SEBO LITERÁRIO

autor

 

 

ODENIR FERRO

 

 

     

Livro de Poesias
AS RESENHAS DO (O Mago de Tudo)



BIBLIOGRAFIA DO AUTOR:

Como experiência em Júri, declaro que sou membro participante do Corpo de Jurados de Fórum de Rio Claro SP, desde o ano de 1984.
Neste ano tive a grata satisfação por ter sido convidado pela Livraria Siciliano do Shopping Center Rio Claro SP, para participar do Corpo de Júri do IV Concurso de Poesias na Cidade Azul, cujo tema deste ano foi: Amar é...
Neste ano de 2009, também participei da Coletânea Poética lançada pela Shan Editores /Real Academia de Letras e Ordem da Confraria dos Poetas do Brasil.
Também lancei meu 1º Livro Infanto-juvenil & Aventura Nino Chaninho O Gatinho, editado pela Editora Livro Novo. Também ganhei Premio de Edição no I Concurso Poetas em Desassossego, publicando dois Poemas meus em E-Book e também será futuramente impresso, numa coletânea de um Site de Portugal. Quanto ao verbete abaixo, encontra-se impresso na Enciclopédia Escritores Brasileiros,
editada pela Real Academia de Letras e Ordem da Confraria dos Poetas.
Já tive a grata satisfação de ter participado em 04 (quatro) Entrevistas no Programa da Radialista e Apresentadora Tuca Miranda, no seu Curta-Cultura. Programa apresentado na Rádio Claretiana FM.
FERRO - Odenir faz parte da Ordem da Confraria dos Poetas Brasil, tendo recebido cinco Troféus Talento Cultura Nacional em eventos realizados nos finais dos últimos anos, na cidade de São Paulo, no Teatro SESC Vila Mariana e no ano passado no Teatro do Espaço Cultural Juca Chaves. Publicou várias poesias em coletâneas.
Recebeu vários diplomas, entre eles o título de Comendador da Ordem da Confraria dos Poetas-Brasil, também o Título de Cônsul Honorífico desta Ordem na cidade de Rio Claro - SP, cidade de seu nascimento.
Participou com os poemas Ícone e Lâmina Grave, poemas já editados pela Shan Editores, e o poema O Voo da Liberdade, nas edições da Revista Jurídica - Periódico Científico do Curso de Direito das Faculdades Integradas Claretianas de Rio Claro – SP. Ganhou medalha de bronze pelo poema Plangente do Anelo, publicado na Revista Brasília, além de Menções de Reconhecimento na Área Política de sua cidade, e troféu oferecido pela Editora Siciliano-Rio Claro-SP, conquistando o primeiro lugar com a poesia Inteligentes Colmeias Artesãs. Homenageando o Dia do Trabalho, em especial todos os trabalhadores de Rio Claro - Cidade Azul– SP. Publicou em 2008 o seu primeiro Livro de Poemas Individual, O Melhor da Poesia Brasileira – Poemas Inesquecíveis (Íntimo & Códigos) de Odenir Ferro, editado pela Shan Editores e Real Academia de Letras – Ordem da Confraria dos Poetas - Brasil
http://www.odenirferrocaminhopelasestrelas.blogspot.com
e
http://sites.google.com/site/caminhopelasestrelas
Tambémapublica um poema a cada semana no site da Biblioteca das Faculdades Integradas Claretianas Colégio Claretiano de Rio Claro – Estado de São Paulo – Brasil, Cujo endereço do Site é http://biblioteca.claretianas.br, clicando em Notícias da Biblioteca.
Sou membro da Ordem da Confraria dos Poetas - Brasil, Ordem esta ligada a sua co-irmã, de procedência Europeia, com raízes na Espanha. Neste ano acontece a entrega do Prêmio Talento Literário, sendo o VII Prêmio Talento Cultura Nacional, onde a Cerimônia de entrega do Troféu e sarau literário acontecerá no dia 01 de dezembro de 2007, a partir das 19h00hs, no Teatro do SESC - Vila Mariana, em São Paulo sito à Rua Pelotas 141 - SP
Este evento é patrocinado pela Shan Editores e Ordem da Confraria dos Poetas onde Odenir Ferro, desde sempre rio clarense, receberá seu quinto troféu, somando-se aos seus outros quatro, sendo que um ele recebeu pela Editora Siciliano, no ano passado, por conta do concurso ganho em primeiro lugar, categoria adulto, com o poema Inteligentes Colméias Artesãs, onde o poeta fez e faz, pois um poema é uma expressão de valores eternos, uma bela e significativa homenagem, através do poema, a todos os trabalhadores de Rio Claro e a cidade em si, transcorrendo em versos, através da Cultura e tradições Históricas da cidade.
Quanto à solenidade de entrega do troféu pela Shan e Ordem da Confraria dos Poetas, neste ano, o sarau poético terá uma inovação: O Poeta Odenir Ferro, além do troféu estará recebendo um quadro de tamanho 23cmx30cm emoldurado em vidro onde no seu interior terá o poema Sons, de sua autoria, impresso numa placa metálica em alto relevo, com um banho de ouro por cima. Este trabalho está sendo confeccionado numa joalheria de Porto Alegre - RS. A solenidade será muito marcante este ano, com a presença de poetas e pessoas do meio literário de todo o País, e provavelmente convidados do exterior também, onde cada escritor estará lendo, interpretando, dramatizando o seu poema declamando-o através do quadro, ou do livro de Antologia, que serão recebidos juntamente com o troféu, durante a solenidade do Evento Cultural.
Em julho deste ano o Poeta Odenir Ferro também recebeu um importante Título entregue pela Ordem da Confraria dos Poetas, onde, devidamente documentado e de expressiva e forte significativa importância, um Diploma oferecido pela Ordem, nomeando o Poeta Odenir Ferro com o Título de Cônsul Honorífico por Rio Claro- SP, além do de Comendador, que já tinha, devido aos trabalhos de significativo valor literário e cultural, prestados na área poética, de âmbito Nacional e também abrangendo outros países.
O Poeta participa neste ano em duas Antologias , sendo que uma, já editada, é a Antologia Insigne Poeta, livro este que foi postado para todos os Consulados, Embaixadas, representantes do Brasil em todos os outros países e também para a Presidência da República e também para a Biblioteca de Alexandria, no Egito, África, pois esta Biblioteca é a homenageada da Antologia Poética, constante neste livro editado pela Ordem da Confraria dos Poetas e Shan Editores.
Foram cinco os poemas que o Poeta Odenir Ferro, mandou para avaliação, onde ele espera que fosse classificado o Poema Planeta Terra, dado aos acontecimentos atuais, que ele desenvolveu no poema como tema e enredo.
O poema classificado foi o poema Sons, um poema altamente romântico.

PRÊMIO CULTURA NACIONAL / OCP-BRASIL
O Evento é uma Solenidade de entrega de troféus e diplomas referente ao VIII Prêmio Cultura Nacional, para os laureados da Ordem da Confraria dos Poetas/Brasil, sendo que nos dois últimos anos este evento tem sido realizado no palco do Teatro do Espaço Cultural Juca Chaves, Rua João Cachoeira, nº 899 / Itaim Bibi São Paulo (SP) .
A Ordem da Confraria dos Poetas/Brasil, atualmente representada por membros residentes em 17 Estados do Território Brasileiro, conta com a participação efetiva do Comendador e Cônsul Poeta Rio-clarense ODENIR FERRO.
A Ordem está ligada a Real Academia de Letras/Brasil, mantendo convênio com as Bibliotecas da Academia Portuguesa de Letras, Real Academia de Letras da Espanha, Biblioteca de Alexandria no Egito/África e também Vaticano/Itália.
A Shan Editores junto à Real Academia de Letras e Ordem da Confraria dos Poetas são os promotores do Evento onde na Solenidade, os poetas Laureados se confraternizarão declamando e interpretando poemas constantes na Antologia Poética Talento Literário que deverá ser lançada no dia da solenidade. Assim como também, receberão o Diploma banhado a ouro e também a tradicional Estatueta Dragão Talento Literário.
Vale dizer que o poeta e escritor rio-clarense Odenir Ferro, também estando presente na Solenidade do Evento, além de estar promovendo o seu livro individual O Melhor da Poesia Brasileira/ Poemas Inesquecíveis (Íntimo & Códigos), livro que se encontra à venda na Livraria Siciliano do Shopping Center de Rio Claro e também na Loja das Faculdades Claretianas. Odenir Ferro, também estará declamando e interpretando um dos seus poemas constantes na coletânea que é o poema Qualquer Dia Desses.
Além do poema citado, consta também na Coletânea outros poemas seus, que são:
Inspiração Poética, Meu Eu Sonhador Distante, Beleza Sedutora.

 

ÍNDICE:

PÁG2   PÁG3   PÁG4 
JAZZ SINFÔNICO TROPICAL ANJO QUERUBIM ARAPONGA DE ALVAS PENAS
ARTE, AMOR&SONHOS
(RECRIAM-SE NAS FABULAS!)
ANJOS MUSICAIS BEIJA FLOR DE UM DIA!
PRIMAVERA

SOMAMOS NOSSO AMOR EM DEUS

ÀS NOSSAS ALMAS
VERBOS EXISTENCIAIS JESUS NOSSOS LÍRICOS RITMOS
AS UVAS DO PADRE BRÁS É NATAL! É JESUS! MEU SILENCIOSO CAMINHAR
OS SONS DO AMOR AOS AMIGOS DA BOLA NOSSO ETERNO AMOR (Entre Vinhos&beijos!)
ACORDES SEM FIM AURA DO MEU VIVER LUZ TONIFICANTE

MISSÕES

SUBMISSÃO TEOLÓGICA ENREDOS

CHÁ E CAFÉ DA TARDE!

MULHERES BIBLIOTECÁRIAS CAMUFLAGEM

PÁG5  PÁG6  PÁG7 
ROMÂNTICO ATUAR

VIDA EM PROFUSÃO

AMORES DA VIDA EM PRETO&BRANCO
AMBIENTES PLANETÁRIO! ANJO DO SILÊNCIO ACORDES DESTA NOITE
CIRANDA DA VIDA ACONTECIMENTOS PARALELOS

SOL, MAR E NOITES DE LUAR!

CAMINHOS ERRANTES (ESTRELAS!) O UNIVERSAL ANIVERSARIANTE

SUBLIMAÇÃO UNIVERSAL

VIDA NÃO TRAÍDA EGO TRISTONHO NO CAMINHO DO TEMPO
AS RESENHAS DO TEMPO (O MAGO DE TUDO) EU ME OLHO NA NOITE FRIA ENCANTOS REFLORESCIDOS

MUITO MAIS DO QUE H²O

AMORES ARDENTES REFLEXÃO
ANJOS GUARDIÃES

OLHARES FURTIVOS

DONS DOS SONS SOANDO MUDO!

UM LINDO ANJO SONHO PERDIDO ESTE AMOR


Prefácio do Livro de Poesias:
AS RESENHAS DO TEMPO (O Mago de Tudo)


Será que a felicidade tem poderes para atuar em todos os parâmetros filosóficos da nossa enredada existência, e se a felicidade é algo realmente existente, atuante, dentro do íntimo universal de cada um de nós, ou será apenas um conceito válido para que possamos nos amparar dentro de um possível intuito que possa nos levar a uma satisfação pessoal, ou será a felicidade apenas um mero artifício, aonde, pelo qual vamos nos conduzindo através das subjetivas realidades do Tempo?!
Será que tudo vai se modificando dentro da introspecção dos nossos momentos de prazeres, ou tudo se permanece estático, duradouro, dentro da nossa frágil transição em que vamos conduzindo-nos dentro das metáforas metafísicas que se espalham pelas dimensões da realidade vivencial de cada um, gerando um comportamento individual, que se interage ininterruptamente com todo o inconsciente coletivo da humanidade?!
Será que tudo se movimenta de formas sedutoras e ilusórias dentro dos nossos momentos de prazeres, cujo quais, nós o denominamos, designamos, de momentos de sensações de felicidade?!
Ao pensar em escrever a introdução deste livro de poesias, eu, dentro do perfil da minha mais sublime e humilde dignidade tendenciosa por procurar a felicidade dentro das instâncias do meu eu mais infeliz, quis sublimar o que me emociona, através dos conflitos existenciais tanto os meus assim como também os de cada ser humano, desencadeando a minha lógica racional de pensar e refletir sobre os mais variados estágios e aspectos que se nos apresentam através da evolução emocional que vai tracejando o nosso contínuo caminhar através da nossa existência.
Enquanto vibro com os meus momentos felizes, desejo ardentemente que possível seja que a humanidade inteira consiga integrarem-se destes momentos felizes, participando comigo através da minha caminhada literária, na qual faço prazerosamente, através dos meus versos constituídos de muitos poemas em que vou procurando abordar as temáticas mais sublimes e encantadoras que fiz e faço, ao pensar e repensar a força existencial que vibra em cada um de nós, através da linha invisível magnética condutora da nossa história pessoal, que faz com que sejamos participantes dentro desta força que denominamos de Tempo.
Estou procurando eternizar, através deste livro, todo o conjunto que atua dentro da realidade objetiva e subjetiva que há entre o fio da vida que nos liga a todos, enquanto vou instigando a realidade da vida existente após a morte. Estou me amparando dentro da realidade destas minhas simples vivências poetizadas, querendo exaltar as qualidades do que há dentro do mais sublime desta vida, falando num consenso geral:
- Creio que existe uma Eternidade, que faz com que a nossa sublimação seja uma residente atenta dentro das texturas gerais do que existe no éter divino da nossa realidade consciente e inconsciente. Formando um ininterrupto conjunto de regras movimentando tudo o que se situa dentro de um parâmetro no qual nos estabelecemos neste tudo, vivendo as essências de tudo quanto o que é belo, e de tudo o quanto é efêmero; e que se desfaz ao nos ampararmos, ou nos depararmos ou nos apurarmos, com a existência muito mais duradoura do que a universalidade sublime, e que se faz muito mais vibrante, pois atua dentro da individual Eternidade existente no ser espiritual de cada um de nós.
E tudo o que é belo entrelaça-se harmonicamente com tudo o que é efêmero. Deixando-nos envoltos com uma cortina que ora obscurece a realidade subjetiva da nossa existência, e noutras oras clareia o Palco da Vida, através das frestas da cortina entreaberta, Por onde passam os fachos de luzes vindas ao nosso encontro pacífico de imensa fé, jorradas diretamente da profundidade vibrante da Eternidade!
Esta essência entre o belo e o efêmero, se faz através deste Mago de Tudo, que nada mais é do que esta eternidade envolvida com a nossa realidade existencial querendo amparar-nos através do inexplicável que reside dentro da Eternidade da Vida.
Dentro de cada momento que vivemos, vamos sentindo a brisa do amor adicionando ou diluindo tudo dentro de nós. E nós somos a somatória precisa deste Tudo Criador querendo conduzir-nos rumo ao sábio caminho do existir. Sem querer impor-nos a sua essencial e amorosa capacidade. Apenas deixando-nos livres e aptos, para que a nossa capacidade de discernimento, se vá encantadora, rápida ou gradativamente, expandindo-se dentro da nossa realidade existencial, atravessando incansavelmente, através do universo dos nossos próprios caminhos.
Caminhos que fazem com que vamos querendo cada vez mais, descobrir-nos, dentro de nós mesmos, num contínuo acenderem e reacenderem-nos dentro da luminosa chama deste Amor que é um encontro com a Eternidade, feita de felicidade, objetivando o encontro com a plenitude de uma realidade imortal, atemporal, no Paraíso sem fim!
Eu passeio pelos horizontes dos meus sonhos, enquanto posso sentir a realidade da minha pulsação vibrando estas palavras que se vão, indo de encontro com a realidade pessoal de cada ser humano. Que as lendo, poderão então, equacionarem as suas dúvidas, enquanto forem comparando-se com meu jeito de poetizar a vida, concluindo-se através da realidade de cada qual, dentro da sua própria existência.
Creio que isto é fenomenal, isto é encantador, pois através da travessia da poética existencial contida dentro do incontável sublime atuante na universalidade dos poemas, creio que posso suavizar as dúvidas e as conseqüentes dores traumáticas humanas, através da realidade sublimada do meu amor espalhado dentro de cada universo existente atuando em cada um dos meus poemas que compõem este livro tão envolvido com a realidade subjetiva da felicidade, ditando-nos o caminho que poderemos seguir pelo universo pessoal da nossa vida afora, até encantarmo-nos com a magia que atua dentro da Eternidade pessoal de cada um de nós. Vibrando, desta forma, todo o brilho existencial que ampara-nos, que nos diversifica dentro de um individualismo pleno e patenteado pelas nossas marcas pessoais, enquanto que ao mesmo tempo nos diversifica e nos unifica com toda a força magnética da vida plena de espiritualidade que atua no todo do ambiente planetário em que vivemos.
E nós todos, somos fatias de um mesmo brilho existencial, vibrando uma universal força da existência que ampara através dos nossos desejos em querermos descobrir a felicidade, atravessando a atemporalidade do mundo. Muito embora sabendo que somos meros transeuntes passageiros deste tempo que nos faz pensar e repensar o todo integral do Tempo, este Mago de Tudo!
Então, assim vamos caminhando submissos, através das resenhas deste tempo que nós faz tão sublimes e cativos, dentro dos universos dos nossos pensamentos e sentimentos tão repletos de dúvidas, de encantos e de desencantos espirituais ou amorosos, enquanto vamos querendo acreditar nas realidades tão subjetivas, tão íntimas e tão pessoais, que se fazem presentes no âmago dos nossos sonhos.
Desejosos, de alguma forma, eternizarmo-nos através da realidade vinda da credibilidade do nosso Mestre do Amor, que é Jesus Cristo!

“... Ah, o Tempo! Este nosso velho Amigo afável,...”
“... Ou sendo o nosso Anjo nefasto implacável e cruel!...”
“... De nós tolos envolvidos com as paixões do Mundo!...”
“... Dentro do nosso fascinante mundo imaginário!”

Brasil, Fevereiro de 2010
ODENIR FERRO
Escritor e Poeta

 

 
para índice                  para pág 02

para índice de sebos

o autor  

Registre sua opinião no

Livro de Visitas: