquistar
Com o lindo sorriso
Veio aqui é pra brilhar!
O Sorriso é marca registrada
Que conquista de primeira
Vai tecendo sua linda história
Nosso orgulho e bandeira!
Mariana é Força, Coragem
Garra, Amor e muita Luz!
São bênçãos recebidas
O nosso amado Jesus!
Vencedora de troféus
Desde a mais tenra idade
Agora vence mais esta luta
Para nossa Felicidade!

 

Rita Rocha
ROSANE SILVEIRA

 

SOLIDÃO

 

... E as horas mornas vão passando
e um sentimento cru, quase imperceptível
vai se aproximando... E ficando
e ela ali, se deixando levar por aquele
momento quase perfeito
em que ficava sozinha
e se aninhava em si mesmo
e ficava olhando a chuva...
fina, precisa, bater na janela
e a solidão?
Não existia, em si mesma
ela era a própria solidão.

 

 

ROSSANA MONTEIRO

 

FELINA

 

Ser estranho... Solitário..
Inatamente arisca na essência...
Sou felina, forjei minhas garras nas escaladas dos abismos da vida...
Tenho faro aguçado... Visão que transcende a escuridão...
Coração acelerado...
Caminhar traçado...
Meu destino eu mesmo traço...
Não acredito em laços... Aos poucos viram forcas... Sufocam... Matam...
Às vezes sobrevivo... Respiro... Canso... Levanto...
Outras eu corro... Salto.
Alcanço sonhos enclausurados...
Antíteses de mim... Um ser fera... Um ser gente...
Uma vontade... Um desejo... Um silêncio...
Coração.

 

Rossana Monteiro
ROZELENE FURTADO DE LIMA

 

MANDALA DA VIDA

 

Rapunzel viveu até eu cortar as tranças.
Chapeuzinho da cor vermelho sangue
Ficou até lobo me pegar
E sonhar com o sapatinho de cristal.
Alice, onde está meu anel?
E aí... Acordei.
Na forma do violão adolesci,
Solfejos de amor eu escrevi.
O salto do sapatinho quebrou
O príncipe me abandonou.
E aí... me desiludi.
Fiz novos amigos: Ceci e Peri,
Helenas, Inês, Luisas, Kareninas,
Arthur e Merlin, Capitu, Bovary,
permeados por poetas e Coralinas
E aí... me permiti.
Escalei pirâmides de sonhos.
No chão escorregadio do amor
Andei, dancei, patinei e cai.
Na mandala da vida me perdi.
E aí... Chorei.
Descartei farrapos e desfiz emaranhados.
Foquei em personagens com nova visão.
A luz da alma refletiu nos meus olhos banhados
Transmutando gotas aperoladas em jóias de perdão
E aí... Encontrei
Paixão à flor da pele e à raiz dos pelos
Que transcende livros e modelos
Tecido no coração, gerado no ventre do querer
Alimentado nos seios da vida para crescer
Amor como eu sempre quis.
E aí... Sou feliz!

 

Rozelene Furtado de Lima

 

 

RUI DE OLIVEIRA LIMA

 

AQUILO QUE DOMINA A VIDA... VIVIDA

 

Não aguento...
Não quero...
Porque perder mais tempo
Não vejo perspectivas...
Nada...
Para quê?
Tenho um passado à minha frente.
Não necessito de recordações
De Momentos..
Quero espairecer!!
Calcorrear o presente...
Conhecer aquilo que me vai dar as emoções.
Aquilo que domina a vida
Vivida
O descontrolar controlado
Aquele que alguns dizem
"Perdido Estado"
Mas pelo qual todos anseiam
Lutam... Inebriam...
Se comprometem... Confluem...
Se agoniam

 

Rui de Oliveira Lima

 

SÁ DE FREITAS

 

AMOR INEXPLICÁVEL

 

Conduz-me esse “querer-te” ao desatino,
Que eu de amor morrer, capaz seria,
Pois sem te amar jamais eu sentiria,
Meu coração nesse pulsar divino.
É algo assim tão lindo como um hino,
Que se transforma em branda sinfonia
No Templo da minh’alma, em sintonia
Com o som de uma paixão que não defino.
Velho amor, lindo amor, grandioso e ardente,
Que só nós ler podemos no romance,
Que o passado escreveu para o presente...
Quando eu morrer e ao mundo retornar-me,
E não tiver de amar-te qualquer chance,
Que então me aborte o ventre que gerar-me.

 

Samuel Freitas de Oliveira
Avaré-SP-Brasil
SANDRA GALANTE

 

NA CAUDA DA ILUSÃO...

 

Vou voando na cauda da ilusão
Como uma pluma que voa no ar.
Vou a favor do vento, pra não cair no chão.
Busco um local seguro para pousar.
Voa de lá, voa de cá em teu coração fui parar.
Nele me ajeitei e muito pouco fiquei
Escorreguei de ti e continuei a voar
Na realidade, em tua vida não vivi.
Eu te amei, mas fui levada pelo vento.
Isso se deu em um frágil momento
Não conseguistes sequer me segurar
A pluma voou com o vento pra outro lugar!

 

Sandra Galante
SIDNEI PIEDADE

 

ESSE CARA SOU EU

 

Meus pensamentos são flores perfumando os caminhos que me levam á você. Penso em você a todo instante, pois um homem apaixonado fica assim... Esquecendo mesmo de mim. Faz fantasia, me alucina com seu jeito, joga seu charme... Pois é pura sedução. Meu coração é seu... Mas quero ouvir sua voz dizendo, me entrego à paixão. Quem é que faz seu coração palpitar, batendo mais forte quando está prá chegar... Esse cara sou eu. Tenho mil razões para ser feliz assim, pois és um rio desaguando em mim e eu sou teu mar que nunca vai ter fim.Por você tudo faria, pediria ao tempo que parasse só um pouquinho...para olhar nos teus olhos e nesse rosto lindo prá falar tudo o que sinto, pois me despertou um sentimento lindo. Um homem apaixonado entrega a alma , entrega a vida, com o amor o homem não brinca. Você é vida, inspiração a força que Deus me deu sobre mim...é o meu sonho de uma vida e a luz que ilumina meu caminho para fazer morada em seu coração....esse cara sou eu .

Sidnei Piedade

SILVANIO ALVES

 

EU TE AMO, VIDA!!

 

No calor da primavera iluminada
Sinto a presença do grande amor
Que faz a pessoa ficar enamorada
E a deixa toda feliz com seu sabor
É a felicidade que brota da alma
E se traduz na serenidade do amor
Que muda o desespero em calma
Porque a vida não é um mero favor
Creio que devemos usufruir a vida
Com prazer e ser feliz intensamente
Dessa forma, quero viver plenamente
Porque ela é, do amor, o belo presente
Ao qual sou grato em todo momento
É a vida que dá morada ao sentimento

 

Silvanio Alves
SIMONE CRISTINA

 

MORADA

 

Vivo num canto sozinho
Muitas vezes distante do mundo
Dentro desse abismo tão profundo
Em volta a tantos espinhos..
Histórias muitas vivi
Amadureci.... Amei
A felicidade um dia encontrei
Mas logo em seguida perdi..
Moro na Terra e vivo no espaço
O passado é minha morada
Vou seguindo meu caminho
Sem passo, sem rumo e sem nada...

 

Simone Cristina
THAIS ARRIGHI

 

AO SOM DA POESIA

 

Ao som da poesia
Vou cantando meus versos
Que falam de amor
Um amor tão bonito
Que um dia chegou
E no meu coração aportou!
Habita em mim de uma maneira diferente
Delinqüente!
Porque a saudade me invade
Quando nossa música começo a ouvir!
É nesse momento a dedilhar
Meus versos faço cantar
Tocando minhas palavras
Em letrinhas suaves
Para do meu amor poder falar
Transformando sentimentos...
Em forma de poesia
E nela eternizar meu amor...
Minhas alegrias...
Poucas tristezas
E
Muita saudade!
Mas ao som da vaidade
Recolho uma lágrima furtiva
Que teima dos meus olhos rolar!
E com um sorriso nos lábios
Segurando um pranto teimoso
Volto às lembranças do amor!
O meu único e terno amor
Cantado em verso
Ao som da minha poesia
E da nossa canção
Que hoje... Muito longe deixei
As emoções que cantei
Nos versos de amor que criei...
Renovei!
Renasci no canto... No encanto
Ao som da poesia que agora escrevo
Deixando só o meu coração falar
Desse amor tão grande
Que sinto por ti
Desde o dia em que te conheci!
Hoje eu canto dedilhando
Nos meus versos perpetuados...
Esse amor dedicado
Marcado... Tatuado
Para poder dizer ao mundo
O quanto eu amo você...
Ao som da minha poesia
Dentro do meu coração marcado
E do meu verso aqui gravado!

 

Thais Arrighi - S.Paulo-Brasil 2012
TÉKA CASTRO

 

ENFEITES DE NATAL

 

Nas ruas transeuntes de lá para cá, querendo comprar.
O consumismo já toma conta para se presentear.
Mas, e o perdoar, onde fica?
Intensifica emoções e eu lembro de um dos maiores contos natalinos,
Queria eu vivenciá-lo realmente.
Mas, o tempo se decompõe,
Expõe ironias, fantasias e até medo.
O brinquedo de criança quebrado, trocado por novo.
Os pais, ensinando o ter, e não o ser.
O que fazer, nas noites de natal???
O banquete a mesa,
A certeza da confraternização,
Mas em muitas famílias isso, ocorre, não.
A vida enfeitada, e o símbolo esquecido.
Será que o Ser Humano, anda meio perdido???

 

Téka Castro, escritora e educadora
SP-SP- BRASIL.
Ofereço aos meus familiares.
TITO OLÍVIO

 

NÃO QUERO MAIS

 

Não quero mais Natais de hipocrisia,
De consumismo em fúria, desregrados,
Em que se esquece o peso dos pecados
Ou se afogam em prendas de alegria!
Não quero mais Natais de um só dia,
Oásis de candura, rodeados
De injustiças, de roubos, de atentados,
De droga, de tortura e de agonia!
Se é para celebrar o nascimento
De quem pregou a paz, amor, bondade,
Deitem fogo de vez à falsidade,
À dor, à fome, à guerra, ao sofrimento,
A tudo que destrói o ser humano
E façam o Natal durar um ano!

 

Tito Olívio
http://www.caestamosnos.org/autores/autores_t/Tito_Olivio.htm

 

 

VANDA FERREIRA BUGRA SARARÁ

 

MEMORIAL PANTANEIRO

 

Oeste registra histórias,
Arquiva antigas fotografias.
Ouro do centro-oeste,
Polido álbum redondo.
Meu velho oeste de cores bonitas,
Jornais impressos no tempo,
Belas cirandas multicores:
Memorial pantaneiro
D’onde extraio recortes.
Tela transfigurante, imagens mutantes;
Fim de cena é feita no entardecer!
Meu oeste é velho campo fértil
Adubado de sabedorias.
Crepúsculo é planetária gravidez múltipla
Na barriga celeste.

 

Vanda Ferreira Bugra Sarará

 

VERA PASSOS

 

DESCOBRI A VIDA

 

Descobri que a vida é um rio nascendo
De um pequeno fio d’água, se assoberbar
No encontro com outros, abraçar
Abrir novos leitos, seguir os meandros, encher lagos...
Descobri a vida enfrentando obstáculos e terremotos
Apaziguando tremores, rasgando tumores, expurgando dores
Semeando palavras com responsabilidade, colhendo frutos
Planejando a jornada, abrindo estradas de paz em todo lugar
Descobri a vida olhando o futuro, vivendo o presente no tempo seguro
Buscando aventuras, que nos dão prazer
Descobri que a vida não tem mais limite,
Que o homem existe, apesar de partir
Que o caminho persiste, mesmo longe daqui
Descobri que a vida é uma eterna escola
Onde o homem se joga para depois construir
Segue o exemplo dos que passam no tempo
Os que o vento levou, para bem longe seguir
Descobri que a vida é um imenso Oceano,
Onde uma parte dos planos poderá resistir
Será materializado, se levarmos a sério.
Descobri que na vida não cabe tristeza
Que sua beleza, depende de quem a luta imprimir
Que as sementes de flores carecem de amor
Para que possam crescer e um dia florir
Descobri que a vida seria melhor
Se tivéssemos coragem de estender nossas mãos
A quem é oprimido, a quem é tão sofrido.
Emprestássemos os ouvidos e os outros sentidos
Numa terna afeição.
Descobri que a vida, tem que ter alegria
Que toda infância emana energia
As praças resistem se as crianças brincarem
E se os pássaros vestirem suas fantasias
Descobri que na vida não precisa riqueza
Que a alma transborda de luz e beleza
Se olharmos as estrelas na noite enluarada
Se seguirmos o rio caminhando na estrada
E as gotas de chuva forjando a enxurrada
Cuidando dos dons da Mamãe Natureza.

 

Vera Passos

 

 

VINNI CORRÊA

 

TODA CALMARIA TEM SUA RESSACA

 

Toda calmaria tem sua ressaca
Embora bubuio na lua do corpo
Passo rente e não vejo nada
Em um beijo que oscila neste porto
A hora pode se perder no espaço
Mas os segundos cabem em cada momento
Ainda que alguém diga o abraço
Não há luz e trevas a um só tempo

 

Vinni Corrêa

 

 

 
WILSON DE JESUS COSTA

 

JARDIM FLORIDO

 

E as rosas pontificavam espalhadas no meu jardim...
No meu jardim, que é um jardim florido. E como!
E de que serviria o meu jardim se não houvesse as flores?
Às vezes ao olhar pela vidraça horas sem fim,
Fico totalmente com o pensar perdido
Aproveito; e ao olhar as flores lembro amores,
E meu pensamento vira um mar com suas ondas
Indo e vindo a beijar a praia como foram meus amores: vãos...
As rosas pontificavam agora na beirada quebrada de meu jardim florido
Sim, beirada quebrada de um jardim florido ora desleixado,
Mas as flores ali estão desafiando o tempo como desafio a morte
Eu que fui semente um dia, como a semente que brota da terra,
Fico ao longe a namorar as rosas e as rosas não mais me namoram
Elas procuram ficar de mim bem distantes esperando melhor sorte
Por isso vivificam na beirada quebrada do meu jardim florido
E eu aqui alquebrado vejo as rosas através de uma vidraça úmida
A vidraça tão úmida por fora pelo serenar da noite
A vidraça tão úmida por dentro pelo meu chorar sentido!
Relembro o eu outrora e as roseiras brotando no meu velho jardim florido...
Pois tudo passa. A infância passa. A vida passa. Enfim, o tempo passa.
No homem existe única certeza: O homem nasce, mas um dia morre.
E a roseira? Também um dia morre? Sim. Seu tempo passa, e ela passa...
Mas enquanto as rosas vivificarem em meu triste jardim florido
Eu ficarei detrás da vidraça umedecida olhando as flores
A ver que tudo passa. A infância passa. A vida passa. As rosas passam...
Então sairei. E me deitarei no meu jardim florido ao lado de minhas rosas
Bem pertinho do beiral quebrado com pétalas caídas a meu redor...
Cerrarei os olhos. Não verei nem beijarei as rosas
E tudo acontecerá em um velho jardim florido.

 

Wjcosta
 

 

 

 

 

 

Assine o Livro de Visitas:

 

 

 

 

 

 

Divulgamos os vossos textos também no facebook:

 

 

 

 

 
Formatação e Arte Final: Iara Melo
Página construída para ser visualizada com perfeição no Internet Explorer
Foto inserida arte final de Iara Melo no topo da página: Lisboa - Portugal
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Todos os direitos reservados ao Portal CEN -
Página criada por Iara Melo